Primeiras Impressões de Intelligence [CBS]


É a TV americana trazendo algo novo. Só que não.

Ingenuidade de quem achava que Intelligence viria para acrescentar e não para lucrar, ainda mais sendo exibida na emissora CBS. A série vem trazendo um enredo mais do que rotineiro no mundo das séries, principalmente nesta emissora, desanimando os poucos telespectadores que tinham esperanças de que seria diferente. Inocentes, eu me incluo.

Todo ano é a mesma coisa, lançam séries procedurais e mudam apenas algo para distingui-las e mantêm a mesma estrutura, claro, devido a grande audiência que esse gênero obtém, endossado pela cultura do telespectador americano. Intelligence é uma série policial com um super policial; Person of Interest é uma série policial onde uma máquina indica as vítimas antecipadamente; Hawaii Five-0 é uma série policial no Hawaii; CSI; NCIS; enfim.

Não que essas séries mencionadas sejam ruins, mas o tempo que elas exigem do telespectador é imenso. Ainda mais que praticamente todas elas passam por fases ruins, exibindo uma sequência de episódios ruins. Muitos dizem: "A terceira temporada de tal série (procedural) está excelente!" Mas você tem que passar por uma enxurrada de episódios ruins antes. Você literalmente come o pão que o diabo amassou antes. Vale a pena? Pra mim não vale. 


Existe um grande números de séries excelentes, principalmente que já acabaram, e que são compostas por ótimos episódios, indubitavelmente, em todas as temporadas. Perder tempo com séries com 22 episódios por temporada, que terão apenas de 6 a 8 episódios realmente bons, vale a pena? Pra mim não vale, reitero.

Agora se você tem tempo sobrando... 

Intelligence não é uma série ruim, a princípio, melhor do que muitas que temos por aí, mas já em seu piloto vimos que será sofrido acompanhar a série, pois nada de relevante foi inserido para sustentar a temporada, e o pior, o que inseriram foi brochante: reencontro do personagem principal com sua amada. Acompanhará 22 episódios da série para que, talvez, no fim da temporada aconteça o reencontro.

Mas nesse meio tempo inseriram um plot que deverá sustentar os casos semanais: o surgimento de uma pessoa com as mesmas funções de Gabriel (Josh Holloway), o cybercop que tende a ser o herói da série, enquanto a personagem em questão deverá ser a vilã, consequentemente protagonizando o lado 'mal' do procedural.     


Você não vê na série problemas graves de produção, o elenco é de razoável para bom, seus efeitos visuais são bacanas... Intelligence lembrou-me muito a série Unforgettable, da mesma CBS. O personagem Gabriel lembrou-me muito Sherlock (guardadas as devidas proporções), ao analisar as pessoas com um certo sarcasmo e estrelismo. 

Tudo isso não é, pra mim, motivos para continuar. A série vai obter uma boa audiência nos Estados Unidos, provavelmente terá várias temporadas, mas nunca será uma das grandes séries da TV.

Tecnologia do Blogger.