Bates Motel - 2ª Temporada

Bates Motel caiu no velho problema dos prelúdios: não poder avançar tanto com a história.

Começamos a segunda temporada com Norman confuso, de luto pelo o assassinato de sua professora, Blaire Watson, e só fomos ter o desfecho dessa situação 10 episódios depois, jogada escolhida para fechar sem brilho o segundo ano da série. 

Bates Motel inseriu alguns núcleos durante a tal trama 'principal' que mencionei, mas o que vimos foi diversas histórias que serviram apenas 'encher' a temporada, sem grandes momentos ou empolgação. Deveriam servir para sustentar a trama que envolve o desenvolvimento do psicopata que Norman se tornará, mas foi um apanhado de clichês que trouxeram tédio ao telespectador.

Começamos com o promissor plot de Bradley Martin, o 'amor' de Norman que foi-se embora da série após matar o magnata 'assassino' de seu pai. Essa foi a sua única função, que originou a inserção do personagem Zane na série, que parecia promissor, mas que se tornou decepcionante. Da mesma forma que sua irmã, ambos que foram mortos bisonhamente no season finale da série, em uma das cenas mais grotescas mostradas na TV.


Zane entra na casa de sua irmã atirando em tudo e em todos, atira nela por impulso, mas não tem o mesmo impulso quando chega a frente de Dylan, proferindo aquele velho e chato discurso de morte, para depois receber o mesmo discurso de Romero, empobrecendo e denegrindo a cena. Lamentável. 

Nick Ford foi outro personagem que chegou promissor e foi embora de maneira decepcionante, sem acrescentar muita coisa para a série. Uma magnata da cidade, daqueles que mandava prender e soltar, teve que apelar para uma chantagem, prendendo um adolescente em um buraco para que seu irmão fosse forçado a matar Zane. Acabou morto por Dylan, o maior assassino da série, acobertado pela "lei".

Emma, Cody, personagens que passaram a temporada sendo insignificantes: ambas querendo fazer parte da 'família' dos Bates, mas esbarrando a velha e super-protetora Norma Bates. Aliás, a situação ilustra muto bem a personagem do filme que deu origem ao prelúdio. Apesar de ser um pouco 'meloso' de mais, a personagem é o ponto alto da série, protagonizando 100% dos melhores (e piores) momentos.


Contudo, Bates Motel é sempre aquela série promissora, aquela série com potencial, que poderá trazer grandes momentos a qualquer hora, mas esses grandes momentos - que acompanhamos na primeira temporada - não foram mostrados nessa, pois nitidamente os produtores pisaram feio no freio, e sem olhar no retrovisor.

Avaliação:
***** 
Tecnologia do Blogger.