Homeland: "One Last Time" 3x09 [Review]


"Vejo você do outro lado."

Foi as últimas palavras de Carrie ditas antes da partida de Brody para Teerã. Agora que todos estão do mesmo lado, teoricamente, os rumos ficaram mais definidos e o que virá pela frente, nessa reta final de temporada que tem tudo para ser eletrizante, servirá para degustação, prêmio por acompanharmos um encaixe perfeito da trama imposta nessa temporada.

Trama essa orquestrada e muito bem por Saul. O personagem ditou as regras nessa temporada e cada vez mais fico empolgado com a sua perspicácia. Um plano muito bem montado, muito bem executado, e nada crível, ainda mais se tivéssemos o avaliado no início da temporada. Tudo deu certo, incrível. Até a bala direcionado à Carrie não atingiu nenhum tendão. Sorte? Não. Competência.

E claro que Saul não agiu sozinho, e como bem disse Carrie, ele não teria conseguido nada sem ela. A dupla, que vem escondendo informações um do outro durante toda a temporada, começou a colocar as cartas na mesa, desmascarando um ao outro nas entrelinhas, porém cientes que tudo que fazem é pelo mesmo objetivo.

Brody volta à série, já não era tempo. A última peça do quebra-cabeça foi inserida para montar o plano derradeiro, que provavelmente fará Teerã tremer. Uma missão suicida? Provavelmente é, mas o 'imortal' Brody já passou por coisas bem piores, e acredito que sairá-se bem, mais uma vez. Claro, sofrimento terá, se não, não é Brody. Como ele sofreu nesse episódio, chegou a dar pena. Somos levados à considerá-lo inocente, o mocinho até então, coisa de fato é, olhando de alguns ângulos, mas Carrie deixou claro que ele não é nenhum santinho, jogando em sua cara, relembrando que ele usava um colete suicida e tinha pretensões maquiavélicas.

Brody é reintegrado, trabalhará para a Cia em busca de redenção, absolvição, perdão. Perdão de Dana, a personagem irritante que voltou à série de forma justa, demostrando ao seu pai que, mesmo que não seja inocente, ela não quer nem sentir o cheiro deles. Mas Brody segue, rumo à batalha, e nós já estamos contando os minutos para isso.

Mais um ótimo episódio, sem dúvidas. Não foi perfeito, convenhamos. Alguns furos de roteiro são notados claramente, mas as vezes conseguimos fazer vistas grossas disso, quando a trama é instigante. Mas nada que denigra a temporada.

Notas:
  • Damian Lewis atuou pouco nessa temporada mas convenhamos que tem tido atuações fantásticas, concordam? Uma indicação ao Emmy virá, sem dúvidas.
  • Brody tenta suicídio e Saul que o detêm? Ela acabou de tomar aquele remédio que faz ele chamar facilmente 'urubu de meu loiro' e não tem um segurança sequer o escoltando? Esse furo de roteiro me incomodou.
  • Achei engraçado a porta da casa de Dana abrir para fora. Aliás, só a porta que Brody entrou abre para fora. Normalmente as portas se abrem para dentro. Acho que inverteram essa para que acontecesse a cena final, quando Dana diz para Carrie ao chegar à porta, que sua presença era dispensável. Só achei estranho, mas entendi o propósito, mesmo que não precisavam fazer isso dessa maneira. Os carpinteiros estão de olho. [rs]

Tecnologia do Blogger.