Pular para o conteúdo principal

Um Mês em Hell's Kitchen

Contém spoilers!


Que mês foi abril para a Marvel. O lançamento de Vingadores: Era de Ultron era um dos mais aguardados do ano, e não desapontou. Entretanto, a Marvel também conseguiu chamar a atenção (e muita) no mundo das séries. Quem ainda não tinha Netflix com certeza ao menos cogitou assinar. A parceria Marvel-Netflix se mostrou um sucesso estrondoso com Daredevil. Após o polêmico e "esquecível" filme de 2003, com Ben Affleck no papel principal, a história do herói de Hell's Kitchen finalmente ganha o tratamento que merece.

Realismo é a palavra certa para definir a série. Entre tantas séries de super heróis estourando por aí, como Flash, Arrow e Gotham (representando a DC Comics), Daredevil deu o tom adulto ao gênero, até sendo mais policial do que uma série de herói propriamente, em diversos momentos (especialmente porque já há sangue o tempo todo na tela). O piloto já deixa isso bem claro, sem enrolação e direto ao ponto sobre quem é Matt Murdock e o que ele faz. Nada de histórias de origem, apresentação de variados personagens e uma vida normal antes de se tornar um "vigilante". Um rápido flashback nos mostra o que aconteceu com o garoto de 9 anos que ficou cego e, rapidamente, já somos levados à ação noturna e a vida de advogado durante o dia. É fácil perceber também que a cidade está tomada por gangues e a corrupção rola solta. Ambiente mostrado, vamos, ao longo dos acontecimentos, descobrindo quem é quem. Ah sim, antes de terminar, aquela sequência básica de rotina das partes envolvidas com uma empolgante música para imediatamente criar o gostinho de "quero mais": Matt treinando, bandidos sendo bandidos, etc. Fim do piloto.

"Quero mais". Eis que entra a questão Netflix. Tenho orgulho em dizer que pertenço à geração de seriadores que acompanhavam uma temporada por ano, um episódio por semana, de aproximadamente 40 minutos, e muitas vezes, vistos pela TV a cabo (tempos que Lost e CSI dominavam as grades). Mas os tempos mudaram e hoje surge o conflito provocado por novas plataformas, como a nossa querida Netflix. No dia 10 de abril, estreia da série, foram liberados, de uma só vez, TODOS os episódios da temporada, que variam entre 50 e 60 minutos cada. Sim, isso já havia sido feito com House of Cards, por exemplo, mas pessoalmente, tive essa experiência pela primeira vez. A temporada é mais curta: 13 episódios. E quando você vê o piloto, já logo quer ver o próximo, e o próximo, e o próximo... claro, a qualidade não poderia ser melhor e, justamente, por isso a quantidade reduzida de episódios (vide Arrow que, com pouco mais de 20 episódios, arrasta sua atual 3a temporada, bem fraca). A estratégia funciona, mas coloca o seriador no dilema: ver tudo de uma vez e depois sofrer pela falta, ou tentar, a muito custo, ver um episódio por semana? Dosar séries da Netflix acaba se mostrando um dos grandes problemas contemporâneos. Pessoalmente, preferi tentar dosar e terminei em quase um mês. Sim, já está fazendo falta...mas comemoremos o fato de que a série já está renovada para uma 2a temporada. 

Outra estratégia que deu muito certo é uma já bem conhecida, desde o Superman da década de 1970, até recentemente em Batman Begins (2005): colocar um ator relativamente novo no mundo artístico, um tanto quanto desconhecido, para o papel do protagonista, e cercá-lo por rostos já conhecidos do público, como Vincent D'Onofrio no papel do famoso Rei do Crime/Wilson Fisk. Pois é, ele realmente mudou para fazer o personagem, sempre conhecido por Law and Order e recentemente visto em O Juiz (2014), ao lado de Robert Downey Jr. Bob Gunton, como Leland Owlsley, também teve sua contribuição, ator já experiente que tem em sua filmografia títulos como 24 Horas e Patch Adams (1998). Charlie Cox surpreende. O jovem ator britânico demonstrou grande dedicação ao papel (claro, não é todo dia que você tem a chance de ser um astro da Marvel), fazendo intenso treinamento de artes marciais e contratando um consultor cego, para estudar seus movimentos. Agora você percebe que provavelmente já o viu por aí, como em Stardust (2007) e em A Teoria de Tudo (2014). E há quem esperou por uma rápida aparição de Murdock em Era de Ultron esse mês nas telonas, o que seria sensacional, já que a série está repleta de referências ao primeiro Vingadores. Mas acredito que a Marvel não quis arriscar tão cedo e preferiu analisar o sucesso e alcance que Daredevil teria. Cox tem no contrato a possibilidade de participar de qualquer outra produção da Marvel Studios. Enquanto não chega Os Defensores (série que irá unir Daredevil e mais outros 3 heróis, ainda com séries a serem lançadas, também pela Netflix), ficamos na expectativa por alguma aparição ou referência, quem sabe na Guerra Civil, já que o Capitão América é um herói mais urbano, diferente da temática dos Vingadores, que está se aproximando mais de Guardiões da Galáxia do que voltando pra Terra.

