Glee: "The Quarterback"


O momento da despedida. Adeus Quarterback. Adeus Finn Hudson. Adeus Cory Monteith.

Uma linda e simples homenagem. Glee encerrou a participação do personagem Finn, um dos principais da série, da forma que deveria: cantando. Ou tentando cantar. O episódio deve ter sido o mais difícil para se produzir dentre os noventa episódios produzidos até o momento pela série. O mundo real se juntou ao mundo fictício, fazendo com que os atores chorassem de verdade, fazendo com que o público acompanhasse com o mesmo verdadeiro choro, motivados pela dualidade da situação.

Os veteranos voltaram e os novatos foram figurantes. Kurt, Artie, Rachel, Puck, Tina, Santana e Mercedes. A despedida foi orquestrada por eles, pois os momentos que viveram ao lado do personagem Finn estão guardados para sempre na memória, e as canções que executaram, ilustraram isso muito bem, acrescentado ao enredo escolhido para esse episódio.

Puck se despediu de seu jeito, levando a culpa por sempre ser o culpado, enquanto Santana se desesperava, agindo da forma que precisava, principalmente com atitudes que fizeram da personagem uma das melhores da série. Santana desabafa, como todo fã de Glee queria desabafar naquele momento, em cima de uma Sue, que mesmo na tragédia, continuava com a máscara de perversa, mais que acabou caindo de seu rosto para lamentar suas atitudes, em momento extremamente propício.


Sue, que aliado ao professor Will, são rochas, aparentemente, mas são pessoas com corações moles. Ambos atores sofreram com a morte de Cory e usaram o episódio para despejar as últimas (ou não) lágrimas de tristeza pela precoce morte ator, mas que naquele momento era de um aluno de ótimo coração, aquele incapaz de planejar o seu futuro, mas convicto do mais importante: a pessoa que quer ao seu lado.

Rachel se despede cantando lindamente, como sempre, mas atuando em poucos minutos do episódio, talvez pela dificuldade de explorar mais de Lea Michele, a pessoa que mais teve contato com ator e claro, com o personagem.

Porém a dor, o sentimento e a emoção maior em "The Quarterback" foi acompanharmos a despedida materna, uma dor que mesmo se imaginarmos, só pode descrevê-la quem passa por isso. Perder um filho deve ser a pior coisa que pais podem enfrentar, e a declaração de não saber como acordar sem ver o filho, como seguir em frente, como viver... fez da cena a mais impactante do episódio, fazendo amolecer qualquer rocha, qualquer ser humano, qualquer... qualquer.


A triste realidade fez Glee inserir esse episódio para reorganizar e planejar a série, talvez seguindo para o fim, mas que primeiramente tinha que homenagear Cory Monteith, e principalmente dar aos envolvidos profissionalmente e aos telespectadores, quarenta e poucos minutos de reflexão, pois ali partiu uma pessoa de bom coração, que não conseguiu se livrar das drogas - o mal que assola a humanidade - mas que ficará pra sempre na nossa retina, enquanto a série estiver sendo exibida. Impossível esquecer do personagem e do ator em todos os próximos episódios de Glee. 

Descanse em paz Finn Hudson. Descanse em paz Cory Monteith

Tecnologia do Blogger.