Breaking Bad "Granite State" 5x15


O que eu faço, faço pela minha família.

A frase dita por Walter para Saul em um certo momento de "Granite State", ilustra muito bem o que realmente importa para ele. Apesar de ter se desfocado durante a série, sendo dominado por seu ego, Walter nunca esqueceu o que o levou até onde está, principalmente agora que se vê na pior, acabado, derrotado. Claro, seus erros não são justificáveis, mas pelo menos são assumidos, em alto e bom som para Flynn. Já é um começo. É o começo do fim.

Sua família é tudo, mesmo ela estando contra a sua pessoa. Mesmo Skyler ter ido contra à fuga, protegendo sua família com unhas, dentes e uma faca, Walter deu um jeito de ajudá-la, quando parecia (pelo menos para mim) estar desabafando. Mas ainda não é o suficiente para isentá-la totalmente. Skyler comerá mais do pão que o Heisenberg amassou por um tempo, com dificuldades financeiras e reprovação da sociedade, mas o pior é sobreviver com ameaças constantes do legado deixado por Walter, pois enquanto viver, enquanto Lydia, Todd e sua gangue viverem, o que restou de sua família correrá risco de ser dizimada a qualquer momento.


Jack, Todd e sua turma. O alvo a ser batido. É um objetivo em comum entre Skyler, Walter, Jesse e todos nós. Imploramos com veemência para que aqueles crápulas paguem e com juros pelas atrocidades que cometeram, pois ali sim impera todo o mal que os seres humanos conseguem absorver. A maioria dos personagens foram autores de maldades durante a série, mas também sabemos da bondade que existem neles, ao contrário da gangue que impera a maldade. Todd, o demônio com cara de anjo, orquestrou malignamente vários momentos na série que ninguém creditaria à ele, devido seu jeito meigo e com fala mansa, mas deve pagar por isso da pior maneira possível. 

Torço para que seja derretido no ácido, ainda com vida. Sendo generoso.

No momento somos levados a esquecer os pecados que Walter e Jesse cometeram durante a série, agora torcendo para que saiam desse terror que estão vivendo. Mais uma vez partimos os nossos corações pela dor de Jesse, ao presenciar a morte impiedosa de Andrea. Quando imaginávamos que não poderíamos vê-lo mais sofrer tanto, testemunhamos mais uma dor absurda do personagem, de longe o que mais sofreu na série. Ele fez o que tinha que fazer, fugir, porém infelizmente pagou caro pela sua ação.


Enquanto isso, Walter inicia a sua vida de fugitivo, que serviu para sabermos os últimos passos dele antes de "Live Free or Die", quando decide voltar armado até os dentes para se vingar daqueles que destruíram a sua vida. Todd e sua gangue eram o alvo mais claro, mas agora surge Gretchen e Elliott, personagens que serviram de estopim para a volta de Walter, aquele que mais uma vez se entrega, mas é re-motivado por ironia do destino.

Ao lado de seu amor por sua família, seu ego ainda fala alto dentro de seu peito, e ver sendo descreditado da criação efetiva da Gray Matter - empresa que vale bilhões e não teria existido sem ele - o levou ao início de suas ações, um dos aspectos que o motivaram à fabricar metanfetamina, fazendo com que reascendesse o desejo de lutar.

Mas a luta deverá ser bem pensada, típica do personagem, pois apesar de estar munido com uma metralhadora, Walter não voltará para Albuquerque atirando em tudo e em todos, estabanadamente, pois ele sempre usa a sua genialidade química antes da força. Talvez a ricina seja usada em Gretchen e/ou Elliott, dupla que agora cospe no prato que comeu. Especulando um pouco.


"Granite State" foi mais um ótimo episódio e que preparou a cama para o grande finale. A calmaria antes da tempestade. O silêncio que precede o esporro. Um episódio que ainda trouxe cenas impactantes, mas que serviu para nos levar ao principal aspecto que deu origem à série - ilustrado muito bem pelo tema musical que fechou o episódio. Família e ego. Justiça com as próprias mãos. Walter White imbuído de um objetivo que dificilmente não deixará obter, mesmo que isso cause a sua morte, completamente plausível nesse momento. 

Felina nos dirá.

Tecnologia do Blogger.