Pular para o conteúdo principal

Arrow: "The Calm" 3x01 [Review]

                Fortes emoções e uma grande surpresa marcam o retorno de Arrow

Arrow retornou para sua terceira temporada de maneira sensacional. "The Calm" trouxe realmente um momento de calma e tranquilidade para Starling City (após o inferno que Slade provocou na segunda temporada), mas ao final do episódio já dá pra perceber que o ritmo normal, ou seja, eletrizante, está de volta. 42 minutos de muitas emoções (especialmente para os que shippam Olicity) e um grande susto que aposto que dividiu o público.

O "previously" imediatamente nos bombardeia com praticamente tudo de relevante que ocorreu na reta final da temporada anterior. Em seguida, acompanhamos mais uma noite rotineira do Team Arrow, destacando o Roy (Arqueiro Vermelho) já "oficializado" no time e Diggle agora dividindo seu tempo entre a equipe e sua nova família. E teve até "you have failed this city"...nostálgico! Esse episódio deixou aquela sensação de filme sequência de super-herói (estou pensando em Homem Aranha 2, Quarteto Fantástico 2 e por aí vai...), quando o herói está bem, na rotina de combate ao crime, ao mesmo tempo que tenta conciliar sua vida pessoal e, também sempre, a amorosa.


É aí que os fãs de "Olicity" vão a loucura, assim como o Diggle (que mais shippa esses dois no mundo). Depois de inúmeras relações sem sucesso, Oliver finalmente tenta algo com Felicity, sua parceira de longa data, amiga fiel, na qual ele realmente pode confiar e ter aquele contato humano. Até a inesquecível "trollagem" ocorrida entre os dois na season finale da segunda temporada foi citada, quando Oliver tentou enganar Slade sobre seu verdadeiro amor.  As cenas entre os dois, nervosos, com piadinhas, foram muito bacanas, mesmo que não tenham trazido nenhuma novidade. O bom humor típico criou bons momentos, como quando Oliver a convida para um jantar italiano em plena perseguição de moto. E é claro, algo tinha que acontecer (pois nenhuma garota sai ilesa depois de sair com Oliver Queen) e ocorre uma explosão no meio do jantar romântico.


Antes de comentar sobre a explosão e o vilão da semana, vale mencionar que, só porque "Olicity" começou a acontecer (e na cena final dos dois, foi pura emoção), eis que surge um terceiro possível elemento, criando um triângulo amoroso. O ex-Superman das telonas, Brandon Routh, assume a empresa dos Queen no seu papel de playboy divertido. Outro momento que precisa ser citado foi a aparição de Barry Allen, nosso querido Flash, já que no dia anterior a exibição de Arrow, a CW estreou o piloto do herói mais rápido do mundo. Em Flash, Barry é visto aceitando conselhos do Arqueiro, e nesse 3x01 de Arrow, vemos Barry ligando para Oliver para se encontrarem. Apenas um lembrete aos telespectadores dos crossovers das duas séries.

O vilão da vez traz de volta a droga Vertigo, remetendo-nos a primeira temporada da série e ao inesquecível vilão Conde (The Cound), uma saudade para os fãs da série Fringe. Dessa vez modificada, o efeito da droga me lembrou o primeiro filme da épica trilogia Batman de Nolan, onde o vilão Espantalho (Scarecrow) drogava as pessoas e elas viam seus piores medos. Nesse episódio de Arrow, trouxe a questão da dupla identidade de Oliver Queen, bem finalizada no último flashback, agora em Hong Kong, juntando com o arco de Diggle.

Detetive Lance também fez um ótimo retorno após o susto do último episódio, e de quebra, oficializou a parceria com o Arqueiro, retirando a força-tarefa incumbida de prendê-lo. Laurel teve rápidas aparições e nenhum destaque por enquanto. Senti falta de Malcolm Merlyn (agora personagem regular) e Thea foi apenas citada. Enquanto Sarah Lance foi um caso a parte: dentre as várias surpresas da noite, lá estava seu retorno (achei que demoraria mais alguns episódios, assim como o nascimento da filha do Diggle). Sua entrada repentina na luta ao lado do Team Arrow deu a sensação de "já vi esse filme antes", até que a grande surpresa estava, na verdade, no final do episódio. Uma voz não identificada a matou com flechadas, e seu corpo caiu em frente a Laurel. Ra's al Ghul é a aposta geral, o provável vilão dessa temporada. Mesmo não gostando da Sarah, sua morte veio como um choque para uma season premiere.

E para finalizar, a promo do próximo episódio:

  

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …