O Fim de "24: Live Another Day"


E foi mesmo 24 horas.

Se foi a boa e velha 24 horas eu não sei, confesso que vi apenas a primeira temporada da série, porém o fato fez com que assistisse a série com mais atenção, sem deixar o lado fã atrapalhar. Comecei a minissérie sem expectativa, e termino ela me tornando fã. Sorte minha que ainda tenho sete temporadas da série para assistir.

Mas isso não me impediu de ver a volta de Jack Bauer, pois a série traz quase que um enredo por temporada, e muito pouco é levado de uma temporada para outra. Como disse nas primeiras impressões, a minissérie tratou de dar um apanhado rápido do que ficou da temporada anterior, e já partiu para os novos trabalhos de Jack.

E para a minha surpresa, a série teve mesmo 24 horas. Imaginávamos que acompanharíamos apenas 12 horas da série, devido a redução de episódios, enfim, mas fomos surpreendidos logo no início do seu season finale, quando o locutor diz que os eventos terminam às 11 da manhã. Mas claro, dessa vez, Jack passou a madrugada dormindo, fazendo qualquer outra coisa, menos estando em ação.


Mas entre 22 e 23 horas as coisas pegaram fogo na série. A temporada veio excelente, do início ao fim, e teve a perspicácia de encerrar um excelente plot precocemente, para inserir outro com a mesma eletricidade. Nos despedimos de Margot Al-Harazi e seu fanatismo pela morte do presidente, trama que destruiu Londres e tirou a vida de milhares de pessoas, para chegarmos ao núcleo comandado pelo terrorista Cheng Zhi, que quase causou uma nova guerra mundial, porém causou uma importante e impactante morte: RIP Audrey.

Uma morte que chocou, e que deixou Jack ainda mais sem chão, sem muito pelo que lutar. Uma morte praticamente assinada por Mark, genro hipócrita que teve e muito sangue derramado em suas mãos, e um merecido fim. 

Mas a temporada foi repleta de revira-voltas. Uma núcleo foi emendado perfeitamente em outros, fazendo com que todo o enredo fosse empolgante, eletrizante, espetacular. Claro que tivemos aqueles momentos que tudo (ou quase) era resolvido "magicamente", após Jack achar um improvável telefone com todas as informações, enfim, mas tudo isso são coisas típicas de séries ou de filmes de ação, e na maioria das vezes se tornam irrelevantes.


E ação não faltou. A maioria dos episódios foram repletos de ação, tensão, emoção. A temporada foi daquela que, mesmo estando muito cansado, com sono, consegue facilmente se conectar ao episódio, e o sono vai embora instantaneamente. O roteiro de prendeu muito e a expectativa e ansiedade pelos próximos acontecimentos foram imensas, fato que empolga o telespectador, um dos aspectos mais importantes de qualquer série.

E "Live Another Day" não foi o fim de Jack. Ele termina como deveria, preso pelos russos. Londres é passado, e os produtores deixaram claro que tem muitas histórias ainda para contar, transparecendo que 24 horas é uma série sem fim. Mas também, nove temporadas foram nove dias, imagine o que Jack Bauer faz em suas horas vagas... (rs). 

A audiência da temporada não foi lá grandes coisas, mas também foi exibida na summer season, época de vacas magras da TV americana, mas não há dúvidas que ainda veremos Jack pela frente, até, definitivamente, acabarem de vez com a vida do imortal. E não são loucos de fazerem isso tão cedo. 

Avaliação:
*****

Tecnologia do Blogger.