The Walking Dead: "Claimed" 4x11 [Review]


Um episódio incrivelmente mal feito. Se não foi o pior episódio da série,
 está entre os piores.

É incrível como o "sobe e desce" de The Walking Dead segue constante. O episodio passado foi até bonzinho, e cheguei a dizer que a temporada voltava a empolgar, daí eles exibem esse "Claimed" que só não podemos jogá-lo na lata de lixo porque houve um mísero momento de esperança.

Essa esperança eu digo no final, pois não dá pra começar a review sem mencionar os buracos gigantescos que o roteiro trouxe, do tamanho que nem nos piores episódios de Dexter eram notados. 

Continuamos a acompanhar o que os sobreviventes têm feito após a derrubada da penitenciária, dessa vez, voltamos ao núcleo de Rick, Michonne e Carl, paralelamente acompanhando os novos personagens incrementados, que foram apresentados à Glenn e Tara.

Rick não teve vida fácil, tendo sua atual "residência" invadida por estranhos, momento dos mais mal feitos da história da TV mundial. Os caras entram e se matam por uma cama, sendo que outras foram vistas desocupadas. Brigar, tudo bem, mas matar? Sem falar no "esconde esconde" de Rick, que se deparou com um cara no banheiro fazendo no "número 2", mas com a tampa do vaso abaixada, claro, devia estar ali meditando, coitado. Mas o que mais incomodou foi a luta deles no banheiro, fazendo muitos, mas muitos barulhos e NINGUÉM foi capaz de ouvir. E antes, Rick fecha a porta na cara de um deles e o sujeito não foi capaz de desconfiar. Cena extremamente pífia, mal feita, mal escrita e desnecessária.


E ao fugir da residência, Rick fica ali, encostado na varanda, pronto para ser pego, ao invés de ficar um pouco distante, na frente da casa, pois estaria escondido e teria visão privilegiada da chegada de Carl e Michonne.

Quando achava que o episódio não poderia piorar, vem Glenn para matar-me de raiva. O plot começou muito bem, com os novos personagens mostrando a que vieram. Um ótimo caminhão, que protege bem contra os Walkers, além da informação super-interessante que traziam: o cientista abordo sabe como a infecção começou e estavam indo para a capital para desenvolver a informação e "salvar o mundo".

Mas aí vem Glenn, o imbecil mal-agradecido que acha que é Rambo, pretendendo andar, sei lá, um dia inteiro para encontrar um ônibus com cadáveres Walkers. Deram a ele muitos argumentos que não deveria voltar, mas ele, cegamente, não aceitava. "Ah, mas é por amor", possa dizer, mas convenhamos, sozinho, não duraria muito, como vimos, pois se não fosse por ajuda dos novos companheiros, já estaria morto. 

E pra piorar AINDA MAIS, todos seguiram Glenn na sua idiotice. Com qual objetivo? "Precisamos de pessoas para ajudar a salvar o mundo". Ah, vá. Tudo bem se apenas Tara o acompanhasse, natural, mas a nova (e linda) garota puxando a fila?

O "pau quebrou" entre eles e o "cientista maluco" começou a metralhar tudo e todos, devido o aparecimento de alguns Walkers. Resultado? Furou o tanque de gasolina, natural. Mas eles ficaram ali´, tranquilos, consertando o caminhão. Mas peraí! Após um tiroteio daqueles, TODOS os Walkers da região iriam para o local, sendo que o obrigatório seria que eles vazassem dali, o mais rápido possível. Mas não.


Preferiram seguir o Rambo Japonês, rumo ao desconhecido, rumo ao improvável reencontro com sua amada. Improvável devido a situação, mas provável pela série, que está tendo rumos cada vez mais novelescos. Abandonaram o caminhão consertado e saíram apé, atrás de Glenn. Tudo endossado pelo "genial" "cientista maluco" que ainda disse ser mais inteligente que o sargento. WTF! 

Um episódio extremamente ruim, demorou quase 20 minutos pra acontecer alguma coisa. Quanto mais Carl fala, mas irritante fica o personagem. Agora encontraram uma nova casa, o "Santuário para todos", um lugar para dar continuidade a essa novela que está longe de acabar. Mas a paciência está acabando.

Tecnologia do Blogger.