Tomara que Caia: novo programa global decepciona


Novo programa da Rede Globo peca por excesso, no mínimo.

Uma mistura de "Sai de Baixo", "Você decide", "Risadaria do Faustão" e "Superstar". "Tomara que Caia" estreou no último domingo, 19, na Rede Globo, com grande expectativa, porém, não agradou. Pontos positivos foram vistos, mas os velhos problemas dramatúrgicos brasileiro foram vistos, principalmente em se tratando de roteiro e direção. Mas pode-se melhorar.

O elenco é ótimo e estiveram bem no episódio de estreia, exceto Priscila Fantin, atriz que não tem a comédia como base, ao contrário dos outros atores, e acabou destoando e muito do restante. Os outros setes atores foram e são ótimos, como sempre, mas o programa ainda pisa e feio na bola, convidando a cantora Anitta a fazer o que não sabe. A cantora se esforçou, mas interpretar, não é a dela. 

O programa prometeu trazer um formato "inovador", mas como disse, aparentemente uniram muitos programas num só, fato que poderia ser bom caso não houvesse tanto exagero assim, ao começar pelas regras excessivas. É tanta opção que o telespectador fica sem saber onde se focar, onde torcer, o que assistir. O telespectador acaba ficando irritado com tanta paralisação.


O ritmo é quebrado constantemente, tudo bem, é pra ser assim mesmo, mas para deixar o público mais atento ao programa, a dinâmica precisa ser acelerada, ou pelo menos, mantida em um nível aceitável. Muitas explicações sobre regras, lentidão na troca de elenco, piadas postas fora de hora, e, durante a troca de elenco, enfim, fatos que desaceleram o programa, estourando todo o tempo, trazendo aquele sentimento de... "Isso não vai acabar não?"

O roteiro é raso, e a responsabilidade fica na mão dos atores, que, mesmo sem falar, já são engraçados, porém não pode ficar tudo em suas costas. A história girou em torno de um assalto a banco, com polícia, bandido, mocinhos e romance. Um historinha simples, poderia ter tido maior incremento. 

A curiosidade do telespectador fez com que o programa marcasse 12.9 pontos de média e 17 de pico, pouco mais do que o reality musical "Superstar", que registrava entre 10 e 11 pontos no horário. A tendência é que a audiência caia, e se não houver mudanças, o programa não durará muito.


Primeiro episódio, programa ao vivo... fatos que podem dar um desconto aos produtores. Pode-se melhorar, mas espero que não insistam nos erros. É preciso dar mais dinâmica ao programa, deixar de explicar tudo toda hora, diminuir essa quantidade de pausas, essa quantidade de opção de mudança no desenvolvimento. 

Um programa de domingo a noite, pra deixar o telespectador ligado até 01 da manhã. tem que ser bom, e por enquanto "Tomara que caia" não é.   

Avaliação:
*****

Tecnologia do Blogger.