A simplicidade e genialidade de Master of None [Review]


Seguindo a maratona de sucessos das produções originais da Netflix, uma ótima pedida é a comédia Master of None, que na verdade não é lá uma série exatamente de comédia. Totalmente diferente do tipo "sitcom", a série (no formato de 30 minutos por episódio) se utiliza do bom humor para tratar temas importantíssimos para a sociedade atual.

O criador e protagonista de Master of None é Aziz Ansari, conhecido por seu papel em Parks and Recreation e por alguns livros e stand-ups. Além da ideia ser bem original, Ansari escreve com uma sutileza e honestidade surpreendentes! Também aproveita para colocar seus próprios pais como pais de seu personagem, Dev, o que causa uma ótima atmosfera na história, aumentando o grau de naturalidade. Destaque para a abertura do show, que faz um excelente contraste retrô.

Acompanhamos em 10 episódios um pouco da vida de Dev, filho de pais indianos que mudaram-se para os EUA em busca de uma vida melhor. Dev tenta conciliar sua carreira de ator (até então formada basicamente de comerciais televisivos), com as saídas com os amigos e um relacionamento amoroso. Nisso tudo, ele imagina como serão seus dias futuros, baseando-se nas experiências de conhecidos. Logo no primeiro episódio, por exemplo, ele pesa as vantagens e desvantagens de ter filhos; no último, imagina como e por quê se casaria com sua atual namorada. Essas cenas de imaginação de possibilidades, sempre mostradas em preto e branco, são muito reflexivas e realistas, o que logicamente faz o telespectador pensar em si mesmo.

Dentre as outras questões postas na série, estão o racismo (como no caso de uma sitcom não poder ter mais que um ator étnico), os problemas com as tecnologias e os hábitos contemporâneos (como assistir Sherlock) e o relacionamento com as pessoas mais velhas, pais e avôs, tema que foi lindamente retratado no episódio "Old People".


Durante altos e baixos, a vida de Dev provavelmente tem mais altos nesses 10 episódios. É no último que as coisas complicam, tanto no campo amoroso quanto profissionalmente (caso que lembrou totalmente o Joey Tribbiani, de Friends). E é seguindo um grande conselho de seu pai que Dev busca ajuda em um livro, uma metáfora de escolha de figos, o que abre a mente do protagonista para as mais novas possibilidades e, consequentemente, para uma nova temporada (a série já foi renovada).

Algumas sacadas durante os plots são geniais, como nesse último, quando no começo Dev não consegue se decidir entre tantas opções de comidas, e em seguida, entre opções de tacos. A vida é feita de escolhas e não dá pra ficar pensando muito tempo.

Master of None é uma ótima recomendação para todos, independente do gênero preferido de série. Não é aquele show que vai te deixar louco pelo próximo episódio, mas é cada episódio que causará profundas reflexões sobre questões que estão batendo a nossa porta constantemente. É para ser apreciado aos poucos, uma meia horinha de vez em quando para relaxar e filosofar. E claro, aproveitar para fazer uma das melhores coisas da vida: dar risadas!

Tecnologia do Blogger.