A ambientação urbana de Daredevil, aliás, é um dos charmes da série. Amantes da cidade de Nova Iorque e do gênero policial receberam um prato cheio. Se você assiste aos episódios a noite, fica melhor ainda. Nada de momentos e dias leves, como em Flash. A tensão está presente a todo momento, aliviada apenas por rápidas falas ou ações um pouquinho descontraídas. Dá-lhe Foggy Nelson, o alívio cômico da série, mas que também faz um bom drama, como visto no 1x10. Aliás, vale citar alguns episódios que, pessoalmente, se destacaram. Após o ótimo piloto, o 1x02 manteve o nível e mostrou que a série não veio para perder tempo. Matt já surge quase morto, jogado em uma caçamba, e logo conhecemos Claire, a fofa enfermeira que faz plantões especiais para nosso herói. Esse episódio consolidou a seriedade do show, apresentando grande realismo, emoção e cenas de luta sensacionais. "Mas ele é cego e faz tudo aquilo, onde é realista?". Dentro do universo de Daredevil, obtemos algumas explicações sobre o treinamento de Matt no 1x07, através de Stick. Os flashbacks, aliás, se destacam por não serem constantes, inseridos exatamente quando necessários. O 1x08 comprovou isso, quando conhecemos a história de Wilson Fisk. O 1x09, então, uniu, pela primeiríssima vez, os antagonistas que conhecemos melhor nos dois últimos episódios. Tensão máxima nos momentos em que dividam a cena, primeiro na galeria de arte, como Matt Murdock e Wilson Fisk, e depois a noite, como Daredevil e Rei do Crime (apesar dos nomes ainda não terem surgido). Após mais uma quase morte do nosso herói, seu melhor amigo surge para ajudar, ao mesmo tempo que descobre o seu segredo. Com a amizade ameaçada, nada melhor que sabermos um pouco mais da bacana história dos dois amigos, desde a faculdade.


O tema principal dessa temporada se resumiu bem nesse 1x10: os limites entre bem e mal, certo e errado. As conversas de Matt com o padre geralmente consistem nas melhores cenas para reflexão, e para realmente entender esse herói. A briga com Foggy, mesmo que irritante, foi compreensível. Então, após algumas mortes, tristes como a de Ben, e surpreendentes como a de Wesley, tudo se resume ao confronto final, o melhor episódio dessa primeira temporada: Daredevil. Simultaneamente, temos as consolidações do vilão e do herói. Fisk teve 2 cenas memoráveis: o pedido de casamento à Vanessa enquanto é levado pela polícia, e sua fuga do comboio que o transportava. Após a primeira batalha definitiva dos antagonistas, Fisk veste branco, em referência clara aos quadrinhos. O visual provisório de Matt deu lugar à uma estranha "roupa oficial" (preferia a preta), e agora o herói de Hell's Kitchen já estampa as capas de jornais. Para além da ação, foi ótimo ter o retorno do trio Foggy, Karen e Matt. Já rolam apostas no campo romântico sobre isso...

A nota no IMDB está bem coerente, para quem curte estatísticas: 9,1. Resta agora rever, especular e continuar atento ao Universo Marvel. Que venha a 2a temporada, dos nossos "abacates" da lei, e do nosso herói de Hell's Kitchen.



Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Netflix Divulga TOP 10 Séries mais vistas por super maratonistas

PREPARAR, APONTAR, ASSISTIR: MAIS DE 8 MILHÕES DE ASSINANTES QUEREM SER OS PRIMEIROS  NA MARATONA DE SÉRIES DA NETFLIX
Um novo tipo de aficionado surgiu com a Netflix, e eles estão correndo para serem os primeiros a terminar séries como Stranger Things, House of Cards, Fuller House e outras . Assistir a uma série inteira antes de todo mundo virou um novo símbolo de status.
A Netflix mudou a forma como o mundo se relaciona com séries  - espectadores podem assistir quando, onde, como quiserem e, principalmente, em qualquer ritmo. Ao fazer isso, a Netflix viu o surgimento de um novo tipo de fã: o super maratonista. Completando em um dia o que os outros levam semanas, os super maratonistas se empenham para serem os primeiros a terminar uma série, assistindo a uma temporada inteira nas primeiras 24 horas após o lançamento. 

No total, 8,4 milhões de assinantes da Netflix se tornaram super maratonistas, e a única coisa mais rápida do que o ritmo em que eles assistem a séries é o ritmo de cresc…

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…