Altered Carbon: Série prometeu demais e entregou de menos


Parecia que Altered Carbon ia ser uma excelente série. Parecia que ia ser algo diferente, algo que pudesse destoar a série da mesmice, tanto devido a sua premissa quanto à produção, encabeçada pela Netflix. Infelizmente não foi nada disso.

Uma baita divulgação, um painel belíssimo da série na Comic-con Brasil, com o elenco e tudo mais. Trailers empolgantes, enfim. Desde o ano passado a série já trazia expectativa e eu recebi a temporada inteira quase um mês antes de sua data de estreia. Mas a desconexão foi tão grande que, mesmo assim, só consegui terminar a série a poucos dias, e olha, me esforcei para isso.

Começa muito bem, que premissa fantástica. Uma sociedade que não "morre", se troca de corpo, ou no caso, capa. Um cartucho residente dentro do cérebro é o responsável para armazenar todas as memórias do indivíduo e também, sua "alma". Ótimo, já amei, só que não.


A partir daí precisaria de algo pra fazer com isso. Conhecemos Takeshi Kovacs, personagem vivido por Joel Kinnaman, uma espécie de detetive. Papel caiu bem para ele, já tinha vivido algo parecido em The Killing, se encaixaria como uma luva. Mas daí uma trama confusa, sonolenta e sem nexo começou a ser vista nos episódios seguintes.

Trama muito arrastada, que não empolgou, que não fez o que esperava: sair da mesmice. Tudo bem, muto interessante acompanhar a tecnologia super avançada daquele mundo, um clima futurístico agradável. A série tem boas cenas de nudez e sexo, não tem frescura com isso. Mas acompanhamos a saga de Kovacs e suas investidas sem emoção. Personagens sem brilho, muitos sem relevância.

Muitas cenas boas de ação, é verdade, mas outras que claramente são mal feitas, fica evidente isso em vários momentos. 


Eu assisto uma série por entretenimento, quero me divertir, emocionar, viciar nelas, não consegui obter nenhum desses sentimentos com Altered Carbon, mas confesso que fiquei curioso, fato positivo que é muito importante para a produção. Senti que aprofundaram e misturaram demais a trama, sem precisão, talvez por que a obra é baseada em um livro. Quem leu o livro talvez tenha gostado mais do que eu.

O livro, em questão, é o romance clássico de cyberpunk de Richard K. Morgan.

Pra deixar desanimado ainda mais esse que vos escreve, o final da temporada foi resolvido ala novela global: todos reunidos em uma sala, o detetive contando todos os fatos, todas as desconfianças anteriores sendo descartadas e fim. Um mistério tão ruim quanto a sua resolução.

Infelizmente, queria tanto gostar de Altered Carbon, sua premissa me fascinou, mas tenho que falar a verdade. Vi algumas críticas "positivas" da série na internet, mas, no meu caso, não ganho nada pra falar bem de série alguma, portanto, muito a vontade pra dizer o que penso.

Avaliação:
⭐⭐

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.