The Blacklist: Balanço da 1ª Temporada


(Sem spoilers)

The Blacklist: o procedural que prende pela trama dos personagens principais. Esta foi a minha visão desta primeira temporada da série.

The Blacklist nos traz uma premissa diferente da maioria das séries policiais que conhecemos.  Um ex-agente do FBI, Raymond “Red” Reddington, que se transformou em um dos homens mais procurados do país, se entrega ao FBI e diz que vai ajudá-los a capturar os criminosos que colocou em sua lista negra. Mas faz uma exigência: dali em diante ele só vai falar com Elizabeth Keen, uma agente novata do FBI, alguém com quem aparentemente ele não tem nenhuma ligação.

Há muito tempo deixei de acompanhar séries policiais com exceção de uma por pura diversão (Rookie Blue – policial/drama), e quando The Black List surgiu me chamou a atenção pela descrição acima, com isso resolvi acompanhar e agora conto para vocês o resumo das minhas impressões.

Como já dito no primeiro parágrafo, a série é um procedural, pois a cada episódio a força tarefa do FBI vai à caça de um dos bandidos da lista negra de Reddington, porém com isso, vemos também mudanças nas vidas dos personagens, principalmente na relação entre Reddington e a agente do FBI Elizabeth Kenn, que é o que mais intriga dentro da trama.


O ator que interpreta Raymond Reddington (James Spader) é excelente, consegue deixar o espectador curioso sobre qual será o próximo de Red dentro do seu envolvimento com Elizabeth e os demais personagens. Envolvimento este que ocorre brilhantemente, diga-se de passagem.

Sobre Liz, Elizabeth Keen (Megan Boone), é possível dizer que por ser um dos personagens centrais na trama, ela não convence tanto como deveria. Senti falta de um pouco mais de expressão da atriz em várias cenas, principalmente nas mais dramáticas. Em relação aos outros personagens, temos algumas boas interpretações, e outras “mais ou menos”: destaque para o agente Donald Ressler (Diego Klattenhoff) que inicia a série sem muito brilho, mas depois recebe um bom destaque do roteiro.


O roteiro é bem construído, se a intenção for deixar o espectador sempre com perguntas. Este parece um pouco “bagunçado” as vezes, mas acompanhando os episódios, depois é possível ver que o mesmo retoma ao seu eixo principal.

Para aqueles que procuram algo diferente dentro do gênero policial, eis minha indicação: The Blacklist, que retorna com 2ª temporada no dia 22 de setembro.

Já está à venda o Box da primeira temporada da série, em DVD e Blu-Ray. Para mais informações acesse aqui

Tecnologia do Blogger.