Breaking Bad: "Confessions" 5x11


— Porque não se mata, Walt? - Marie

Porque essa opção nunca passou por sua cabeça, pelo menos por enquanto.

A história se repete: ao passar por apuros, primeiramente Walter tenta se defender, eliminar provas que possam incriminá-lo, mas depois contra-ataca. Genialmente, contra-ataca. Não é de hoje que sua inteligência não está restrita "apenas" à química. Não. A mesma genialidade que Walter maneja os elementos, ele tem para se safar de situações completamente adversas.

"Face Off" e "End Times" estiveram muito presentes nesse episódio e não digo apenas pela cena derradeira, com Jesse descobrindo toda a verdade sobre o envenenamento de Brock, mas também pela mesma maneira perspicaz e genial que Walter usou para se livrar de seus inimigos. No fim da quarta temporada, quando Walter estava sem saída, pois Skyler levara a última opção de fuga, dando seu dinheiro para Ted, Walter não teve outra saída a não ser contra-atacar, encarando Gus de frente e exterminando aquele que tentava exterminá-lo.

Porém exterminar, ou mandar para Belize, como queiram, está fora de cogitação por se tratar de Hank. Contudo, com a mesma genialidade de planejamento, Walter pregou o último prego no caixão de Hank, mesmo o mantendo vivo. Hank, que já não tinha provas concretas para colocar Heisenberg atrás das grades, agora que se encontra numa situação praticamente irreversível. Não poderá colocar Walter atrás das grades e se tentar, ele, o inocente da história, poderá estar entre elas.


A artimanha foi genial, porém muito, mas muito cruel. Hank é família, como ele disse diversas vezes, e ali ele destruiu metade dela para salvar sua pele. Claro, não tinha outra opção e sim, contra-atacar. Mas a sua confissão que durante alguns segundos fez-nos acreditar que diria a verdade, serviu como golpe de misericórdia à família Schrader. Doeu neles e em nós. Santa perversidade. Santa hipocrisia.  

Essa foi a grande confissão que o episódio sugeria. Como bem imaginarmos e como bem mencionei o último podcast, Jesse não iria entregar Walter de forma alguma, ainda mais para Hank, a pessoa que ele mais odiava naquele momento. Salvo pelo gongo, ou melhor, por Saul, Jesse foi convencido em mudar de vida, de estado e de mundo por Walter, mas não sem antes jogar grandes verdades em seu rosto. Em uma cena extremamente emocionante, o pai se despede do filho. Walter, o pai, se despedia de seu filho, sua liberdade, única coisa que se importa nesse momento.

Mas não contava com o acaso. Não contava com o baseado aceso no escritório de Saul, como bem sugeriu o episódio "Blood Money". Como sempre digo, mais uma vez a resolução de uma falcatrua de Walter vem à tona pelo acaso, pelo azar que todo mentiroso há de passar. Jesse une as peças do quebra-cabeça que desmascara Walter, deixando claro a sua trama culminada em "Face Off". Ali, Jesse descobre uma das duas coisas que o faria mudar de ideia, que faria desistir de seu sumiço. 


Ele "aceitou" tudo de Walter, todas as suas mentiras, porém o envenenamento de Brock ao lado da morte de Jane, são dois pecados cometidos por Walter que Jesse nunca iria perdoar se descobrisse, fazendo com que definitivamente a guerra fosse iniciada por eles. Jesse saiu na frente. Adeus casa da Família White. Onde está Walter Junior? Estaria em seu quarto naquele momento? OMG!

O cigarro. Protagonizou o primeiro segundo de "Confessions", nas mãos de Todd, dando dica de que essa droga que o mundo julga "inofensiva", é capaz de fazer grandes estragos.

Tecnologia do Blogger.