Arrow 2x23: Unthinkable [Review - Season Finale]

                                            Retomar o hábito de matar...a escolha da noite?

A primeira metade do episódio, nada demais; o retorno de Nyssa já era esperado por muitos. Mas a segunda metade, digna de season finale. Quem apostou na morte de Sara para Laurel se tornar a Canário? Quem achou que Laurel fosse o grande amor de Oliver? Quem esperava uma reconciliação entre Thea e Roy? Para essas e muitas possíveis outras perguntas: você achou errado!


De início, a continuação direta do episódio 22 foi tranquila: Roy acordando (e curado), Malcolm vivo (claro) e um típico show do glorioso Team Arrow, na fuga auxiliada pela Mrs. Diggle. Partimos então para Malcolm Merlyn e seu colete de kevlar, enquanto tentava convencer Thea (sem sucesso, a priore) a ir embora com ele, seu pai protetor. A herdeira dos Queen o rejeita mais ainda ao receber a ligação de Roy e ir até ele. O momento "love" foi fofinho, mas não duraria muito; ao achar as flechas do namorado, ela volta para o pai, deixando de ser Thea Queen. A personagem promete um forte crescimento para a próxima temporada. Quanto ao Roy, ganhou até máscara! E quanto ao Malcolm, acho que esse episódio deixou bem claro que vilão bom não morre.

Enquanto ocorria a luta entre exércitos, Nyssa fornecendo seus homens da Liga dos Assassinos (mais um ponto bem amarrado na temporada) e até matando (finalmente) Isabel Rochev, Oliver fica sabendo que Slade capturou Laurel, a mulher que ele ama, ou assim todos pensavam. Oliver Queen é um homem de muitas mulheres, isso é fato, mas o que viria a seguir deixou todos que shippam "Olicity" de queixo caído e talvez até com lágrimas nos olhos. Ollie corre para sua mansão com Felicity, que recusa proteção e quer estar na batalha, ajudando o time. Mas é ela a mulher que ele ama e quer proteger de Slade. Posteriormente, descobrimos que a cena fez parte de um plano para deter o vilão... fim da magia? Mesmo tudo sendo um plano e ter nos enganado, e enganado a pobre Felicity por uns instantes, aposto que teve um fundinho de verdade ali. Laurel pode ser o grande amor, mas amiga como a Felicity, não há. Esse foi o grande primeiro momento dessa season finale.


Quando Slade finalmente entra em cena, o episódio dispara. O incrível Manu Bennett já estava deixando saudades antes mesmo do episódio chegar ao fim. E a grande questão era se Oliver o mataria ou não. Como foi brilhantemente dito, Slade o transformou em um herói. Pronto, o vilão permanece vivo, preso porém, não apenas atrás das grades, mas sim na mítica ilha! Isso foi bem surpreendente e mal posso esperar para revisitar toda essa trama ilha/Slade que, creio que agora ficará um tempinho "de molho". E não poderia deixar de citar a genialidade das lutas entre Oliver e Slade: os momentos tão aguardados, a batalha final e a batalha na ilha da flechada no olho passando simultaneamente para o público.

Novos problemas surgirão, como Oliver em Hong Kong e a cada vez mais presente Amanda Waller; Oliver e Diggle tendo que lidar com a paternidade (fiquei muito feliz pelo Dig, mesmo achando o drama do drone totalmente desnecessário); Thea tomando novos rumos e Malcolm sempre uma incógnita; e por último, mas não menos importante, a Canário, agora na pele de Laurel, como nas histórias originais das HQs. Não tivemos nenhuma morte...ainda. Detetive Lance é a grande dúvida para o início da próxima temporada. É um personagem que foi conquistando fãs ao longo do tempo e deixaria muita gente triste se partisse.

Infelizmente, não temos promo dessa vez, e entramos no terrível hiatus entre temporadas. Durante esse tempo, as expectativas ficam em dobro, com Arrow e nosso querido Barry, o Flash!

           

Muito obrigada aos que acompanharam as reviews, e até a próxima temporada!
Tecnologia do Blogger.