The Originals: “From A Cradle To A Grave” – 1x22 [Review]


E, finalmente, Klaus entende e reconhece a importância da Família.

Após um bom começo, alguns tropeços e ótimos acertos, o final da temporada de estréia de The Originals foi simplesmente perfeito, nos deixando com o coração cheio de emoções: tristeza, alegria, amor, raiva, vingança... Sentimentos trazidos à tona no episódio “From A Cradle To A Grave” que reafirma que a série é sobre a Família e a importância de mantê-la unida e segura.

Começando com um flashback mostrando um momento descontraído entre Hayley e Klaus (algo raro!), logo vemos os desdobramentos do final do episódio anterior: Hayley prestes a dar à luz, cercada pelas bruxas, enquanto Klaus a procura, debilitado pela magia que o ligou aos novos lobos do pedaço, Francesca e os Guerrera. Num ótimo trabalho de edição, acompanhamos o momento de amor de Hayley para com a filha intercalado ao sofrimento que ela estava enfrentando no momento do parto. Emoção pura!


A entrada de Klaus na igreja foi triunfal (ele arrancando a cabeça foi incrível) e o jeito que foi dominado pelas bruxas, sendo obrigado a ver o sofrimento de Hayley foi angustiante. Uma lobinha híbrida nasce e, ao ser colocada no colo da mãe, Monique corta o pescoço de Hayley e quebra o pescoço de Klaus. Nessa hora, abri a boca e não consegui fechar, incrédula com o que estava vendo.

As bruxas seguem para o cemitério enfeitiçado para consagrar a bebê aos ancestrais. Enquanto isso, Cami encontra Marcel e os vampiros debilitados pelas mordidas dos lobos. Davina aparece e, usando o sangue de Klaus derramado na luta contra Marcel, consegue curar Josh. Cami mostra aos dois o que o padre gato guardava: um verdadeiro arsenal, que será utilizado por Marcel e Davina (a bruxinha consegue trazer papai original de volta).

Elijah encontra Klaus com Hayley morta no colo e ambos partem pra encontrar a bebê e protagonizam uma das mais belas cenas entre os irmãos: Elijah se abrindo como nunca havia feito antes, contando sobre o amor que sente por Hayley e culpando Klaus por tudo que está acontecendo; contudo, o híbrido original promete que eles ficarão juntos para cuidarem da bebê. Sem sucesso para encontrá-la, são surpreendidos por Hayley viva e em transformação (ela morreu com o sangue da bebê vampira no organismo e agora precisa do sangue da filha para completar a transição e se tornar híbrida). Seguindo os instintos de mãe/loba/quase-vampira, Hayley consegue encontrar a bebê no momento do ritual. Monique e a bruxinha avulsa lutam contra eles, enquanto Hayley briga com Genevieve, prendendo-a. Klaus consegue matar a bruxinha avulsa e, quando Monique ia matar a bebê, Marcel surge e dispara contra ela a Estrela do Diabo, causando mil cortes na bruxinha má do Oeste. Viva! Adeus Monique. Nesse momento quase não me contive de emoção!

Voltando ao episódio, Marcel rapta a bebê tentando atrair Klaus para salvar os vampiros, mas ele chega tarde demais, encontrando todos mortos (papai original estava com fome!). Adeus Diego e muitos vampiros avulsos. Com a “irmã” no colo (afinal, Klaus o criou), Marcel pede desculpa para Klaus por ter trazido Mikael a cidade, apenas para ser perdoado por ter salvo a filha original. Os dois fazem as pazes e Marcel, chorando, bebe o sangue de Klaus para se curar.

Hayley e Elijah interrogam Genevieve e descobrem quem era a bruxa que exigia a morte da bebê original: Esther Mikaelson. Nota direto de The Vampire Diaries: Esther criou os filhos vampiros porque os amava e não queria perdê-los; quando percebeu o erro que havia cometido (afinal, vai contra as leis da natureza!), ela transforma o marido em um vampiro caçador de vampiro, em especial dos seus cinco filhos, os quais só podem ser mortos por uma arma em especial, uma adaga feita da árvore de Carvalho Branco. Quando papai original falha em matar os filhos e Esther volta à vida, mamãe original arma um plano para matar a si e aos filhos; o plano dá errado e Esther e o filho Finn morrem.).

Voltando pra The Originals. Quando Genevieve começa a sangrar (seria morte semelhante à de Sophie), Hayley a atinge com uma faca e a corta, observada por um incrédulo Elijah (momento Rick Grimes da Hayley. Uau!).


Enquanto Hayley nina a bebê, Klaus e Elijah conversam sobre não terem percebido a participação da mãe em toda a história (viu Elijah, você culpou Klaus mais do que ele merecia!), eles percebem que a bebê nunca estará a salvo ali com eles – afinal, ela é filha do híbrido original, perseguida pela vovó mega bruxa e descendente da realeza dos lobos - e bolam um plano para esconderem a bebê. Com a ajuda de Marcel, eles conseguem convencer a cidade toda, em especial um incrédulo Oliver, que a bebê está morta, enquanto Klaus entrega sua filha para a única pessoa em quem ele confia: Rebekah. A “louca tia Bekah” volta e protagoniza uma comovente cena com Klaus, que se despede da filha prometendo encontrá-la, após exterminar todos que a querem mal. Hayley pode não estar com a filha, mas o desejo dela que a filha seja amada e protegida será realizado por Rebekah, que promete cuidar da sobrinha e quem sabe conseguir uma casa com cerca branca (Rebekah, eternamente sonhadora).



Se o episódio tivesse terminado aqui, seria perfeito. Mas, já que estamos falando da CW, tem que ter um plot twist no episódio, certo? Eis que surge no cemitério uma garota branca e um rapaz negro, que a chama de mãe, deixando uma flor no túmulo de Esther Mikaelson. No episódio que Klaus se tornou pai e descobriu o poder da família (ele, ao lado de Hayley defendendo a casa foi emocionante), papai Mikael e mamãe Esther voltam para atormentar os Originais.


Além de tudo isso ainda teve Klaus dispensando Cami, pois teme que ela seja perseguida por estar com ele (ai que dó do híbrido original... acho que ele realmente gosta da loirinha) e Davina provando que não é tão bobinha; afinal, ela trouxe Mikael de volta como uma arma secreta e, por isso, pode controlá-lo do jeito que ela quiser (dá-lhe Davina!).

A segunda temporada promete ser explosiva: Klaus jurando vingança contra as bruxas e os lobos, aliado ao irmão e a Marcel e Hayley se tornando uma híbrida mais forte (se ela já era brava antes, imagina agora!), enquanto os lobos procuram dominar a cidade (Francesca, aliada aos lobos Crescentes e aos humanos). Esta série não é só mais uma promessa; ela tem algo especial que nos prende, melhorando a cada episódio.

Momento Mãe: Hayley virando o rosto quando Elijah fura o dedo da bebê para que ela possa se alimentar e completar a transição.

Momento Irmão/Irmã: Klaus confessando pra Rebekah que, apesar das diferenças entre eles, ela é a única pessoa a quem ele confiaria a guarda da filha.

Criança Esperança: Hope.

Até a próxima temporada!
Tecnologia do Blogger.