Pular para o conteúdo principal

Dexter: "Dress Code" 8x07


"Nem parece ser a última temporada."

É o que as pessoas dizem o tempo todo nas redes sociais. E tem muita verdade nisso.

Aí eu começo a lembrar de quando oficializaram que essa seria a última temporada de Dexter, em meados de abril desse ano. E a nova temporada estreou pouco mais de dois meses depois. A notícia dizia que a decisão já tinha sido tomada após o fim da 7ª temporada, então demoraram quase quatro meses para divulga-la? Grande mentira.

O que quero dizer é que a última temporada de Dexter não foi tratada inicialmente como última, e agora, após sete episódios exibidos, faltando apenas cinco para o fim da temporada, temos a prova. Começou promissora, mas a temporada tornou-se pífia, indigna à série, cheia de subtramas irrelevantes e uma trama principal que não empolga ninguém. Deverá ter um desfecho sim, mas feito literalmente "nas coxas".

O fim de uma série "consagrada" como Dexter não deveria ser planejada assim. Teria que ser planejada bem antes para que fosse a maiúscula temporada final e não isso que estamos vendo. Deveria tomar o exemplo de LOST, que começou a planejar o fim três anos antes, ou de Breaking Bad, que decidiu que a série deveria terminar dois anos antes.

"Dress Code" foi mais um episódio onde vários aspectos fizeram os fãs da série se revirarem nos túmulos, sim, nós morremos. Hannah esteve de volta, mas com uma inserção mais porca do que nunca. Dexter esqueceu que Hannah tentou matar sua irmã? Sim, esqueceu, por amor. Sim, o amor, sentimento que o bom e velho Dexter nunca teve. Tudo bem, ele (infelizmente) não é o que era antes, mas perdoar um psicopata que tentou matar sua irmã é inadmissível, ainda mais que ela não é de confiança e só voltou para que ele a ajudasse e não porque o amava. Ademais, Dexter esqueceu que ele a colocou atrás das grades.


A dupla está de volta às "1000 maravilhas". Isso nunca poderia acontecer. Até seria um pouco mais plausível se Lumen voltasse, por pior que isso soe, seria menos ruim.

Fico até enojado de comentar sobre a dupla de psicopatas que se formou no episódio passado. Dexter professor, não precisávamos disso. Claro que o aluno faria merda e fez. Agora Dexter terá que matá-lo, mas não conseguirá tão fácil. Mais um que saiu de sua mesa que deveria estar no fundo do oceano.

Quinn, Batista, Jamie, Masuka... Não vamos falar hoje sobre eles, vamos evitar a fadiga.

Pra terminar, infelizmente terei que tocar em um assunto que elogiara em reviews passadas. Vinha dizendo que finalmente a série estava mais atenta aos detalhes e pecava menos na produção e roteiro como em temporadas anteriores. Porém nesse episodio, algumas atrocidades no roteiro foram notadas, trazendo desespero a esse que vos escreve.

Vimos nos primeiros minutos Debra, num diálogo com Dexter:

Dexter:
— Se ela nos envenenou, por que não nos matou?
Debra:
— Quem sabe, Dexter? Talvez consumimos pouco veneno.

Sério? Sério roteirista? Sério Jennifer Yale? Sério que Debra diria uma coisa tão imbecil como essa? Óbvio, extremamente óbvio que Debra nunca pensaria assim, pois caso Hannah quisesse matá-los, não daria a eles uma dose fraca de veneno.

Outro exemplo do roteiro porco foi no diálogo entre D. Volgel - personagem antagonista que veio promissora, mas caiu no desleixo - com Dexter, quando a doutora primeiramente abominava a união de dois psicopatas para depois insistir que Zack é de sua responsabilidade, além de ter motivado essa união. Ah vá...

E a desculpa de Hannah? "Eu disse para a tripulação que Miles foi para Nova York por alguns dias". Que tripulação idiota acreditaria nisso, vindo de uma namorada tida como interesseira? Ah vá...


Dexter é como arbitragem de futebol. Não se pode elogiar antes de terminar o jogo, porque a desconfiança impera durante os 90 minutos, no caso de Dexter, 50 e poucos sofríveis minutos.

Postagens mais visitadas deste blog

Confira as 5 séries mais vistas na Netflix pelo mundo

Nos últimos dez anos, a Netflix transformou a forma como o mundo assiste filmes e programas de TV, fornecendo aos assinantes uma enorme biblioteca de clássicos convencionais  e dezenas de recomendações personalizadas - tudo disponível na ponta dos dedos. Isso é mais do que apenas conveniência,  é a metamorfose da mídia.
Usando os dados do Google Trends, o site highspeedinternet.com classificou os países pelo número de pesquisas relacionadas à Netflix e referenciou as suas classificações com as séries mais procuradas. No mapa acima você confere qual é a TOP de audiência em cada país, e, abaixo você confere quais as 5 séries mais procuradas no serviço de streaming.
TOP 5:

1 - Sherlock
2 - Friends
3 - Narcos
4 - House of Cards
5 - New Girl

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

TOP 5 Séries Melhores que Game of Thrones

— Vikings: "Gosto de Game of Thrones porque tem muita luta medieval, sangue..."

As lutas medievais de Vikings são muito mais intensas, extremamente constantes na série. A série também vem de uma adaptação, só que dá história da humanidade, quando exploradores, guerreiros, comerciantes e piratas nórdicos invadiram, exploraram e colonizaram grandes áreas da Europa e das ilhas do Atlântico Norte a partir do final do século VIII. A série também é muito mais viciante, sem a morosidade de diálogos vistos na série da HBO.

— Banshee:  "Gosto de Game of Thrones porque tem muitas cenas de sexo e nudez"

As cenas de sexo de Banshee são extremamente mais explícitas. Nudez é cotidiano na série, inclusive nudez frontal. E a nudez de Banshee não são como em Game of Thrones, que praticamente mostra a nudez de prostitutas, personagens secundários. Em Banshee os atores principais estão nessas cenas. Banshee também ganha no quesito violência, sangue, ação, além de ter roteiro original.

— …

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…