Pular para o conteúdo principal

Breaking Bad "Ozymandias" 5x14


"Meu nome é Walter White, monstro dos monstros".

Na visão de Skyler, Marie, Flynn, Carol..., possivelmente de toda a Albuquerque. Mas dessa vez, pudemos entendê-lo e até absolvê-lo em algumas situações vistas em "Ozymandias", episódio tido como o melhor da série dentre os seis anos de vida, quiçá o melhor episódio dramatúrgico exibido na TV. Não poderia concordar mais.

O episódio foi um show, em todos os quesitos. Eu disse todos? Todos, reitero. Atuações fantásticas, incluindo da atriz Elanor Anne Wenrich, isso mesmo, mais conhecida como Holly. Guardem esse nome. Produção impecável, fotografia, edição de áudio, roteiro, trilha sonora, enfim. Incrivelmente impecável, além de trazer cenas extremamente impactantes, mesmo com "apenas" duas mortes, já previstas. O roteiro de Ozymandias, escrito brilhantemente por Moira Walley-Beckett, amarrou a trama da temporada de forma esplêndida, sem deixar nenhum resquício faltando, pedra sobre pedra ou grão de areia sobre grão de areia. Como se não bastasse, voltou com um assunto que estava pendente, desde a segunda temporada, assunto esse jogado na cara de Jesse, como um tiro de misericórdia:
"Eu vi a Jane morrer. Eu estava lá. E eu a vi morrer. Eu a vi sofrer a overdose e morrer sem ar. Eu poderia ter salvado ela. Mas não salvei."
Declaração que deixa ainda mais claro o homicídio doloso (sim) cometido por Walter, ao assassinar Jane sem precisar colocar um dedo sequer sobre ela. Walter sentiu muito aquele momento, mas não ousou em guardá-lo na memória, usando de forma sádica, perversa, bem propícia para aquele momento.


Momento esse que a espinha do telespectador gelou completamente. Jesse, olhando para os urubus, enquanto já dávamos como certo a sua morte. Se morresse ali, seria justo, pois apesar de tudo que sofreu, tudo que passou nas mãos de Walter, Jesse não é inocente o suficiente para ser taxado como vitima, porém sua morte, caso ainda aconteça, não deverá ser daquela forma, e sim, mais grandiosa, impactante ou até mesmo redentora, porque não. 

Hank sim, teve uma morte merecida e digna. Morreu de cabeça erguida, atirando. Ao lado de Gomes, não seria admissível vê-los saírem ilesos, mesmo com a grande proposta de Walter, pedindo clemência para o cunhado que o levaria para a cadeia. Hank ficou cego por vingança, agindo de forma descontrolada, egoísta, também tentando fazer justiça com as próprias mãos. Claro, se fizermos um ranking com os personagens que mais cometeram "pecados" em Breaking Bad, Hank não estaria no topo, mas estaria no "Hanking", com o perdão do trocadilho.

Em Breaking Bad, direi pela milésima vez, não há vitimas e podemos esperar a morte para todos. A maioria dos personagens tem motivos para morrer, exceto Holly, Flynn e Marie. Essa última até conseguiríamos julgá-la por ser complacente à Hank ou por ter aceitado dinheiro ilícito para o tratamento de seu marido, mas convenhamos que seria um "pecado" perdoável, dado ao momento. 

Em cena que não houve mortes, mas entrou para a história da série como uma das mais impactantes, Skyler se volta contra Walter, numa atitude completamente plausível, pois aquele mentiroso, que falava a verdade, não merecia crédito algum. Mesmo Skyler ter sido complacente com o marido, nunca aceitaria a morte de Hank, ainda mais acreditar que Walter não teria nada a ver com a história.

Detalhe que Skyler condenou Walter pela morte de Hank, equivocadamente, da mesma forma que Walter a condenou por ter contado a Flynn a verdade sobre ele. Ambos fizeram julgamentos precipitados, como a maioria dos personagens fizeram em muitos momentos da série, e nesse caso, completamente justificável pela situação.   

Por falar em Walter Junior, quem diria que veríamos ele se voltar contra seu pai. Todos imaginávamos que por Walter ser o seu (ex) herói, provavelmente seria complacente aos crimes de seu pai, mas claro, aquela situação não poderia ser feita de outra forma, porém se Walter tivesse contado a verdade para seu filho anteriormente...  


Enquanto isso, Jesse, a vida salva pelos conhecimentos adquiridos por ter trabalhado com Walter, segue sobrevivendo, acorrentado como um cão, sendo chantageado para que as duas únicas pessoas que estima em sua vida, não sejam mortos, mas sem a garantia que isso realmente não acontecerá. Uma saída genial para que o personagem não morresse naquele deserto, dando esperanças de um fim bonito (ou não) para o personagem que tanto amamos.

Sim, amamos Jesse, amamos Walter, amamos todos os personagens de Breaking Bad. Eu pelo menos. Sei que todos fizeram coisas horripilantes em certos momentos, sei que fizeram coisas que até o diabo duvida, mas sei afundo sobre o que tem dentro deles, mascarados pela transformação que a vida lhes causaram. Justas ou não. Escolhas mal feitas por ganância, ego, vingança, muitas vezes compactuadas por nós telespectadores, pois ao assistirmos Breaking Bad, desde o começo, desde a informação que a gíria que dá nome à série, que trata-se de "escolhas erradas de alguém que desviou-se do caminho correto e passou a fazer coisas erradas", justifica a montanha russa de amor e ódio por todos eles.


Ozymandias termina amarrando dois anos anos de mistério imposto pela barba e cabeleira de Walter, colocando a trama de forma linear, com tudo fazendo sentido, para que acompanhemos agora a história de Walter após seus 52 anos, armado até os dentes com uma metralhadora e com a ricina, voltando, talvez, para se vingar daqueles que transformaram sua vida no inferno que é. Se vingar de Walter White.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

TOP 5 Séries Melhores que Game of Thrones

— Vikings: "Gosto de Game of Thrones porque tem muita luta medieval, sangue..."

As lutas medievais de Vikings são muito mais intensas, extremamente constantes na série. A série também vem de uma adaptação, só que dá história da humanidade, quando exploradores, guerreiros, comerciantes e piratas nórdicos invadiram, exploraram e colonizaram grandes áreas da Europa e das ilhas do Atlântico Norte a partir do final do século VIII. A série também é muito mais viciante, sem a morosidade de diálogos vistos na série da HBO.

— Banshee:  "Gosto de Game of Thrones porque tem muitas cenas de sexo e nudez"

As cenas de sexo de Banshee são extremamente mais explícitas. Nudez é cotidiano na série, inclusive nudez frontal. E a nudez de Banshee não são como em Game of Thrones, que praticamente mostra a nudez de prostitutas, personagens secundários. Em Banshee os atores principais estão nessas cenas. Banshee também ganha no quesito violência, sangue, ação, além de ter roteiro original.

— …