Falling Skies – 4x10: Drawing Straws, 4x11: Space Oddity e 4x12: Shoot the Moon [Review]


Chegamos a season finale e o que a série nos apresenta: praticamente mais do mesmo. Mas nem por isso podemos classificar como um episódios ruins, pelo contrário, tentaram resgatar o público descontente nesse encerramento.

Sabemos até aqui que a missão é ir até a Lua a bordo de uma das naves Espheni que está em poder dos humanos da 2ª Mass, mesmo sem saber direito como pilotá-la, mas eles, de alguma forma, continuaram tentando. Sabemos também que destruir os planos do inimigo no satélite natural da Terra faz parte da missão. Por outro lado, Lexi que está em treinamento com o “pai” dela alienígena começa ter um pouco de lucides sobre os acontecimentos e as consequências dela usar os poderes no lado errado da batalha.

Dessa maneira, mesmo Tom querendo ser o herói mais uma vez, o batalhão inteiro decide que farão um sorteio para saber quem serão os pilotos da missão à Lua, sendo que não sabem se a viagem terá um retorno. Num clima a la Harry Potter e o Cálice de Fogo, todos os candidatos colocam seus nomes no local para o sorteio. Muita ingenuidade do roteiro achar que a urna aberta sem ninguém vigiando não seria passível de trapaça, pois quem acha que o Pope não seria o primeiro a tentar isso, levante a mão. Dito e feito, ele até leva uma surra do Weaver, mas a justificativa dele é que ele queria tirar os nomes de Weaver e Tom Mason, alegando que eles são mais importantes vivos do que o próprio Pope.

Outro ponto desgastante do episódio foi o triângulo amoroso, onde Hal é chifrado a céu aberto. Mesmo com Ben extremamente arrependido, dá pra ver que ele sofre ao ver o irmão chateado com ele. Sempre foi visível que Ben gostaria de ser como Hal e as habilidades dos espinhos alienígenas foi a única maneira que ele conseguiu se destacar, pois a partir daí Karen acabou ficando atraída por ele. Mas curiosamente Hal diz que o perdoou. Será?



Os pilotos escolhidos para a missão foi o pai e filho Tom e Ben (lembram que eu mencionei acima sobre trapaças? Até a Anne sabe que ele trapaceou). Lembram também que mencionei o caso da Lexi? Ela viu a conversa entre os Gemini Espheni e mata seu “pai” alienígena e acaba salvando a 2ª Mass que seria atacada de surpresa. Agora resta saber se os sobreviventes aceitaram a ajuda dela nessa batalha final e também se Tom e Ben realmente conseguiram voar até a Lua para concluir a missão e salvar o nosso planeta.

Porém, para finalizar a temporada, os roteiristas parecem ter acordado definitivamente para a série. Por um momento, pensei que não fossemos ver explosões e batalhas ao estilo Star Wars entre naves sobrevoando a atmosfera terrestre. Pois o que vimos foi uma versão dos fatos que Lexi criou na mente de Tom Mason. Convenhamos que seria um final ideal, com todos perdoando Lexi e vivendo em harmonia, om a garota se tornando completamente humana. Mas Tom percebeu que isso estava bom demais pra ser verdade e começa a questionar-se se tudo aquilo era real ou não.

A partir daí que a verdadeira batalha começou. Mesmo com a ajuda da frota do pai deCohise e do sacrifício de Lexi que se jogou com nave e tudo para cima da fonte de energia Espheni na Lua (curioso ela falando que precisava se sacrificar e Tom concordar sem pestanejar), a nave em que Tom Mason estava foi arremessada para o espaço e dada como perdida.



Enquanto que na Terra, Hal começa a liderar o grupo para destruir o alienígenas que restaram, com a deixa de Tom acordando numa espécie de quarto terráqueo com uma versão alienígena da Lex? Essa foi a deixa que teremos que esperar pra ver na temporada final no ano que vem.

Tecnologia do Blogger.