Pular para o conteúdo principal

Especial Oscar 2014: "Trapaça" [American Hustle]


"You gotta get up in the morning, take your heavy load, 
and you gotta keep going down the long black road."

Filmes sobre golpes e vigaristas sempre representaram um atrativo ao grande público. Clássicos como Bonnie & Clyde, Golpe de Mestre (vencedor do Oscar de Melhor Filme) e filmes mais recentes como a franquia Ocean's (11 Homens e um Segredo e suas continuações) são exemplos da nossa tendência a torcer pelo "vilão". E esse gênero ganha mais um representante de peso com Trapaça (American Hustle), um dos principais concorrentes ao Oscar 2014.


O filme conta a história de Irving Rosenfeld (Christian Bale), o típico vigarista que trabalha ao lado de sua parceira/amante Sydney Prosser (Amy Adams) que vivem uma vida de golpes, luxúria e ostentação, embalados pelo Jazz de Duke Ellington, até serem pegos pelo agente do FBI Richie DiMaso (Bradley Cooper) e forçados a ajudar a agência em uma operação para pegar políticos corruptos que mais tarde ficou conhecida como a operação real ABSCAM.

Trapaça é o típico filme de atores, em que a história e seu desenvolvimento em si são ofuscados pelo brilhantismo das performances de seus protagonistas. Um dos poucos casos em que todos os atores estão bem, em especial o time de protagonistas que carregam o filmes nas costas e tornam a história (que em alguns pontos apresenta algumas falhas de desenvolvimento) muito mais interessante de ser acompanhada.

Christian Bale está no time de "camaleões" de Hollywood. O modo como ele se entrega a cada papel, disposto a se transformar quase por completo é simplesmente fantástico, e nesse filme não é diferente. Você simplesmente esquece que aquele vigarista gordo, cínico, manipulador e oportunista há não muito tempo interpretou um dos heróis mais altruístas que existem: Batman. Amy Adams e Bradley Cooper também se destacam, mostrando mais uma vez que são mais do que rostos bonitos em Hollywood e que dão conta de interpretar papéis complexos (é bem provável que Adams não leve o Oscar esse ano, mas ela sem dúvida merecia, assim como merecia por suas indicações anteriores, em especial por sua performance estupenda no filme Dúvida).

Mas o verdadeiro destaque das atuações fica por conta de Jennifer Lawrence, que interpreta Roselyn Rosenfeld, a esposa desequilibrada de Irving. Lawrence é um verdadeiro achado cinematográfico, a forma como ela trabalha tão profissionalmente ao lado de tantos veteranos é simplesmente assustadora; a impressão que dá é de que ela faz isso a vida toda, sendo que ela entrou para a indústria em menos de cinco anos, período em que já recebeu três indicações ao Oscar (vencendo uma), 3 indicações ao Globo de Ouro (vencendo duas), entre outros prêmios. E tudo isso com apenas vinte e três anos de idade. Se ela continuar nessa constante de qualidade ouso dizer que Meryl Streep terá uma concorrente de peso.


O filme em si tem alguns exageros visuais desnecessários que tentaram potencializar o fator "cool" mas que acabaram não sendo tão bem-sucedidos. Contudo, em meios a tantos filmes vazios e esquecíveis, ter uma comédia inteligente, com identidade e estilo, é um frescor para o cinema atual, e David O. Russell está provando ser um ótimo representante desse tipo de filme, entregando ano passado o também ótimo O Lado Bom da Vida (que rendeu à Lawrence seu primeiro Oscar). Ele tem potencial para se tornar o novo Billy Wilder, fazendo comédias geniais que entrarão para a história do cinema. Sem dúvida nenhuma ele está no caminho certo.

Trailer:
   

Postagens mais visitadas deste blog

Confira as 5 séries mais vistas na Netflix pelo mundo

Nos últimos dez anos, a Netflix transformou a forma como o mundo assiste filmes e programas de TV, fornecendo aos assinantes uma enorme biblioteca de clássicos convencionais  e dezenas de recomendações personalizadas - tudo disponível na ponta dos dedos. Isso é mais do que apenas conveniência,  é a metamorfose da mídia.
Usando os dados do Google Trends, o site highspeedinternet.com classificou os países pelo número de pesquisas relacionadas à Netflix e referenciou as suas classificações com as séries mais procuradas. No mapa acima você confere qual é a TOP de audiência em cada país, e, abaixo você confere quais as 5 séries mais procuradas no serviço de streaming.
TOP 5:

1 - Sherlock
2 - Friends
3 - Narcos
4 - House of Cards
5 - New Girl

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

TOP 5 Séries Melhores que Game of Thrones

— Vikings: "Gosto de Game of Thrones porque tem muita luta medieval, sangue..."

As lutas medievais de Vikings são muito mais intensas, extremamente constantes na série. A série também vem de uma adaptação, só que dá história da humanidade, quando exploradores, guerreiros, comerciantes e piratas nórdicos invadiram, exploraram e colonizaram grandes áreas da Europa e das ilhas do Atlântico Norte a partir do final do século VIII. A série também é muito mais viciante, sem a morosidade de diálogos vistos na série da HBO.

— Banshee:  "Gosto de Game of Thrones porque tem muitas cenas de sexo e nudez"

As cenas de sexo de Banshee são extremamente mais explícitas. Nudez é cotidiano na série, inclusive nudez frontal. E a nudez de Banshee não são como em Game of Thrones, que praticamente mostra a nudez de prostitutas, personagens secundários. Em Banshee os atores principais estão nessas cenas. Banshee também ganha no quesito violência, sangue, ação, além de ter roteiro original.

— …

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…