Revenge: "Homecoming" 3x11 [Review]



Parecia CSI, mas era Revenge, voltando depois de 34578510 hiatos, para a alegria de muitos. Em Homecoming, os acontecimentos foram tantos, teve tanta reviravolta no episódio, que nem vi os quarenta minutos passar, quando vi, Emily já tinha recuperado sua memória e já estava alegando: Daniel, foi Daniel que atirou em mim!

Mas como nem tudo são flores, antes dessa lembrança bombástica (?), muito água passou debaixo dessa ponte, e é isso que vamos relembrar, pois tem muita coisa para comentarmos sobre nosso episódio 11, dessa respeitável terceira temporada.

Começamos então com: Quem atirou em Emily Grayson? Digno de novela brasileira né? A mídia só queria saber isso e nós só queríamos saber onde estava Emily e adivinhem? Isso mesmo, ela estava disparando o S.O.S particular, esse aparelho que ela tanto duvidou, estava salvando sua vida. No começo a única coisa que eu pensava era: Como essa mulher é ninja! Conseguiu subir em um barco, mesmo baleada? Parecia filme do Van Daime, mas era só Emily fazendo suas Emilisses. Já em terra firme, tínhamos Nolan, fazendo a atuação de 2014 para Patrick, pois até então ele não sabia que o plano vergonhoso, tinha dado errado. Brincadeiras a parte, abro um espaço aqui para elogiar o incrível trabalho de Gabriel Mann, quando Nolan realmente descobre que Emily está mesmo ferida, cada gesto facial, cada movimento faz de Gabriel um excelente ator. Ele consegue ir de engraçado a dramático em dois tempos e ainda consegue fazer os dois muito bem feito! Personagem e ator. Não temos do que se queixar quando se trata de Gabriel e Nolan. Impecáveis e digno de muito reconhecimento da nossa parte.

Voltando ao episódio, um fato muito interessante também para ser citado, engajando no papo anterior, é como a amizade de Nolan por Emily consegue ser tão forte e intensa. Que nolan deixa a sua vida de lado pela vida da Emily, disso não temos dúvidas, mas nesse episódio específico, podemos ter conhecido um Nolan muito mais preocupado do que imaginamos. Jack e Aiden não chegam nem perto do amor que Nolan transmite nos olhos por Emily, gostei muito de perceber isso e como já disse anteriormente em outras reviews, me agrada muito quando os roteiristas investem nessa amizade, porque muitos de nós, já tínhamos lavado as mãos por essa amizade na segunda temporada.

Mas Nolan não para por aí não, este episódio foi dele e outro destaque merecido é a sua relação com Patrick, que teve uma reviravolta considerável em Hemecoming. Começando com Nolan jogando verdades sobre Patrick na frente de Vicky, passando por Patrick descobrindo alguns segredos do cofre e por fim com o término do relacionamento dos dois, Patrick por sinal, jurando Revenge a todos que um dia machucaram sua mamis poderosa. Sério Patrick? Eu esperava muito mais de você.

É, mas a novelona mexicana não para por aí não, temos Emily perdendo a memória e esquecendo-se de tudo. Aliás, quase tudo, do pai ela não esquece, o que fiquei sem entender, claro. Mas o ponto alto do episódio foi sim a saída que a RAINHA, merecidamente com este posto, encontra para tirar Daniel da merda. Já que o rapaz agora decidiu esbanjar sua nobreza (?) e se entregar para a polícia. Mas é assim mesmo, enquanto achamos que Vick está por baixo, do nada ela ressurge no meio do episódio, sambando na nossa cara e na cara de Conrad, porque é isso que ela sabe fazer de melhor. Como não amar o diálogo de Vick com Conrad quando ela cita: "É um sentimento horrível trair alguém que amamos. E eu estou realmente feliz que finalmente você sinta isso." VRAAAAAAA. Claro, Conrad fica sem saída e tem que por em prática o plano maravilhoso de Victória, que é acusar Lydia de ter atirado em Emily para proteger sua cria.

Se Daniel, tivesse 1% do raciocínio de Victoria, eu já estaria feliz, mas ele consegue fazer tudo errado, do começo ao fim, e achei épica sua discussão com Conrad. O pai realmente jogou vários acontecimentos na cara do filho que sempre foi ele que teve que limpar a sujeira que Daniel sempre fez. Sim, Conrad colocou Baniniel no seu lugar e é assim que a gente gosta. Porque pra ser vilão Josh, tem que comer muito arroz com feijão, não basta só fazer cara de malvadinho não, porque isso não nos convence.

E para finalizar esse episódio que ficará marcado em Revenge, temos nosso momento primeira temporada, onde Jack indiretamente se declara para Emily desmiolada (literalmente e fisiologicamente, segundo Nolan) e então ela consegue se lembrar de tudo e por fim, revelar que foi Daniel-sangue-frio que atirou nela.
Agora fico pensando, qual o rumo que série levará? Eu sinceramente espero mudanças, não dá mais pra ficar nessa enrolação toda de Revenge, algo tem que ser feito, porque voltar atrás já não tem mais jeito, então o mínimo que eu espero é Emily declarando guerra SIM, colocando todo mundo pra correr SIM. Por uma Emily mais sangue no olho e menos esquecida nos próximos episódios. Esperando essa Revenge acontecer e vocês?

PS1: Só eu não entendi nada do plot entre Aiden e a doutora Niko? O que foi aquilo? Só sei que Niko não parece nada amigável e se tem caráter duvidoso a gente já dá as boas vindas para a série.

PS2: Lydia já pode ser considerada a Banana 2 oficial da série. E eu pensando que ela ia voltar para Hamptons para abalar a estruturas. Ledo engano.

PS3: A cara impagável de Daniel quando descobre que Emily está viva. Nem com uma arma na mão e uma pessoa a 2 metros a sua frente, Bananiel não consegue fazer o serviço direito.

PS4: Lydia jogando vinho na poltrona de Vicky, cena memorável.

PS5: Charlotte totalmente insignificante, matem ela!

Tecnologia do Blogger.