Pular para o conteúdo principal

The Tomorrow People: 1x19 “Modus Vivendi”, 1x20 “A Sort Of Homecoming” e 1x21 “Kill Switch” [Review]


1x19 “Modus Vivendi”

O clima de season finale está mais do que evidente nessa reta final de temporada da série, que ainda não sabemos se ganhará uma segunda temporada. Um episódio muito bom por sinal, suspense a altura do que o telespectador merece.
Essa reviravolta na trama fez com que John e Jedikiah voltassem a trabalhar juntos como no passado, mas agora sem o clima harmonioso. Não há dúvidas, que apesar de todos os acontecimentos, o relacionamento deles poderia ser comparado ao de um pai e filho. Ambos precisam trabalhar juntos para salvar a vida de Roger. Um peso para John pelo que fez no passado e mais ainda a Jedikiah, por ter obrigado John a fazer o que fez. Enquanto isso, Cara supostamente aceita a trégua proposta pela Ultra e envia Russel e alguns The Tomorrow People para averiguar o fato na sede do inimigo.
Outro ponto alto do episódio foi o envolvimento entre todos os The Tomorrow People em salvar Roger, o possível salvador para eles. O desespero de Jedikiah em salvar o irmão que estava em pela criogênia quase foi abaixo, quando agentes da Ultra invadem o esconderijo dele e quase matam a todos senão fosse pela ajuda de John. Após, Jedikiah e John vão para o subterrâneo e com a ajuda da mãe de Stephen, tentam manter o corpo de Roger vivo.
Apesar de estar se relacionando com Stephen, prometendo ajudá-lo e tudo mais, Hillary parece estar ainda do lado do O Fundador e também despertou uma crise de ciúmes em Cara. Resta saber se ela decidiu em qual lado ficar, pois ao contrário de Stephen, ninguém consegue levar uma vida dupla nessa série.
No final do episódio e com a ajuda de Hillary, Stephen usa a máquina do Ultra, vai até o limbo e consegue trazer o seu pai de volta.


1x20 “A Sort Of Homecoming”

Após um excelente final no episódio anterior com a morte de Hillary, Stephen tenta ver se realmente ela conseguiu matar o Fundador e percebe que a morte da sua amada foi em vão.
O retorno de Roger proporcionou uma integração da família de Stephen, o que levou Luca e a mãe dele a viverem nos subterrâneos também, com medo da Ultra fazer algo contra eles, agora que sabem que Roger está vivo.


Acho engraçado quando a série resolve dar destaque a figurantes dos The Tomorrow People, principalmente quando a personagem é chata como a Emily. Enfim, eles acompanharam Russel até a sede da Ultra e deixaram, isso mesmo, deixaram que o inimigo injetassem um líquido suspeito neles.
John, que ainda sente remorso por ter feito o que Roger, é desafiado para uma luta com o seu antigo mestre. John perde e Roger vai à superfície junto com Stephen para destruírem a máquina da Ultra que pretende matar a todos os humanos. Mas John não deixa que isso aconteça e se arrisca no lugar de Roger. Hillary tenta ajudar Stephen, mas ele descobre que ela sabia da armadilha que os esperavam e briga com ela.
No meio da briga, John é levado pela Ultra. O Fundador tenta aplicar o líquido que tira os poderes nele, mas quase a Ultra inteira veio abaixo. O poder grandioso de John resistiu até os últimos minutos, mas parece que fez efeito e se foi. Além disso, após Stephen achar que foi traído por Hillary, a garota toma uma atitude ousada. Vai até o Fundador com uma bomba presa ao próprio corpo e explode na frente dele.


1x21 “Kill Switch”

Obviamente, o grande vilão da trama não morreu no episódio anterior, mesmo depois do ato heroico de Hillary tentando provar o seu amor por Stephen. E para ajudar na trama, os TTP tem que escolher um lado: ficar do lado de Roger ou do Fundador.
Lembram do líquido que a Ultra aplicou em Russel e companhia quando visitaram a sede da Ultra? Pois agora descobrimos que ele implantou uma espécie de bomba relógio neles e os ameaça: caso eles não tragam Roger até a sede da Ultra, cada um deles morrerá com apenas um clique em seu computador.


Cara e Stephen convencem a todos que acharão uma solução para impedir que eles morram e que não precisem entregar Roger para o inimigo e assim, eles impedirão que toda a raça humana seja extinta. Para isso, Jedikiah e Irene trabalham juntos para descobrir uma forma de salvar seus amigos.
John, que agora descobriu ser humano vai embora do subterrâneo, rejeita Cara e procura Astrid. O que já era esperado acontece e ambos começam a se envolver com o discurso de que não precisam de super-poderes para salvar um ao outro.
Nesse meio tempo, Jedikiah e Irene descobrem que uma forma de estarem um passo a frente do inimigo é invadindo uma base militar para desativar o satélite. Stephen e Cara vão até lá, revelam seus poderem para o exército, que de alguma forma já sabe da existência dos TTP e explodem os computadores que possibilitavam o Fundador matar a galera do subterrâneo.
Russel, que ficou de líder na ausência de Cara, mostrou-se completamente influenciável ou Emily se mostrou a personagem mais irritante desde que ganhou falar há dois episódios. Ela convence a todos que devem entregar Roger à Ultra e uma luta começa no subterrâneo com todos contra Roger. O Salvador quase perdeu feio se não fosse pela ajuda da sua mulher Marla que, mais uma vez, se mostrou muito poderosa e praticamente peitou todos os TTP sozinha, caso Emily não tivesse ameaçado Luca.
Sendo assim, Russel, Emily e os demais levam Roger até o Fundador, que revela que não tem como tirar a bomba deles, pois não tem mais acesso ao controlador. Gostei disso, é uma forma de vingança contra Emily, Russel e os demais que não estão nem aí pelo visto, da raça humana ser extinta.
No laboratório, quando Irene descobre como gerar pessoas com poderes dos 3T’s, Jedikiah percebe que ela resolveu o problema que ele tenta desvendar há mais de 20 anos e consegue aplicar uma fórmula no corpo dele ganhando poderes. Pelo visto ele não será um vilão qualquer. Se Jedikiah humano já era difícil de segurar, imaginem um Jedikiah com poderes.
O Fundador coloca Roger na máquina. Será esse o fim da raça humana?


Postagens mais visitadas deste blog

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …