O Mecanismo: Série Sobre A Lava Jato Que Lava... A Cara


O mecanismo não tem fim, e a doença partidária também não.

É impressionante o país que vivemos, mas olhando bem, dá pra saber porque estamos em um buraco de corrupção, de problemas sociais e de infra-estrutura. Pessoas, "críticos", "jornalistas", enfim, criticando uma série a ferro e fogo, mesmo ela deixando bem claro que é uma obra de ficção, inspirada em fatos reais e baseada no livro "A Lava Jato - O Juiz Sérgio Moro e os Bastidores da Operação que Abalou o Brasil", de Vladimir Netto, que também dá consultoria à série da Netflix.

Pronto, dito isso, qualquer crítica que a série sofrer por ter dito algo em seu roteiro que o espectador não concorda, será meramente por efeito de doença partidária, ou mesmo, burrice. Tudo bem não concordar, mas denegrir o trabalho de Padilha e cia por isso, é irrelevante, fora de valor. 

A série é baseada em uma operação que não acabou e se depender do STF brasileiro, não vai acabar tão cedo. Irão protelar ao máximo, até que os condenados sejam absolvidos porque seus crimes foram prescritos. Portanto, muito que é dito na série é inconclusivo, não está provado, nem julgado, mas acreditar no contrário, em certos pontos, é ser muito inocente ou tendencioso.

Tanto a direita quanto a esquerda brasileira podem reclamar da série, de contextos e falas. "Temos que estancar essa sangria", disse o personagem que vive Lula na série. Essa é uma frase que foi dita por Romero Jucá no governo Dilma, mas quem garante que o próprio ex-presidente não tenha dito essa frase ou algo parecido para tentar barrar a operação? Mas claro que a frase é uma referência a Jucá e pra claramente alfinetar a esquerda. Mas o problema é que muitos juram de pé junto que Lula e Dilma nunca agiram para barrar a Lava Jato. Aí é outra história.


É outra história mesmo, o que devemos pegar de O Mecanismo são outros quesitos, e não discutir que tal personagem disse ou não disse, se é verdade ou mentira, porque ali tem muita verdade, pode ter mentira, mas a obra é protegida por ser de ficção.

Foram oitos episódios que deram bem o recado: "O Mecanismo" não tem fim, sabemos disso. É muito fácil criticar o presidente, o alto escalão, mas a corrupção está no nosso dia a dia enraizada, nas pequenas coisas, desde o seculo 18, como bem disse o personagem  João Pedro Rangel. O Mecanismo é algo que precisa ser combatido de cima pra baixo e de baixo pra cima, pela população que deve estar unida, do lado do bem contra o mal, do certo contra o errado, e não lutando entre PT e PSDB, esquerda e direita. 

O país tem que ser passado a limpo e está sendo passado. A série mostrou podridão de todos os lados, que todos sabem que existe. O Mecanismo conteve em relatar os fatos, mesmo eles ainda hoje inconclusivos, mas seguiu uma linha que acompanhamos desde 2014, quando a operação foi deflagrada. 


Pelo visto, e tomara, a série deverá ter umas 10 temporadas, pois foram oito episódios que ilustraram o início de tudo, mencionando até o escândalo do Banestado, onde surgiu o doleiro Alberto Youssef. Acompanhamos os bastidores da operação, como foi difícil implementá-la, como eles lutaram contra tudo e contra todos e venceram. Tudo isso desde seus primórdios, com o personagem Marco Ruffo orquestrando as ações.

Série muito bem feita, bem acima das produções nacionais que acompanhamos, com um clima de série americana, alá Narcos, além do filme Tropa de Elite. Claramente um dedo grande de José Padilha. Fiquei impressionado com as atuações de Selton Mello, Caroline Abras e principalmente, Enrique Diaz, que viveu Roberto Ibrahim, um nível de atuação absurda, fantástica. 

Mas para acompanhá-la é preciso estar bem atualizado com a política brasileira e a operação Lava Jato. Se até pra acompanhar os telejornais já é difícil, tamanho o número de envolvidos, imagina a série, pois obviamente deu outros nomes aos personagens reais que protagonizam a operação. Não sei se os gringos da Netflix irão curtir a série tamanho a complexidade da narrativa. Parece que vai ser uma série local mesmo, por enquanto. 


O Mecanismo trouxe de volta para muitos aquele sentimento de justiça, saindo de bem baixo, como mostraram, a operação abalou o Brasil, recuperou milhões para os cofres públicos e colocou intocáveis atrás das grades. Discutir é preciso, conversar é preciso. É apenas uma série, muitos espetadores fanáticos estão até com movimentos para "boicotar" a Netflix, cancelando suas assinaturas, tamanho o recado dado pela série, que terminou antes da PF prender o intocável Marcelo Odebrecht.

A série jogou na cara que até o Senhor João é corrupto e que isso não tem fim, mas que, como Ruffo, podemos até desistir e desanimar momentaneamente com a luta contra a corrupção, mas desistir, jamais.

⭐⭐⭐⭐⭐

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.