Homeland: "Big Man in Tehran" 3x11 [Review]


"Eu matei Akbari. Me tire daqui."

Mesmo quando todos imaginavam que Brody nunca conseguiria. Mais uma vez Homeland nos prega uma peça, implanta dúvidas para nos deixarmos tensos, indecisos, sem imaginação alguma sobre o que poderia acontecer. Aconteceu. E todas as respostas, o rumo que a série estava tomando, veio nos minutos finais do excepcional " Big Man in Tehran".

Brody podia viver no Teerã, sendo inimigo dos Estados Unidos para sempre, país que tentara matá-lo, de novo, mas que absorveu essa maldita iniciativa, entendendo-a. Porém insuficiente para fazê-lo mudar de ideia. Preferiu seguir convicto, rumo à redenção, sua família e Carrie. Brody provou mais uma vez ser um verdadeiro cidadão americano.

Não foi fácil, claro, e as nuances da operação fez com que as invariáveis variassem ainda mais, praticamente deixando Brody e Carrie por conta própria. Mas Brody tinha uma arma mortal: confiança. Adquiriu uma confiança incrível, pois sua história era convincente, mas não apenas por isso. Seu passado com Abu Nazir foi preponderante para concluir seu plano, ainda mais com a avalização da viúva negra.

O inatingível Akbari caiu na armadilha, levando o inimigo ao seu escritório, pois mais uma vez a ganância e o ódio contra os Estados Unidos fizeram mais um 'todo poderoso' sangrar até a morte.

Brody pensou: "Foda-se", com o perdão da palavra. "Vou matar esse crápula e depois eu vejo no que vai dar". Veremos, em "The Star", season finale da terceira temporada que tem tudo para ser espetacular.

Tecnologia do Blogger.