The Walking Dead: "After" 4x09 [Review]


The Walking Dead voltando a ser The Walking Dead.

Não que esteja reclamando, é apenas uma constatação. O sobe e desse de Walking Dead continua a todo vapor, com excelentes episódios intercalados com ruins. Muito natural, a série não vai ser eletrizante a todo momento como o episódio "Too Far Gone", um dos melhores episódio do ano passado. Mas poderia ser menos insossa, ainda mais em se tratando de um retorno. Classifico a sua volta como decepcionante.

Mas natural, reitero. Episódios como "Too Far Gone" são típicos de fechamento de arco, além de ter um custo financeiro bem alto. Em "After", vimos apenas três dos atores principais e cenários que não são dos mais caros da série. Uma nítida economia, percebi. Mas o lucro gerado pela audiência só aumenta: o episódio foi visto por quase 16 milhões de pessoas. 

Além de mostrar o "dia seguinte" de Rick, Carl e Michonne, o episódio deu o tom de como será a segunda metade da temporada. A turma se dispersou e poucos morreram. A cada episódio acompanharemos um seleto grupo de sobreviventes que encontrarão dificuldades por estarem machucados e por não ter mais a segurança da penitenciária. Todos irão passar por apuros, talvez alguém venha a morrer, mas claro, uma hora ou outra todos vão se re-encontrar.


Como foi o caso desse episódio, que mostrou o reinício de Michonne, que decidira seguir por outros caminhos mas acabou voltando e seguindo as pegadas daqueles que já são parte de sua família. Sua vida passou por sua mente, ilustrado muito bem por flashbacks, deixando claro o resquício de esperança em sua vida: viver em conjunto. 

Por outro lado, irritantemente, o episódio foi baseado em Carl, o garoto que sempre foi de poucas palavras, e arrependemos por ter ouvido de sua boca inúmeras barbares em pouco espaço de tempo. Uma crise infantil daquele que já é considerado um "homem". Carl passou dos limites, com sua arrogância e prepotência, cuspindo no prato que comeu, desvalorizando a sua vida. Um momento de explosão, claro, mas ali ele jogou na cara de seu pai, "morto", tudo que estava entalado em sua garganta. 


Seria bom se ele tivesse engolido tudo e defecasse.

Mas no fim, o personagem tratou de se retratar, ao desistir de lutar, pensando que ia ser comido por Rick. Ele viu, da pior maneira possível, que estava errado, sem ninguém precisar dar-lhe umas palmadas. Claro que o suspense foi desnecessário, Rick não vai morrer tão cedo na série, mas espero que o fato faça com que o moleque tenha mais respeito e agradecimento à seu pai.

Carl deve morrer ainda nessa temporada, acredito. Primeiro porque a série já mostrou que não tem medo de impactar, quando querem, e o ator Chandler Riggs já está bem grandinho, não acham? Daqui a pouco ele vai se tornar um novo "Walt", aquele menino de LOST que cresceu além da série e teve que ser retirado precocemente. 

E torço pra isso, não dá mais pra aguentar as crises do pirralho, chega!

Tecnologia do Blogger.