Pular para o conteúdo principal

The Walking Dead: "No Sanctuary" 5x01 [Season Première]


Exército de uma mulher só.

Por episódios como esse que The Walking Dead ainda é uma série que merece e muito ser vista. Quando eles querem, eles fazem. "No Sanctuary" entra para a lista dos episódios da prateleira de cima de Walking Dead, facilmente estando entre os três melhores.

O que irrita na série, com grande exemplo da metade da última temporada, é que propositalmente eles enrolam demais. Se a série tivesse sempre episódios do mesmo nível de "No Sanctuary", "Too Far Gone" ou "Seed", conseguiria ainda mais sucesso, ainda mais audiência, ainda mais dinheiro, e obrigatoriamente, ganharia notoriedade nas principais premiações da TV, que atualmente inexiste. 

Emocionante, eletrizante, impactante, e principalmente, surpreendente. Surpreso pela estrutura adotada para essa volta. Jurava que eles iriam passar a metade da temporada dentro do Terminal, tentando e demorando a sair do container; acreditava que iríamos ver tudo bem devagar, e que até iríamos acompanhar mais detalhes daqueles novos personagens, daquele lugar... Mas não. De imediato a série nos deu respostas, resoluções e seguimento para a trama, deixando tudo ainda mais espetacular.


Eles demoraram oito episódios, meia temporada, indo para o Terminal, após a queda da penitenciária. Não imaginaria, mesmo, que sairiam dali tão cedo. Felizmente estava errado. A série já nos protelou diversas vezes, trouxe muitas vezes episódios morosos e irrelevantes, mas ela sabe dá ao público o que ele quer, e na hora que quer.

E tudo isso protagonizado por uma heroína: Carol. Tudo bem que vimos uma espécie de "Rambo de Saias". Só faltou ela amarrar uma fita vermelha na testa. Mas Carol foi espetacular, corajosa e honrosa. Foi para uma missão suicida, mas que diferença isso faz naquele mundo? Todo dia há uma guerra, e Carol foi para sua, munida com poucas armas, mas com grande inteligência.

Responsável direto por salvar a vida de Rick e cia. Começamos o episódio perplexos, com Rick, Daryl e Glenn correndo sérios riscos de morte. Não imaginava que eles seriam abatidos como um gado, mas iriam. Os primeiros a morrer, figurantes, trouxeram grande impacto ao telespectador, e quem não gelou a espinha ao ver que Glenn era a bola da vez. Poderia morrer, talvez, seria muito impactante, mas a série já mostrou cenas ousadas. Mas tudo foi resolvido de maneira coesa, com Carol explodindo o lugar, dando entrada para os Walkers, fazendo com que tudo voasse pelos ares.


A partir dali, estavam salvos, convenhamos. A guerra ficou aberta, e com os dois lados munidos. O "antes e depois" inserido nesse episódio, mostrou que, na verdade, não existe bandidos e mocinhos, existem lados que tentam sobreviver, existe presa e predador, e um mundo fantasioso, um paraíso, sugerido pelas placas, não existe, e os nossos sobreviventes foram inocentes demais em acreditar nelas.

O grande encontro aconteceu. Carol, que grande tapa de luvas em Rick. Salvou sua vida e ainda devolveu-lhe sua filha. Não houve um "obrigado" dito literalmente, mas nada que Rick dissesse seria suficiente para agradecer o que Carol fez por ele, por ela, e por eles, e o silêncio soou como grande recompensa, e arrependimento de Rick por ter expulsado Carol do grupo.

Como ainda não bastasse, uma toada emocionante veio para o último ato do episódio, quando Rick reencontra sua filha, sã e salva, causando lágrimas em todos os envolvidos, telespectadores, e nesse que vos escreve. Muito emocionante, perpendicular à qualidade do episódio e ao desenvolvimento da trama.


Resta-os agora irem para a capital, onde o grande "professor pardal" tem a missão de salvar o mundo. Ele tem a capacidade de criar uma "doença" para combater essa "doença walker", e que provavelmente gastarão sete episódios para chegar lá, apesar de que ninguém mais garante isso. Mas se vier, se tiver mais enrolação e morosidade, que venha, pois agora a série está com crédito na casa.

Avaliação:
***** 

Postagens mais visitadas deste blog

Vencedores do Emmy Awards 2017

2017 entra pra história do Emmy como o ano que fizeram "tudo certo". 
O Emmy é uma premiação sempre polêmica, inconclusiva e injusta, como convenhamos, toda premiação. Mas por incrível que pareça os vencedores da edição desse ano foram bem recebidos pelo público e crítica. Claro, um ou outra série tem certa preferência de cada telespectador, porém, não se pode negar a qualidade dos premiados.
Game of thrones, o maior vencedor da história do evento, não esteve presente, fato que gerou piada para o apresentador Stephen Colbert. Foi cômico mas foi verdade: os vencedores deveriam agradecer a série por não estar levando todas as estatuetas esse ano.
Muitos ganharam o Emmy pela primeira vez: Donald Glover foi o primeiro negro a ganhar em uma categoria de direção, por "Atlanta". Lena Waithe se tornou a primeira roteirista negra a levar uma estatueta. E Reed Morano foi a primeira mulher a vencer como diretora em 22 anos.
Abaixo você confere a lista dos vencedores,destacado…

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…