Revolution: 01x12-16


Nos últimos episódios descobrimos que o apagão foi causado por conta de um projeto de Rachel e Ben que deveria ajudar a população mas, por causa de Randall e sua revolta devido a morte de seu filho, foi colocado em prática antes da hora. Rachel resolve contar a Aaron sobre um lugar chamado “Torre” que pode ajudá-los a religar a energia, e os dois resolvem viajar juntos com o objetivo de religar a energia. Tom não deu muita sorte com Monroe e acaba sendo pego pelos rebeldes e Rachel quase o mata, mas Charlie a impede. Tom foge dos rebeldes (novamente), fala sério, personagem chatíssimo, já tá na hora de morrer. Até agora não vi nenhum vilão que fosse interessante em Revolution. 

Monroe envia uma bomba nuclear à Georgia e Miles vai até lá com alguns rebeldes e impede que a bomba seja explodida. Lá a “presidente” que já conhecia Miles em seu passado obscuro (a.k.a psicopata) propõe a Miles que ele e os rebeldes se unam à Georgia contra Monroe. Aparentemente Miles gostou da ideia e acaba aceitando. Rachel e Aaron vão até a casa de uma amiga de Rachel para conseguir um livro com informações sobre a Torre, e é revelado que os nanorobôs tem uma espécie de “poder de cura” e mantinham Danny vivo (a propósito, esse mesmo dispositivo que Rachel tira do corpo de Danny logo após ele morrer).

Os dois últimos episódios da série (15 e 16) foram episódios muito bons, apesar dos pesares. Mas que continuam enrolando o público. Monroe decide matar Miles e arma um plano que envolve o passado de ambos, em sua cidade natal. Miles, após receber o “convite” vai até lá, porque sabe que Monroe aprontou alguma. Basicamente Miles é corno da sua namorada de adolescência, Emma, porque ela deu uma de “Bella Swan” e resolveu amar os dois ao mesmo tempo, enquanto Miles dormia, ela dava uns pegas em Monroe, e pior, ficou grávida de Monroe. Tiro vai, tiro vem, no momento que Emma faz a revelação a Monroe, um dos rebeldes atira nela na intenção de atingir Monroe e a mulher morre, e Monroe desiludido da vida, volta pro seu QG chorando rios por saber que é papai e com cara de “mas que ***** eu fiz?”. Do outro lado, Aaron encontra sua esposa e descobre que ela tem outra família e que não pode ficar com ele. Tom que aparece do nada aliado a Kelly me deixou com cara de “wtf?”, simplesmente foi uma coisa que aconteceu do nada. Like equipe rocket em Pokémon.

Os Rebeldes “resgatam” um cientista que estava sendo obrigado por Monroe a criar uma bactéria que infectaria a população. Já estou de saco cheio de sua vilania idiota Monroe, morra. Acabam tendo desentendimentos entre Miles, Charlie e Tom. Charlie, junto com Jason e Nora resolver agir para libertar o cientista e deixa-lo com sua família. Mil tretas. Eu poderia colocar Tom e Monroe num saco e tacar fogo nos dois pra ver se a série fica mais interessante. A propósito a série está se tornando interessante, mas o foco está em Aaron e Rachel que estão em busca da tal Torre, que é o principal mistério da série. Rachel mostra a Aaron que ele está no livro de sua amiga e que tem algo a ver com o apagão.

Já na Torre, nossa linda Grace (que eu estava com saudades, pois só quando ela aparece pra encerrar os episódios é que a coisa fica tensa) aparece novamente e assustada com algo que acontece quando ela liga o elevador e algum demônio enviado pelo capiroto aparece no sétimo andar e sobe até Grace. E lá vai ela encerrando o episódio com cara de assustada e nos matando de curiosidade. 

E podemos comemorar (?) pois a série teve sua segunda temporada confirmada e que PELA FÉ DE J.J. ABRAMS vai saltar de vez em algum momento.

É isso, tive que fazer novamente um "balanço" dos últimos episódios e enxugar muitíssimo do que aconteceu pra poder ficar em dia com vocês. Minha internet é uma sacana. 

Tecnologia do Blogger.