O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"




Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.

A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais apostas, visto na série desde o piloto. As suspeitas duraram pouco, ou só aumentaram, com sua morte logo no primeiro episódio da sexta temporada. Muitos acreditaram que Brett havia forjado a própria morte para ser descartado, inclusive eu. E a lista continuou diminuindo, com suspeitos sendo mortos ou aparentando serem muito "bobos" para ser alguém como Red John.

Ontem (24/11) foi ao ar o episódio 8, chamado simplesmente "Red John". Descobrimos que era, na verdade, um suspeito da lista já dado como morto, mas não Brett Partridge, para decepção de muitos. O Sheriff McCalister se revelou em uma igreja, matando outro suspeito, o chefe da CBI Gale Bertram, e ameaçando a vida de Patrick com uma arma. O ápice estava todo ali. McCalister tendo diálogos geniais com Jane, um verdadeiro jogo, como ambos disseram, uma disputa para ver quem era o mais sábio, e o mais rápido também. Infelizmente, o único momento realmente épico do episódio foi o Sheriff fazendo a voz peculiar de Red John, aquela fina que ouvíamos nas ligações, nos vídeos ameaçadores... Ali foi o momento definitivo, para quem ainda não acreditava, que estávamos diante de Red Jonh.

O vilão tão venerado e idealizado ao longo dos anos, criou uma imagem, um símbolo mítico, e altas expectativas que acabaram desapontando muitos fãs da série. A ideia de alguém tão inteligente (ou mais) que Patrick, alguém sem medo, infalível. Acontece que era apenas um homem, com ideias pouco exploradas e reveladas nesse episódio. Descobrimos alguém arrependido e com medo da morte, enquanto que nas mãos de Jane, este que assumiu o controle da situação com mais um de seus truques surpreedentes, mesmo que esse "surpreedente" não seja tão bom. O desespero do vilão desmascarado foi tanto, que teve perseguição desnecessária, ajuda de apenas uma mulher (onde estão seus homens da polícia?) e até ligação para o 911. O grande líder da Blake Association, organização de policiais corruptos, caiu aos pés de Patrick, sozinho e amedrontado, num parque, em plena luz do dia.


Quem se lembra do final da terceira temporada? Talvez o melhor episódio da série, onde Jane encontrou um homem que dizia ser Red John e o matou na praça de alimentação de um shopping cheio de gente, sentou-se frente ao corpo, e continuou tomando seu clássico chá. O homem descreveu perfeitamente o dia do assassinato de Angela e Charlotte Jane, esposa e filha de Patrick; descreveu os cheiros dos cabelos, os perfumes que usavam; e Simon Baker deu uma aula de interpretação, com aquela sua expressão facial que sempre surgia em casos do Red John: o olhar triste, o "palhaço com lágrimas". Nesse último episódio, faltou emoção, faltou aquele olhar de Patrick, faltaram explicações, faltaram flashbacks...tivemos apenas uma rápida lembrança do primeiro episódio da série, nada mais. 

A escolha de Red John não foi planejada, isso ficou bem claro, mas foi boa. O ator fez um bom trabalho, e me convenceu que realmente poderia ser o nosso já conhecido vilão. Uma pena que acabou dizendo que se arrepende dos assassinatos da família Jane e que estava com medo de morrer...as negações seriam mais a cara do serial killer. Tivemos um episódio fraco, frente aos muitos já ótimos casos de Red John ao longo da série. Entretanto, é o fim de uma saga, e não da série toda, já que logo semana que vem temos novo episódio, com um novo "tudo": novas vidas para os personagens, novos rumos, e quem sabe, o tão esperado romance entre Lisbon e Jane. Teremos mais explicações sobre o personagem que moveu todas essas temporadas? Acho difícil. Resta a esperança de uma nova história, com o personagem que, esse sim, protagoniza a série: o irreverente, divertido, sucesso com o público feminino, Patrick Jane, interpretado pelo excelente Simon Baker. Obrigada Bruno Heller, criador da série, por 6 anos de mistérios, teorias e entretenimento. Obrigada Red John, que acabou se tornando aquele vilão que amamos odiar. Que venha um novo "The Mentalist".
Tecnologia do Blogger.