Sons Of Anarchy: "Playing with Monsters" 7x03 [Review]


E a última temporada de Sons of Anarchy continua morna e confusa. Mas, repito, ninguém duvida que momentos impactantes e sanguinários estão por vir, mas espero que não demorem muito.

O clube segue (e bem) com o negócio lícito, e a cena inicial demonstra isso muito bem. Com essa parte resolvida, acredito que não passarão dificuldades financeiras, como vimos em temporadas anteriores, Sons segue para dar desfecho aos personagens, mas já está passando da hora de alguns irem dessa para pior. 

É o caso de Juice, que faz hora-extra na série a pelo menos cinco anos, e sua partida ainda protela nessa temporada, tornando o seu núcleo monótono. Mas não duvido que o personagem ainda termine a série vivo, pois apesar de todos os desastres que causou, ele é um cara que tem um bom coração, ama o clube, daria a vida por ele, e isso pode aliviar um pouco a sua barra.

Ademais e a princípio, está foragido por ter traído Jax, num daqueles seus momentos de paranoia, e Jax e Nero já estão "amiguinhos" de novo. Seu deslize não trouxe grandes consequências. Mas Sons, por favor, não dê mais destaque para o personagem em sua última temporada, ele não merece tanto.


E o destaque maior nesse início de temporada continua sendo com Jax e sua vingança. Ele ainda quer vingar a morte de Tara, e pra isso está causando uma guerra na cidade, colocando negros, chineses e mexicanos numa grande confusão. Pensemos:

Jax, com o aval do clube, busca vingança pela morte de Tara, e os chineses foram escolhidos (por Gemma) para "pagarem o pato". Mas os negros não querem, interferiram no assunto, e Jax disse bem claro nesse episódio que agora é a vez deles, colocando negros contra negros, envolvendo mexicanos, e tudo mais. Uma grande confusão, que, poderá ser importante para a série se as gangues se matarem entre si, eliminando uns aos outros, mas isso não vai acontecer. Não sei se expliquei ou confundi vocês ainda mais, enfim. 

Sendo assim, acompanhamos momentos confusos nesse núcleo, mortes irrelevantes e uma trama que não é evoluída. E acrescentando, o episódio insere um caso familiar de uma funcionária da Diosa, momento que acabou arranhando a "doce e amada" (sqn) Gemma, culminando na fúria de Jax que termina o episódio esmurrando o imbecil causador do fato. Imbecil por tratar a sua filha daquele jeito, e mais imbecil ainda por receber Gemma na sua casa, imaginando que ela estaria dando em cima dele após ele ter a esbofetado. Esse mereceu apanhar. 

Mas um momento importante foi visto: a nova xerife entrando no jogo dos filhos da anarquia. Aquilo não me soou corrupção da delegada, acho que ela está fingindo estar agindo como os Sons quererem, para depois dar um traiçoeiro bote. Posso estar errado, mas ficaria surpreso com a nova xerife se bandeando tão claramente para o crime, logo no primeiro encontro com a turma.


Sim, continuo chato com a última temporada de Sons, mas não tenho e nem quero dar motivos para alarde. Claramente a trama não evoluiu muito, mas ainda sentimos um cheiro de batata assando. Acredito que o roteiro será fechado, trazendo impacto e a empolgação que acostumamos presenciar na série. Provavelmente justificará muitos desses momentos de marasmo e monótonos que estamos acompanhado, acredito piamente.  

Destaque para Abel, o garoto já cresce com péssimos exemplos que estão construindo sua índole. Abel deverá ser aquele que dará seguimento ao clube, fato abominado e responsável pela morte de sua mãe, Tara. 

Como já virou tradição, fecho a review do episódio com sua canção principal. Fiquem com "Paper Prince", música do cantor Vance.

  

Avaliação:
*****
Tecnologia do Blogger.