Pular para o conteúdo principal

The Flash. Primeira fase da série comentada.


Foram tantos meses de espera. Tantas noticias em torno de uns dos heróis mais carismático dos quadrinhos. Tantas imagens vazadas. Tantos twittes de ansiedade. E chegou...

My Name is Barry Allen!


The Flash começa com um episódio sem novidades, até pelo vazamento do mesmo meses antes. E diga-se de passagem, um episódio bem mediano. Porém a série evoluiu e tomou corpo, já mostrou suas características e provou a que veio.
Fiel ou não aos quadrinhos, a série tem sido digna de boas criticas. Tudo bem, muitos pontos fracos, mais estamos falando de uma série onde Fãnboys estão delirando mundo a fora, com a cabeça explodindo. A grande exigência seria algo normal nesse universo.

Sobre o Barry.


No começo, não era o Flash. Sete episódios depois, sim!

O carisma, as piadas, a irresponsabilidade consigo mesmo...Tudo veio acontecendo. Nada era fato no piloto e isso entristecia os fãs. Mais hoje, é motivo de orgulho. Foi aprendendo a usar seus poderes, a superar seus limites, andar sobre a água, a escalar um prédio, mudar sua voz, aplicar uma mascara de "velocidade", entre outras coisas mais.


A equipe




Forçada, estranha, sem química, sem carisma e sem uma boa historia. Essa é a equipe que "adota" Barry. Essa é a equipe do Dr, Wells.
Caitlin Snow é inteligente e tem um namorado morto no acidente do acelerador de partículas. E talvez sua participação mais importante a curto prazo seja justamente a volta deste como o super herói Nuclear, que será vivido pelo Robbie Amell (primo legitimo do Stephen Amell, o protagonista de Arrow).
Cisco Ramon é o que menos merece critica, e mesmo assim ainda abusa de suas qualidades. Seu senso de humor muitas das vezes não se encaixa. E já não bastasse todos os super-vilões da série terem basicamente a mesma origem, tem também Cisco como principal nomeador. Meio sem criatividade.
Harrison Wells é o mais misterioso, e claramente vai ser o foco dos próximos episódios, afinal, todos apostam que o Flash reverso seja ele. Ou não...

CW e sua características chatas.


The Vampire Diaries, The Originals e por vezes até Arrow. O romance toma o lugar do climax dos episódios. Tudo bem que tem a quem agradar, mais se vamos ligar a TV para assistir um personagem de quadrinhos, no geral não queremos muita "melação".

Iris West é pelo menos 40% do assunto em um dialogo de Flash, quando tira o uniforme, o número sobe para 80% (números não oficiais. Haha!). Fica desgastante, até pelo fato de Iris estar muito perto de ganhar o titulo de personagem mais sem sal da série Live Action da DC.


Vilões

Assunto superficial. Até agora, os vilões são todos de segundo escalão. Provavelmente não voltarão. Inclusive um já foi sacrificado por uma jogada estúpida do Dr. Wells, provando os testes e a estupidez do personagem.
A uma exceção...



O Crossover 


Barry pediu licença para Oliver em três "dias" de Arrow na segunda temporada. E ali nascia o Flash.

A emissora não iria de modo algum desperdiçar a fama de um e a estabilidade do outro, e logo alguns episódios após sua estreia, Barry e Oliver estariam aparecendo em episódios das séries um do outro, com direito a logo personalizado, vilão de nome, e novidades para o futuro de ambas. (episódios exibidos nos dias 2 e 3 de dezembro na CW).

Capitão Boomerangue foi o principal antagonista. Fez um bom barulho, mais foi facilmente derrotado pelos dois. Coisa muito justa, afinal, quem derrotaria essa união tão fervorosa?




O Crossover... Definições.

Os dois episódios serviram para dar resposta as tão comentadas diferenças das séries. Arrow, desde o principio apostou em algo mais real, sem encostar no sobrenatural. Flash foi como uma bomba no meio dessa historia. Oliver mais sério; Barry mais engraçado. Arqueiro mais sombrio; Flash mais herói. E ponto final a quem dizia achar Oliver um cara "frio de mais", afinal, quem não tem poderes, tem que arrumar algum modo de ganhar "respeito".




Algumas cenas deixam isso bem claro. Diggle é o que mais se sobressai no assunto.

Obs.: Os episódios atingiram as maiores audiências de ambas as séries. Claro!


O futuro.

Flash tem muita historia para contar. Ainda não sabemos nada. Não conhecemos ninguém. E muitos personagens não são o que deveriam ser; AINDA (Ex: Cisco= Vibro). Podemos dizer, sem medo e dúvidas, que vamos ter uma primeira temporada toda de apresentações. Infinitas apresentações.

A série vai ter um último episódio no ano que será exibido no dia 9 de dezembro. E aparentemente irá introduzir de vez por todas o Flash Reverso na série. E ao fundo...O Nuclear.


No fim, a série está indo bem. Superando expectativas por um lado e decepcionando por outro. Mas no geral...Se despede em alta. Sim, em alta!

Fica conosco. Torne-se um Viciado em Séries.

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …