Homeland: "Good Night" 3x10 [Review]


"Missão dada é missão cumprida"

Vimos Brody no melhor estilo Carrie. Ambos tem uma sagacidade em comum, arriscam tudo, contam as vezes com a sorte, mas sabem que em uma guerra, os fracos não têm vez. 

"Ele SÓ vai atravessar a fronteira e se entregar". Fácil falar. A missão foi muito bem montada, mas como bem disse Lockhart, Saul não teve sorte, mas ele não contava que Brody seria persistente, teimoso e corajoso ao extremo. No momento ápice do episódio, Brody contraria tudo e todos, e, após um conversa emocionante com Carrie, ele parte para o desconhecido, e acaba encontrando a luz divina, iraniana.

Brody é um personagem que muitas vezes você não sabemos de que lado ele está, e sempre desconfiamos de tudo que diz e que faz. Mas "Good Night" praticamente elimina a hipótese de que ele esteja tramando algo que o prejudicaria com os Estados Unidos, pois parece que ele quer mesmo cumpri a missão e voltar para Carrie e seus filhos. Um dia ele iria explodir o senado, mas esse homem parece não existir mais.

Sempre temos que usar o 'parece', pois as reviravoltas de Homeland nunca podem ser descartadas. Mas essa plot twist não seria bem vindo.


A missão passou por difíceis fazes: Kilo-Alpha teve que eliminar policiais locais; passaram por uma mina, onde o jogou pelos ares; e acabaram chamando a atenção de guerrilheiros iraquianos - pra piorar para eles e melhorar ainda mais a tensão do episódio para nós. Cenas de guerra, bem feitas como essa, são raras na TV, e Homeland sempre traz isso muito bem, as investidas no exterior são o ponto alto da série e mais uma vez a série traz um episódio para ser aplaudido de pé.

E a tensão não ficou 'apenas' no campo de guerra, pois do 'lado de cá' da TV, estavam comandantes que enriqueceram o episódio, com discussões calorosas, disputas por ideias, enquanto a nossa loira explodia com aqueles que não colocam a 'mão na massa' e ficam dando ordens esdruxulas de dentro de uma sala confortável, com ar condicionado. 

"Ele não dá a mínima para isso, ele só está preocupado em tirar o seu da reta." - Sensacional, Carrie.


É o que eu sempre digo de Homeland: uma série de potencial que não pode ser julgada por um ou outro episódio ruim. Claro, podemos avaliar individualmente os episódios, mas temos que ter ciência que Homeland não é uma série procedural engessada, e sim, uma narrativa linear, com trama estruturada em uma temporada, 12 episódios, e que pode compensar muito no final. No fim da temporada, avaliemos, por enquanto a terceira temporada está ótima, principalmente após a sua metade, e ainda falta dois episódios, que, com bem conhecemos da série, tendem a ser explosivos.

"Good Night"

Tecnologia do Blogger.