The Originals: “Rebirth” – 2x01 [Review]


Renascimento. O nome do episódio de estreia da segunda da temporada de "The Originals" não poderia ser mais adequado ao que os vampiros tiveram que fazer para garantirem a própria existência.

Recapitulando o final da temporada passada, o episódio começa com Rebekah colocando a sobrinha para dormir. A "louca tia Bekah" narra a história dos pais de Hope como um conto de fadas, repleto de vilões, com a esperança do final feliz. Foi ótimo ver Claire Holt novamente na série, mesmo que em uma breve ponta; quem sabe ela não volta, né? #voltaRebekah

Meses se passaram desde que Francesca e os Lobos passaram a dominar o French Quarter, obrigando Klaus e Hayley a forjar a morte da própria filha. Enquanto o híbrido vive recluso, afetado a cada lua cheia que o enfraquece, a lobinha se isola de todos, tentando entender a vida como uma nova híbrida, parte lobo (graças a sua linhagem real familiar) e parte vampiro (herança recebida da filha).

Protegidos pelos anéis da lua, os lobos tomam conta da cidade, ignorados pela parcela humana, caçando e matando vampiros, com a ajuda da Mãe Original, Esther, disfarçada de uma das bruxinhas da colheita. Enquanto isso, Elijah (sempre elegante) consegue descobrir quem são os 12 donos dos anéis e tenta convencer Klaus que eles devem aguardar o momento certo para atacar. Porém, quando Cami aparece na casa deles e revela que Marcel está sozinho, Klaus decide procurar "o filho mais velho" e armar uma armadilha para acabar de vez com os lobos da cidade.

Menos sangrento do que eu esperava - queria ver Francesca ser atormentada e morta lentamente, confesso - um a um, os lobos foram exterminados por Marcel, Elijah e Hayley, que recuperaram os anéis e livraram Niklaus da magia que o enfraquecia. Não pensei que o "plot" dos anéis/Francesca fosse terminar assim, em um episódio (e logo o da estreia!). Mas foi muito legal ver que não é intenção dos produtores ficarem enrolando com uma trama e já entregaram logo um Klaus ensandecido de raiva e de desejo por vingança, pintando com o sangue dos lobos mortos. Sinistro!

Após a matança, Hayley está sofrendo por ter matado "sua gente" e não aceita a ajuda do cunhado, sendo consolada pelo pai do seu filho (será que finalmente Klaus vai tomar seu posto neste triângulo amoroso ou vai continuar dividindo Cami com Marcel?). Mais uma vez, palmas para os produtores que não esqueceram que The Originals é, sobretudo, uma série sobre a família. E foi assim que Klaus conseguiu convencer a lobinha a assumir a sua realeza e tentar trazer os lobos para junto deles para lutar contra os inimigos que ainda estão à solta.

E por falar nos inimigos, olha eles aí: papai e mamãe original. Michael está preso sob os cuidados de Davina, a qual mostrou interesse em ninguém menos que Kol, o irmão original, na pele de um adolescente chamado Kaleb. Agora, mamãe original tem dois filhos ao seu lado para ajudá-la na reunião da família Mikkaelson.

E, ao meu ver, acredito que esta será a linha de condução da temporada: Esther tentando matar os filhos e a neta. Acho que Davina não conseguirá quebrar a ligação entre Klaus e os demais vampiros e acabará percebendo, tarde demais, que estava brincando com magia além do seu entendimento (manter Michael preso como um cachorrinho não será uma boa ideia a longo prazo, pode contar!).

Continuando a ótima fase que deixou no final da primeira temporada, The Originals volta com uma trama sólida, nos deixando ansiosos por novos episódios. Ao que tudo indica, nesta temporada haverá a participação de Nina Dobrev na série. Como Elena ou Katherine? Sem spoilers, please!

Momento fraterno: a ligação dos irmãos Klaus e Elijah. Não canso de admirar como o mais velho faz tudo para salvar o irmão mais novo.

Momento revolta: Hayley dizendo que matar Francesca não foi o suficiente para aplacar sua dor; #saudadesHope

Momento pateta: sério que os lobos acreditaram tão cegamente no endereço entregue por Cami e não pensaram que algo pudesse acontecer? Really?

Momento alistamento: Josh acertando que a roqueira conseguiria voltar até eles.

Momento vingança: será que foi boa ideia da lobinha deixar Oliver vivo? acho que não...

Tecnologia do Blogger.