Game of Thrones: "Dragonstone" 7x01 [Season Première]


Muito barulho por nada, ou quase.

Game of Thrones, a série aclamada, sem dúvidas. A série que mais desperta o público na internet, gera milhares de visualizações em sites e que tem gerado milhões de discussões sobre o seu futuro, principalmente porque a série tem data para ser encerrada. Uma season première esperadíssima por todos e que tirou do ar a HBO no Brasil tamanho o fluxo de audiência que a emissora obteve. 

Enfim, tudo maravilhoso, exceto... o episódio. Vamos falar a verdade, Game of Thrones voltou bem "meia boca", convenhamos.

Não é sempre que a série exibe episódios maravilhosos como "Battle of the Bastards" ou os conhecidos Episódios 9, mas, em se tratando de um episódio de retorno, a série tem que mostrar bem mais do que mostrou, ser impactante, envolvente, significante. Claro, é tudo dentro de um contexto. Tenho certeza que no fim da temporada, tudo irá se encaixar, porém, ao avaliarmos apenas um episódio separadamente, como esse "Dragonstone", podemos dizer que "deixou a desejar". 

Iniciou-se com tudo, chutando a porta, chegou chegando com Arya Stark envenenando e acabando com os Freys. Depois nossa querida reaparece, recebendo uma ajuda inesperada de um grupo de jovens soldados, em uma cena que só serviu mesmo para ela expor seu próximo plano: matar a Rainha, provocando risos, mas, com um grande fundinho de verdade, como sabemos.


Bran e Meera reapareceram e finalmente conseguem alcançar a Muralha. O nome Stark ainda é muito forte, mesmo como a aparente extinção, claro, ao olhar das outras casas. Aprendemos a gostar dessa família, e claro, torcemos para que eles se deem bem no final.

Falando neles, Jon Snow e Sansa tiveram destaques, discutindo e debatendo pontos opostos sobre as guerras que virão. Ambos com suas razões, mas, a palavra final é de Snow, que, agora tem total respeito de seus comandados. 

Enquanto isso em Porto Real, os Lannisters (ou pelo menos o que restou deles) seguem buscando alianças, mas o principal foi ver como a relação entre os irmãos está estremecida, ainda mais agora com Cersei perdeu seu terceiro filho. Ódio a Tyron é exaltado e Jaime ouve o que não queria, a verdade. Um diálogo interessante, mas, longo demais, apesar de que muito pode se teorizar a respeito.


Plots de Sam foram desenvolvidos, mas, não consigo entender como isso é importante pra série. Claro, vimos ele descobrir sobre a existência do vidro de dragão, decide contar para Jon, enfim, pode e deve sair algo disso. Tomara, para esse plot ter relevância na temporada. 

Da mesma forma digo sobre o cão (sem dono).  Ele reencontra a família que assaltou na quarta temporada, gente, isso faz séculos. Fica difícil até se situar no núcleo tamanho a distância que a trama está sendo desenvolvida. Aliás, outro núcleo que também pode dar Adeus.


Teorias, teorias. Sim, podem dizer que tudo que aconteceu é pra arrumar a cama para os próximos episódios, eu entendo e concordo. Mas muitos desses diálogos encheram muito mais linguiça do que outra coisa, aliás, um dos principais problemas da série durante os seus sete anos. Depois, chegam no fim da temporada e aceleram desproporcionalmente. Precisam diluir esses momentos mais durante todos os episódios da temporada. 

Podemos acreditar (e eu acredito) em Daenerys Targaryen, que termina o episódio dizendo "Vamos começar", pois, como ela bem disse, ainda não começou. 

⭐⭐

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.