Pular para o conteúdo principal

The Good Wife: — 1ª à 5ª Temporada


Uma série que passou de um procedural dispensável para uma das melhores séries da atualidade.

Sem spoilers

Você começa a assistir uma série, gosta, mas acaba se dando conta que a série ficou estagnada, e que tudo que é mostrado não é suficiente para mantê-la em sua grade. Então começa a chover comentários na redes sociais dizendo que essa série é a melhor série do ano, do mundo, de todos os tempos, e que tal episódio é o melhor feito no ano. Então você pensa: "Como é que ESSA série seria capaz de ser isso tudo?" Ou é isso ou é exagero. A única forma de saber é assistindo a série, e foi isso que fiz. Uma maratona imensa, tensa, cansativa, mas que me deu a resposta que tanto procurava: The Good Wife é mesmo uma das melhores séries da TV, principalmente após a sua 4ª temporada, e tudo que disseram foi, apesar de alguns exageros, verdade.

Sendo assim, a série entra para a coluna "Maratona", aqui no Viciado em Série, e irei informar se essa maratona valeu ou não a pena.

Para um procedural (séries com casos semanais a cada episódio) ser relevante, praticamente todos os episódios tem que ser, obrigatoriamente, de bom a excelente. Um procedural não pode passar de seis a dez episódios ruins, ainda mais em sequência, como foi no caso de Person of Interest, pois não há paciência nesse que vos escreve que aguente. Ao começar a assistir a série, a estrutura procedural me desanimou de imediato, mas The Good Wife tem um premissa super instigante e que se encaixa perfeitamente no que peço em séries com essa estrutura: episódios de bom a excelente, sem passar por má fase, reitero. Mas a série se torna espetacular mesmo após a sua 4ª temporada.


Basicamente as três primeiras temporadas foram compostas de casos jurídicos da empresa Lockhart/Gardner, enquanto a sua trama principal se focava na política e na "boa esposa" que voltava aos trabalhos de advocacia após descobrir que seu marido político a traia com prostitutas. Tramas secundárias foram acrescentadas, mas nada que impactasse, nada que enriquecesse as primeiras temporadas, que não soasse uma grande encheção de linguiça, típica de procedurais. Isso durou 66 episódios, de bom a excelente em sua maioria, mas a todo momento me perguntava se valia a pena continuar, pois para "comer o filé", tive que "comer pão seco com água", praticamente.

Foi então que uma grande reviravolta veio a partir da 4ª temporada, quando a série começou a dar mais importância para a trama principal, que foi super desenvolvida, aumentada, dando menos ênfase aos casos semanais. Os casos sempre são bons, reitero, mas a trama principal da série, contada desde sua premissa, é o que mais atrai o público. A 4ª temporada trouxe excelentes momentos, ousados, interessantíssimos, uma atitude clara de que a série estaria mudando, estaria disposta a sair do marasmo, do mais do mesmo que assola os procedurais. A partir dessa temporada a série subiu como um foguete, rumo a um ponto inimaginável. 


A quarta temporada terminou com um grande e inesperado plot twist, que deu o tom para que a quinta temporada fosse bombástica, impactante, emocionante e deprimente. A atual temporada tem e muito, traços de toda a sua trajetória, com os tradicionais casos semanais, enfim, mas trouxe ousadia, trouxe momentos que fizeram o telespectador levantar do sofá, brigar com a televisão, colocar as mãos no rosto e na cabeça sem acreditar no que está acontecendo. Desespero. Emoção. Poucas séries fazem isso com o telespectador, e The Good Wife entra para esse seleto grupo.

Agora, sinceramente, não sei se recomendaria a série para todos sem ressalva. Sim, a série é espetacular, principalmente após a sua 4ª temporada, mas até lá são 66 episódios. Mas de qualquer forma a série merece ser assistida, mesmo não trazendo grandes emoções nas primeiras temporadas, traz bons momentos, que não deixam o telespectador louco, mas o deixa satisfeito.

Postagens mais visitadas deste blog

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

TOP 5 Séries Melhores que Game of Thrones

— Vikings: "Gosto de Game of Thrones porque tem muita luta medieval, sangue..."

As lutas medievais de Vikings são muito mais intensas, extremamente constantes na série. A série também vem de uma adaptação, só que dá história da humanidade, quando exploradores, guerreiros, comerciantes e piratas nórdicos invadiram, exploraram e colonizaram grandes áreas da Europa e das ilhas do Atlântico Norte a partir do final do século VIII. A série também é muito mais viciante, sem a morosidade de diálogos vistos na série da HBO.

— Banshee:  "Gosto de Game of Thrones porque tem muitas cenas de sexo e nudez"

As cenas de sexo de Banshee são extremamente mais explícitas. Nudez é cotidiano na série, inclusive nudez frontal. E a nudez de Banshee não são como em Game of Thrones, que praticamente mostra a nudez de prostitutas, personagens secundários. Em Banshee os atores principais estão nessas cenas. Banshee também ganha no quesito violência, sangue, ação, além de ter roteiro original.

— …

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Confira as 5 séries mais vistas na Netflix pelo mundo

Nos últimos dez anos, a Netflix transformou a forma como o mundo assiste filmes e programas de TV, fornecendo aos assinantes uma enorme biblioteca de clássicos convencionais  e dezenas de recomendações personalizadas - tudo disponível na ponta dos dedos. Isso é mais do que apenas conveniência,  é a metamorfose da mídia.
Usando os dados do Google Trends, o site highspeedinternet.com classificou os países pelo número de pesquisas relacionadas à Netflix e referenciou as suas classificações com as séries mais procuradas. No mapa acima você confere qual é a TOP de audiência em cada país, e, abaixo você confere quais as 5 séries mais procuradas no serviço de streaming.
TOP 5:

1 - Sherlock
2 - Friends
3 - Narcos
4 - House of Cards
5 - New Girl