True Blood: 7x06 "Karma" [Review]


Mais perdido do que cego em tiroteio.

Foi o que remeteu os primeiros minutos de True Blood. Eric finalmente punha as suas garras sobre Sarah, no episódio anterior, mas ela acaba fugindo (!), enquanto ele brincava de matar os orientais. Tudo bem que depois Eric ficou sem defesa, ao ver sua cria Pam ser pega por eles, mas Sarah fugir dali foi bem forçado, indo parar quase instantaneamente na casa de sua irmã. Ainda mais como todo mundo atrás dela. 

E na residência mencionada está a solução de todos os problemas de True Blood. Claro, principalmente com a nova "inquilina", Sarah Newlin. Nem drama a última temporada da série está conseguindo fazer, pois óbvio que uma cura iria aparecer, óbvio que Eric, Bill e Sookie não vão morrer com essa doença, faceta acrescentada futilmente na temporada e que ocupa tempo demais da série. Nem compensa comentar o "drama" do episódio, referente aos infectados, pois já já se livrarão disso.


Porém, confesso interessante Sarah ser o antídoto para a doença, pois inicia-se agora a caça à Bruxa, onde todos irão querer dar uma "chupadinha" na megera. Deve ser isso que fez sua irmã se curar, seu sangue deve curar os infectados, mas colocará dois lados em disputa: um que vai querê-la viva e outro que irá querê-la morta, e que esse plot venha para dar uma melhorada na temporada, que segue num marasmo infinito.

Jason segue com o drama de largar a vampiranha possessiva, larga e irá se dar mal, claro; enquanto o trio-loucura - Andy, Arlene e Holly - discutem a adolescência de seus filhos. E nesse meio temos Jessica, amor eterno de Jason que não fez nada mais do que chorar lágrimas de sangue pelo seu criador.

Pronto, gente. Fim do episódio. Uma hora para isso, uma sofrível hora.


Tá, claro, temos tivemos também, infelizmente, novas "emoções" do núcleo de Lafayette e  Lettie, com o Lafa caindo nas lábias da mocréia, se juntando a ela numa viagem profunda, rumo ao reencontro de Tara, a cavadora de buracos. Se isso vai dar em algo eu não sei, mas nada justificará o tempo que estamos perdendo com esse núcleo. 

Fatos positivos do episódio:
  • Não tivemos flashbacks!!! Yeahhhhhhhh! 
  • Bill no SUS vampírico. 
  • Fim. 

Avaliação:
*****
Tecnologia do Blogger.