Sons Of Anarchy: "Faith and Despondency" e "Suits of Woe" 7x10 e 7x11 [Review]


E aquele momento chegou, aquele que todos esperavam. Sons veio galgando vagarosamente durante toda a sua temporada final, dando pistas que o caos, a perversidade, alinhada à gama de respostas pendentes estavam pra chegar, e os últimos dois episódios da série demonstraram isso perfeitamente.

A série se propôs a impactar em sua reta final de temporada, fato completamente plausível de aceitação. Claro que a ansiedade por respostas, ação, sangue e diversão, faz com que fiquemos desanimados às vezes, mas ser precoce nunca é bom, mesmo que seja sofrido. O ápice, o orgasmo, foi deixado para a reta final, para que todos, de forma única e sincronizada, cheguem a ele ao mesmo tempo.

E o episódio "Faith and Despondency", décimo da temporada, trouxe com abundância (ops) esse orgasmo mencionado, e de forma quase literal. Um festival de cenas de sexo que ilustrou bem como os Sons lidam com situações horripilantes, no caso, a morte de Bobby: cada um buscando o seu ponto de apoio, e esse episódio uniu os casais mais desesperados da trama, e que precisavam muito desse apoio. 


Porém, esse desejo de satisfação não veio apenas através de sexo, e sim, também, através de vingança. Em uma daquelas jogadas de mestre, Jax e SAMCRO armam para os capangas de August, e exterminam os crápulas da face da terra. August, o chefão, está preso, mas o que é dele está guardado. Uma linda sequência de ação, um terrível e sanguinário extermínio, perpendicularmente, satisfatório, deliciosamente de acompanhar. 

Paralelamente acompanhamos o núcleo principal da temporada se desenvolver e sem volta: "Quem matou Tara?" Esse núcleo, principal, reitero, foi arrastado até o décimo primeiro episódio da temporada, pois estava sendo contato pouco a pouco, inserido no meio da guerra entre as gangues da cidade. Claro que a ansiedade pelo desfecho era de fato compreensível, mas nada como dois episódios reveladores. Não podemos reclamar de falta de revelações, mas podemos reclamar de outra coisa.

Confesso que não gostei da forma que a verdade chegou aos ouvidos de Jax. Tudo ali, em algumas "simples" conversas. Gemma é uma personagem que se demonstrou fria e calculista durante toda a série, e deixar um segredo desse, como esse, ser desvendado por "burrice" foi um pouco broxante pra esse que vos escreve.


Gemma foi fraca e irresponsável. Chegou ao desespero, claro, sua consciência estava-lhe matando, e tentou aliviar esse lado "confessando" para Thomas o assassinato de sua mãe, de porta aberta, com o perspicaz Abel à escuta. E podia ser outra pessoa, até mesmo Jax. E foi através da criança que Jax se atentou ao fato que já estava escancarado em sua face, o motivando a buscar respostas. Todos confessaram na maior facilidade, incrível, sem pressão alguma, sem obrigatoriedade alguma. Faltou essa obrigatoriedade pra mim. 

Abel, a criança manipuladora diz para o seu pai o que tinha ouvido de sua avó. Wendy confessa sua parte na história, Juice confirma, Jax diz pra Wendy não contar pra ninguém, mas ele mesmo conta pra todo mundo, ajudando na fuga de Gemma. Wayne também confessa o seu lado e já alerta Gemma sobre o problema que enfrentará. Uma grande sequência de revelações, que foram boas, claro, mas esperava um pouco mais de dificuldade para obtê-las.

Portanto, agora, nos deparamos com um grande imbróglio, mesmo após uma enxurrada de respostas: matar ou não matar, Gemma. Obvio que não conseguirá fugir para sempre, sozinha, e o amor de Nero não foi tão grande para ele aceitar isso e acompanhá-la. O maior castigo para Gemma, não seria sua morte, muito menos tortura. Ela já está morta, apenas seu corpo ainda não caiu. A sua vida, agora, é a sua cruz, e os dias longe de sua família, serão muito mais dolorosos.

E Jax seguirá se culpando, com todo o mérito. Mesmo apesar de tudo - ele matar Gemma, difícil de imaginar. O sofrimento já está aí, e essa morte não trará nenhum benefício. O estrago já está feito, nada irá consertá-lo. Os culpados estão claros, e o maior deles, assumido, leva o nome de Jax Teller, mesmo que não exista inocentes na série.


Ainda imaginando ver Abel matando sua avó, sei lá, seria uma licença poética a altura do sanguináreo Kurt Sutter, porém, nesses dois últimos episódios, tudo pode acontecer, e estaremos na primeira fila para acompanhar o fechamento dessa excelente série chamada Sons of Anarchy.

Avaliação:
*****
Tecnologia do Blogger.