Falling Skies: “The Eye” – 4x02 [Review]


Pode ser apenas o segundo episódio, mas acho que a série ainda não mostrou a que veio nessa temporada. Vamos ser pacientes e aguardar pra ver se os roteiristas nos surpreendem. Separa o elenco por núcleos pode ser uma boa estratégia para ampliar os horizontes da história, pelo menos estou confiante nisso.

Vimos mais uma vez Tom Mason desafiando o inimigo dando a cara a tapa e extremamente confiante de que não seria morto por eles após se oferecer para subir na nave provando que ele era o Ghost, que os Espheni tanto queriam capturar. Sinceramente acho que eles poderiam manter esse mistério deixando pistas nos episódios, mais ou menos como fizeram na temporada anterior.

Além disso, os mistérios dos poderes de Lexi vão sendo revelados aos poucos, com o seu irmão Bem ajudando nesse quesito. Vimos ainda Matt provando que é um Mason e não se calando na suposta escola que treina as crianças para servir aos Espheni, e ainda, Anne na sua busca insistente para encontrar a filha.


Outra novidade da série foi o tal híbrido que foi citado nesse episódio. Uma nova história pode se desenrolar a partir daí, que poderá explicar também o destino da Lexi, que tem o envelhecimento acelerado. Enquanto isso, Tom trabalha com os demais para descobrir uma forma de desligar o campo de energia que os prendem, se deixando levar para a nave inimiga para descobrir a fonte que liga tudo. Por outro lado, mesmo sem querer, o Coronel Dan e Pope descobrem túneis por onde os inimigos transitam o que pode levar a uma rota de fuga para os humanos. Eles precisam sair de lá logo, pois uma grande batalha se aproxima, segundo os Espheni.

Agora os humanos tem as armas e estratégias em mãos, com uma pseudo armadura que poderia passar pela cerca, para auxiliar na fuga. Pelo menos no campo em que grande parte da 2ª Mass encontra-se. Após, encontrar os demais, seria outra história.

Agora precisamos ver qual o rumo que história tomará.

Tecnologia do Blogger.