Pular para o conteúdo principal

Cinema: O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro

E finalmente o 'Espetacular Homem Aranha' faz jus ao seu nome.

(Com spoilers)

Nada apagará a fraca volta do super-herói aracnídeo, quando começou a recontar a sua história em filme que não acrescentou nada, que veio apenas para nos mostrar o 'mais do mesmo' da franquia, e feito de forma decepcionante. Marc Webb tinha a difícil missão de 'rebootar' a trama, em um filme com um protagonista desconhecido, e os erros do primeiro filme não foram (todos) repetidos no segundo filme.

E nisso porque o longa se descolou da última trilogia e seguiu um caminho próprio, ousado e até mesmo inovador. 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro' veio para dar continuidade ao cotidiano do aracnídeo, além de colocar obstáculos bem maiores para serem superados. 


Acompanhamos o surgimento de três vilões, e como é de praxe, vieram de 'amizades' de Peter Parker. Claro que aquele típico clichê de tentar persuadir o inimigo com o sentimento foi usado, mas dessa vez não funcionou. Os vilões, os bons, é parte importante dos filmes de super-heróis, pois os problemas cotidianos da humanidade são facilmente resolvidos por eles, e o segundo filme dirigido por Marc Webb soube valorizar essa parte.

Electro, vilão que dá erroneamente sobrenome ao filme (usado apenas no Brasil), foi um bom vilão mas não foi o principal. Trouxe grandes problemas e destruição para a cidade de Nova York, foi detido com alguma dificuldade, mas foi apenas o prato de entrada para o jantar do Homem Aranha. Criado a partir de uma pessoa simples, humilhada, vivida pelo ator Jamie Foxx, 'Electro' passou demonstrando super-poderes que serviram de entretenimento para o público, mas ineficaz para derrubar o Homem Aranha, pois foi usado atabalhoadamente e sem grandes propósitos.

Porém Parker teve muita dificuldade para detê-lo, e teve que 'aceitar' a ajuda de seu amor, a linda Gwen Stacy, que teve que relembrar as aulas de física para ajudar o Homem Aranha a derrotar Electro


Mas a grande batalha ainda estava por vir, após a criação de Green Goblin, um mostro criado a partir de seu amigo Harry Osborn, que estava a beira da morte. Usando um motivo fútil de vingança, a batalha foi dolorosa, difícil e que terminou mal para o Homem Aranha. Venceu a batalha, mas não a guerra, e pra piorar, teve uma grande perda: Gwen Stacey, a jovem que entrou na luta com Parker, não conseguiu ser salva pelo aracnídeo.

O filme ousou com a morte, mas pecou em anunciá-la previamente. O roteiro deixou claro que ela iria morrer, após o anúncio que Parker se mudaria com ela para a Inglaterra. Isso nunca iria acontecer, e a partir desse momento a sua morte estava decretada.

Outro momento baixo do filme foram as excessivas tentativas dar humor à trama. Claro, isso é praxe na história da franquia, mas dessa vez não foi bem feita. Poucos momentos tiveram alguma graça, e a grande maioria não teve graça alguma, e a reação da plateia no cinema prova a minha colocação.


A super-produção, mais uma vez, foi o ponto alto do filme, típicos dos filmes da Marvel, principalmente, claro, nas batalhas, porém os ângulos de câmera e a fotografia são dignos de destaque. Dessa vez o 3D ajudou a super-produção, e as mais de duas horas usando o incômodo óculos valeram a pena. Em praticamente todos os momentos do filme, a super-produção poder ser acompanhada, ilustrando muito bem o voo e as batalhas do Aranha.

E como esperado, o filme deixa um gancho para os filmes que virão pela frente, pois o vilão Green Goblin não foi totalmente derrotado e voltou a aprontar, tirando o Homem Aranha de seu luto. A faceta pode e vai dar grandes momentos no próximo longa, fazendo que o adjetivo 'Espetacular' seja mais uma vez bem usando quando se trata dos filmes do Homem Aranha.

Avaliação:
✰✰✰✰

Postagens mais visitadas deste blog

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Confira as 5 séries mais vistas na Netflix pelo mundo

Nos últimos dez anos, a Netflix transformou a forma como o mundo assiste filmes e programas de TV, fornecendo aos assinantes uma enorme biblioteca de clássicos convencionais  e dezenas de recomendações personalizadas - tudo disponível na ponta dos dedos. Isso é mais do que apenas conveniência,  é a metamorfose da mídia.
Usando os dados do Google Trends, o site highspeedinternet.com classificou os países pelo número de pesquisas relacionadas à Netflix e referenciou as suas classificações com as séries mais procuradas. No mapa acima você confere qual é a TOP de audiência em cada país, e, abaixo você confere quais as 5 séries mais procuradas no serviço de streaming.
TOP 5:

1 - Sherlock
2 - Friends
3 - Narcos
4 - House of Cards
5 - New Girl

TOP 5 Séries Melhores que Game of Thrones

— Vikings: "Gosto de Game of Thrones porque tem muita luta medieval, sangue..."

As lutas medievais de Vikings são muito mais intensas, extremamente constantes na série. A série também vem de uma adaptação, só que dá história da humanidade, quando exploradores, guerreiros, comerciantes e piratas nórdicos invadiram, exploraram e colonizaram grandes áreas da Europa e das ilhas do Atlântico Norte a partir do final do século VIII. A série também é muito mais viciante, sem a morosidade de diálogos vistos na série da HBO.

— Banshee:  "Gosto de Game of Thrones porque tem muitas cenas de sexo e nudez"

As cenas de sexo de Banshee são extremamente mais explícitas. Nudez é cotidiano na série, inclusive nudez frontal. E a nudez de Banshee não são como em Game of Thrones, que praticamente mostra a nudez de prostitutas, personagens secundários. Em Banshee os atores principais estão nessas cenas. Banshee também ganha no quesito violência, sangue, ação, além de ter roteiro original.

— …

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…