Especial: Preciso de uma série


Preciso de uma série.

Preciso de uma série que seja realmente uma série, e não esse amontoado de programas que só trazem o mais do mesmo, e muitas vezes piorado. Daí você indica The Walking Dead, uma série que teve tudo para ser essa série que procuro, mas que após quatro anos trouxe mais morosidade e monotonia do que qualquer outra coisa.

Preciso de uma série que faça-me perder compromissos, noites de sono, que faça-me deixar minha vida social de lado para assisti-la, que faça o tempo voar - e os quarenta e poucos minutos dos episódios, não sejam sentidos - e que a semana de espera para o próximo episódio não seja apenas sofrida, mas sim aterrorizante, devido à grande ansiedade que a série proporciona.

Como foi LOST, uma série que teve todos esses quesitos, que nos deixou loucos por esperar novos episódios, temporadas, que fez com que imediatamente após a exibição dos episódios, corrêssemos para a internet para debates, ler reviews, ouvir podcasts, enfim.

Preciso de uma série que no momento em que eu olhar no relógio, às duas da manhã, tendo que acordar às sete, decida assistir "só mais um". Você terá menos tempo de sono, mas os minutos que gastar assistindo o episódio, compensarão o seu cansaço devido ao sono perdido, no dia seguinte.

Como foi Prison Break, principalmente em sua primeira temporada, talvez a melhor primeira temporada de todos os tempos de todas as séries. Ficamos agoniados com os planos de fuga de Michael Scofield, e com o desenvolvimento de toda a trama em Fox River. A série até caiu um pouco nas temporadas seguintes, mas era impossível manterem o mesmo nível. Mesmo assim, uma série como essa, com aquela temporada, apenas necessito.

Então você indica Game of Thrones e True Detective. Séries indiscutivelmente belíssimas, mas não é a série que procuro. Ambas são séries de qualidades, com produção impecável e elenco idem. Mas Game of Thrones ainda continua com episódios com altos e baixos, com aqueles excessivos diálogos irritantes e cansativos, que não levam a nada, guardando o que tem de melhor para os seus últimos minutos, e muitas vezes eles não vêm. True Detective, da mesma forma, não impacta, leva bem a sua história mais não traz nenhum dos sentimentos perseguidos em nenhum de seus oito episódios.

Preciso uma série como Breaking Bad foi, que tem os mesmos excelentes quesitos técnicos de True Detective e Game of Thrones, mas que traz algo que falta nelas: vício. Unir os belíssimo quesitos técnicos (produção, fotografia, trilha sonora, elenco, enfim) com uma trama viciante, envolvente, impactante, que te deixa louco, te leva ao desespero... que ainda te levou para a internet para debatê-la, buscar easter eggs, não como LOST fez, mas como um drama "não-sci-fi", talvez, nunca tenha feito.

Daí você indica The Good Wife, uma belíssima série, uma das melhores da atualidade. Mas a série demora e muito ficar "belíssima". Talvez após o fim da 3ª temporada. Nunca deixou de ser uma boa série nesse início, mas apenas boa. Então até ficar espetacular, viciante, impactante, do jeito que um viciado em série merece, você tem que passar por, sei lá, 60, 70 episódios de quarenta e poucos minutos. Isso é uma vida, amigos. 

E como ouvimos dizer que tal série "melhora após a terceira ou quarta temporada". Você perde uma vida até ser recompensado. Se é mesmo recompensado. 

Preciso de uma série como Fringe foi, que trouxe muito do que LOST trouxe, mas seguiu o seu próprio caminho, reunindo uma base fiel de fãs que manteve-a no ar por cinco anos, mesmo que sua audiência, a todo momento, indicasse cancelamento sem final. Uma das séries mais injustiçadas da TV, mas que trouxe grande privilégio para quem a acompanhou.

Preciso de uma série que faça-me honrar o termo "Viciado em Série", e que traga, reitero, impacto, ansiedade (verdadeira), que te faça - mesmo - passar mal (bem) assistindo-a, e não esse amontoado que tem por aí, que tirando raríssimas exceções (digam-me elas), podem ser jogadas na lata de lixo.

Quanto mais séries novas assisto, mais sinto saudade das velhas.

Tecnologia do Blogger.