The Walking Dead: "A" 4x16 [Season Finale]


E a história se repete: "Bem vindo à Woodbury". "Bem vindo ao Terminal".
 "Maldito o homem que confia no homem. (Jeremias 17:5)  

Em um mundo devastado, sem leis, os maiores obstáculos são os humanos. Não deveria ser, mas é. Os walkers são meros retardatários, e Rick e sua turma deveriam saber disso. Ir em busca de alma caridosa naquele mundo é suicídio. Já passaram por isso e passarão novamente. Mas uma coisa certa foi dita, por Rick, fechando a 4ª temporada: "Estão mexendo com as pessoas erradas".

E eles são ossos duros de roer, sem dúvida. O episódio trouxe um momento tenso, daqueles que não nos dá nenhuma dica de como irá terminar, e se tornou crível para o telespectador. Rick destrói os novos "amigos" de Daryl, em uma cena que amarrou bem a trama do quarteto, reunindo novamente os melhores personagens da série, e de quebra, dando ao telespectador uma cena de tirar o fôlego.

Uma dentada mortal. Rick destruiu a artéria carótida de Joe em um único e improvável golpe. Tão improvável que deixou os seus capangas perplexos, uma 'deixa' que Daryl e Michonne precisavam para virarem o jogo. Se saíram bem, um pouco forçado, mas aceitável. Uma cena que, além de servir para os objetivos já mencionados, foi importante para justificar a estrutura adotada pelo episódio, onde mesclava o passado e o presente dos sobreviventes.


Mas o passado só serviu mesmo para "encher linguiça", apesar de ter nos dado a chance de matar a saudade de alguns personagens que não fazem mais parte da série, principalmente de Hershel.

Turma unida novamente, sigamos para o Terminal. Diferente da primeira e inocente turma, os comandados de Rick entraram pelo fundos: "Queríamos vê-los primeiro". Muito bom, justificando o personagem e a liderança de Rick, que, logo mais desmascarou a turma do "Me engana que eu gosto". Uma jogada perspicaz, típica do personagem, mesmo os deixando completamente vulneráveis. Só não morreram porque os "soldados" do Terminal não quiseram, sabe-se lá a causa.

Mas Rick foi burro, em partes. Estavam morrendo de fome e agiu antes de comer aquele belo pedaço de carne. Agora eles estão presos e de barriga vazia, ao contrário dos amigos que reencontrou dentro do container, que "só" estão presos.


The Walking Dead fecha razoavelmente a sua fraca 4ª temporada, principalmente a sua segunda parte. O season finale foi bom, mas bem inferior aos season finales passados. Não revelou praticamente nada, mostrou apenas o que estávamos esperando, sem, principalmente, deixar um gancho que faríamos ansiar pela nova temporada da série.

Algumas dúvidas pairam em nossas cabeças, mas nada que tiraria o sono, ou motivaríamos a criar teorias. Dezesseis episódios que no máximo poderíamos separar seis, daqueles que sempre esperamos da série, pois potencial ela tem para isso, só falta a boa vontade dos produtores de "ganhar menos dinheiro", e priorizar o lado criativo da série. Só no sonho mesmo. 

Tecnologia do Blogger.