The Walking Dead: "Indifference" 4x04



Mais um episódio do 'novelão' com ocasionais zumbis.

O cineasta George Romero definiu bem o que é The Walking Dead: "Basicamente é apenas uma novela com ocasionais zumbis". E ele disse isso bem antes de 'Indifference', episódio que levou ao pé da letra a palavra 'Novela' e de quinta categoria.

Não podemos reclamar de alguns aspectos em The Walking Dead, pois desde o seu início e também nas HQs, já é assim: a série é sobre pessoas que vivem num mundo apocalíptico, repletos de mortos vivos, que tentam sobreviver dia após dia, vencendo obstáculos. George Romero disse isso e não é nenhuma novidade, mas a série mostrou em vários momentos que iria além disso, empolgando o telespectador, mas o mesmo, sendo desmotivado por episódios como esse.

Vimos Daryl captando algum tipo de sinal, que mostrou o mundo que estão vivendo,  trazendo esperanças que algo seria visto além daquela pacata prisão domiciliar. Mas parece que foi jogado ao vento, pois imediatamente a temporada nos traz um episódio que poderia ser limado da série e que não faria falta alguma.


Exceto pela saída (momentânea, espero) da personagem Carol, sendo 'expulsa' por um líder que não é capaz de liderar mais ninguém. A desconfiança de Rick chegou a irritar, pois Carol está com eles desde o início, já perdeu marido e filha, se prontificou a ajudar ao máximo aquele grupo, tomando atitudes necessárias para a sobrevivência, e que é desvalorizada em momento inoportuno.

Rick não soube entender as suas razões, cuspindo no prato que todos comeram. Se o que Carol fez foi certo ou errado, deveria ter sido considerado as suas intenções, agravadas pela situação de risco que vivem, mas Rick demonstrou um egoísmo profundo, elevando a gravidade da situação. Ainda mais que ela nunca omitiu as suas atitudes e declarou que as enfrentaria, enfrentaria Tyreese. Mas Rick age como se fosse o santo maior daquele mundo.

Aliás, incrível com todos agiam como se estivessem passeando, procurando mantimentos e remédios sem a mínima pressa, como se não tivesse dezenas de pessoas morrendo, incluindo crianças.

O outro núcleo do episódio foi da mesma forma bisonhamente ruim, com mais um julgamento pífio, dessa vez orquestrado por Daryl. Quem é ele pra julgar as necessidades dos outros? Ainda mais julgar um alcoólatra, uma pessoa doente pelo álcool. Qual o problema de pegar uma bebida que estava jogada? Claro, suas atitudes em "30 Days Without an Accident" causaram a morte de um integrante da equipe, mas indiretamente, sentida e lamentada por ele. É muita gente se achando, irritantemente.

Tão irritante quanto Tyreese. Morre então, oras! Deixem ele morrer, se é o que quer! Não faria diferença alguma, da mesma forma que mais de 90% dos personagens também não faria. Seria menos sentida do que a morte do casal de jovens inserido no episódio com o objetivo de apenas preencher a fraca trama adotada, pois não trouxe nada de novo, nada do que já não tínhamos visto milhões de vezes.


A montanha russa segue a todo vapor. Elogiei muito o episódio anterior e sinto-me decepcionado com 'Indifference', nome que deve ter sido escolhido tamanho a indiferença que teríamos por ele, só pode, pois tratou-se de um filler, um dos piores da série. Estão enchendo de nada a história para que cheguemos na reta final da temporada onde iremos nos deparar com o Governador, esquecido, que deverá ser morto tardiamente, mesmo que não tenhamos certeza disso. 

Até o próximo capítulo dessa novela, que tinha tudo para ser uma série.
Tecnologia do Blogger.