Gotham: Primeiras Impressões


Texto com base nos episódios "Pilot" e "Selina Kyle": 1x01 e 1x02. 

A série de super heróis que precisávamos: Gotham.

Claro que ainda é cedo pra dizer, mas os dois primeiros episódios da série animou e muito esse que vos escreve. Ser fã do super herói Batman ajuda e muito na empolgação, mas a série, em si, completa esse sentimento.

A série já nasce sem aquela sensação de desconhecimento. Os personagens já estão gravados na memória do telespectador, faltando apenas dar nome às peças e tentar obter carisma pelos atores. Os dois primeiros episódios da série fizeram isso muito bem, agora temos que esperar pra ver se conseguirão dar sequência à premissa já famosa, sem denegrir a imagem da franquia. 

Sempre temos que ficar com um pé atrás com a série, pois tivemos desilusões recentes com esse tema na TV.  A série é exibida pela FOX, TV aberta americana, e sempre podemos passar por enrolação para que o enredo cumpra 22 episódios por temporada, e segurando a audiência, e especificamente Gothan ainda tem um revés: é um prelúdio, não podem avançar muito com a trama.


Outro fato negativo, é que sabemos quem não vai morrer de jeito algum, e isso tira um pouco a tensão em alguns momentos, exemplo: sabíamos que o Detective Gordon não iria matar de jeito algum o Pinguim, só precisamos saber como ele escaparia daquele momento. Como também sabíamos de Gordon não iria morrer pendurado como uma carne bovina abatida.

Mas isso não estraga e nada a série. Satisfatório acompanhar a infância de Bruce Wayne, e o início do trabalho paterno de Alfred. Aliás, a série já deixou claro a sua estrutura: terá como trama principal os assuntos relacionados a Wayne, Pinguim e Mulher Gata, enquanto o Detective Gordon e seu parceiro Harvey Bullock (interpretado pelo excelente Donal Logue), seguem combatendo o crime na cidade.

Pode-se dizer que a série adotará estrutura procedural, mas o que mais trouxe de empolgação foi o fato de momentos da história de Batman têm sido inseridos sem economia, dando grande sustentação aos primeiros episódios. E quando imaginamos que muitos outros núcleos poderão ser inseridos, obviamente com a aparição de outros personagens, principalmente os vilões, a expectativa pelos próximos episódios cresce ainda mais.


Começamos a série acompanhando o assassinato dos pais de Bruce, tal como conhecíamos na história de Batman, mas tudo foi muito bem feito, até os "erros" cometidos na franquia foram repetidos: como um casal milionário, famoso, sai de um cinema e enfrenta um beco escuro a pé, em busca de um táxi. Com o dinheiro deles, dava pra montar uma frota de motoristas à disposição, e não poderiam passar por esse risco.

Apesar de que, de qualquer forma, o casal iria dessa para melhor. Ficou claro nos primeiros episódios que os pais de Bruce iriam morrer de qualquer maneira, e o mais interessante é que fingiram mostrar a resolução do caso para acrescentar outros personagens, dando seguimento e eletricidade à trama. Nos dois primeiros episódios tivemos estrutura parecida, com núcleo principal sendo resolvido após a metade do episódio, mas que os minutos finais vieram para mostrar que nada ainda tinha sido resolvido, tinha mesmo era se complicado ainda mais. 


E mais: a série ainda teve a ousadia de deixar bons cliffhangers, fazendo-nos ansiar pelos episódios seguintes. A Mulher Gata parou de apenas vigiar, e entra afundo na trama, prometendo revelar ao Detetive Gordon o paradeiro do assassino dos pais de Bruce.

As primeiras impressões foram ótimas, a série preencheu os requisitos para que seja feito uma boa série, basta-nos agora acompanhar se irão manter essa qualidade, principalmente sobre o roteiro, pois se basear em uma franquia de tanto sucesso, como Batman, além de ser uma grande responsabilidade, é um grande desafio, mas passaram com tranquilidade pelos dois primeiros testes.

Avaliação:
*****
Tecnologia do Blogger.