Primeiras Impressões de The Leftovers, a nova série de Damon Lindelof

Uma premissa muito, extremamente instigante, mas muito mal aproveitada, pelo menos em seu episódio piloto. 

Foi o que os 70 minutos do episódio demonstraram. The Leftovers nos apresenta um fato curiosíssimo, mas quase que imediato nos transporta para a vida das pessoas que sofrem pela perda familiar causada pela anomalia, enquanto acompanhamos explicações do alarde através de noticiários que são exibidos em segundo plano.

A série perdeu uma grande chance de fisgar de cara o telespectador, pois reservou apenas míseros minutos para mostrar o caos que foi estabelecido pelo sumiço de 2% da população mundial, nos transportando para três anos após o incidente. Poderiam fazer desse momento algo cinematográfico, como LOST fez em seu piloto, reservando quase 20 minutos para mostrar o famoso desastre do avião, dando um cartão de visita belíssimo.

Lembro de LOST por The Leftovers ser uma série criada por Damon Lindelof, um dos principais responsáveis pelo desfecho polêmico da série, e que após quatro anos volta à TV, à frente de uma série de uma grande emissora, a HBO. Expectativas que possa repetir um belo trabalho sempre são geradas.

A série se passa na fictícia cidade de Mapleton, em Nova York, e nos mostra a vida das pessoas que sofrem até o exato momento com o desaparecimento de seus entes queridos. Durante a exibição somos levados ao caos estabelecido naquele fatídico 14 de outubro, mas apenas em relapsos, desapontando o telespectador que queria ver mais afundo o que aconteceu naquele dia.

É o que importa. Foi o que o piloto não mostrou. The Leftovers veio trazendo muito mistério, sem dar praticamente nada de indício. Ficamos confusos no episódio e nos perdemos facilmente. Os dramas são mostrados, os núcleos não misturados, e os personagens acabam se tornando irrelevantes e chatos, pois são acrescentados no momento errado, sem trazer quase que nenhuma relevância. 


Por muitas vezes se tornou monótona, arrastada, sem nexo. Muitos dramas sci-fi são assim mesmo, mas The Leftovers pecou em não mostrar o telespectador uma luz no fim do túnel, para que ele pudesse ir dormir pensando na série, tentando decifrar o acontecimento misterioso para que o instigasse a continuar vendo a série, consequentemente gerando ansiedade pelos próximos episódios.

Que serão apenas 10 em sua primeira temporada, fato que agrada, fato que demostra que não haverá tanta enrolação como o de costume. Pessoas importantes estão envolvidas nesse projeto, em uma emissora tida como a que exibe séries de grande qualidade, fatores que fazem com que tenhamos paciência, e que acreditemos nela.

Não podem instigar uma boa premissa e ficarem nos jogamos dramas irrelevantes e monótonos. Teve muito disso no episódio, e se continuarem com esse erro, se ficarem se baseando demais na vida das pessoas, a série dificilmente irá emplacar, pois os telespectadores estão cada vez mais impacientes e exigentes com os programas que são oferecidos. A produção mostra como as pessoas comuns reagem a acontecimentos inesperados, e revela como a tensão de uma calamidade imprevista pode transformar a fé das pessoas em cinismo, paranoia, loucura ou fanatismo religioso, mas a sinopse inserida nesse parágrafo é pouco para mantê-la no ar.


The Leftovers foi criada por Damon Lindelof (Lost) e pelo escritor Tom Perrotta (indicado ao Oscar® por Little Children; Election), com produção executiva do mesmo Lindelof e Perrotta, além de Peter Berg, Sarah Aubrey, Ron Yerxa, Albert Berger e Lesli Linka Glatter.

Avaliação:
*****

A HBO Brasil liberou o piloto de The Leftovers online. Clique aqui e assista 

Tecnologia do Blogger.