Doctor Who: "She Said, He Said" - Prequel


Não foi nenhuma surpresa quando foi anunciado que "The Name of the Doctor" teria um prelúdio, pois uma das marcas registradas da série são os mini-episódios especiais, chegando a ter inclusive minisséries desses episódios como "Night and the Doctor", que mostra algumas aventuras do Doctor durante a noite, e "Pond Life", que mostra o cotidiano da vida de Amy e Rory afetados pelo Doctor. E como o início da Parte II da temporada também teve um prelúdio, mais do que esperado que a season finale também tivesse. Mas com certeza ninguém esperava que "She Said, He Said" fosse tão grandioso, uma introdução épica para o episódio épico que está por vir.

O episódio consiste basicamente nos depoimentos de Clara e do Doctor sobre eles mesmos: ela, dizendo o quanto o Doctor é magnífico e enigmático, ele dizendo o quanto Clara é perfeita e impossível, e que ambos achavam que nunca descobririam o mistério que os cercava, até que um acontecimento mudou tudo: a ida à Trenzalore.


Se todos já estavam ansiosíssimos pela season finale, agora estão arrancando os fios de cabelo um por um. Só de saber que a profecia finalmente se cumpriu, que o Doctor finalmente disse seu nome e que o mistério de Clara Oswald está resolvido, tudo isso em um episódio, com certeza está fazendo todos os whovians não se aguentarem mais de curiosidade. Mas a grande sacada de gênio desse mini-episódio não foi simplesmente ter revelado tudo isso. Ele foi genial pela forma como foi feito. Não se vê esse tipo de promoção em outras séries, um mini-prelúdio de um episódio narrando os fatos que já aconteceram. Além de que tudo contribuiu para a sua grandeza: a urgência do Doctor e Clara por finalmente saberem o segredo um do outro; todos os elementos de suas aventuras passadas amontoados (o vestido da Clara vitoriana em "The Snowmen", o retrato dela feito pelo Doctor no monastério em que ficou isolado, as peças do templo de Akhaten juntamente com a nave que eles usaram para chegar até lá, o tabuleiro de xadrez do Cyberman em Hedgewick's World, e muitas outras coisas) sugerindo que tudo aconteceu a muito tempo; a trilha sonora espetacularmente inebriante, aumentando ainda mais o clima de suspense... Tudo extremamente genioso. Saber fazer esse tipo de publicidade criativa é para poucos, e nesse quesito a BBC está de parabéns.

Mas o que mais me deixou pasmo/com o queixo caído/limpando a baba do chão foi a mais nova trollagem de Steven Moffat: eu havia dito na review de "The Crimson Horror" que Clara era perfeita demais, que ela se encaixava em todas as situações, não tinha uma personalidade própria, e que eu esperava que isso tivesse a ver com o mistério por trás da existência impossível dela. Pois bem, tem a ver! Vimos que o Doctor percebeu que Clara era perfeita demais para ele, sempre lá para ajudá-lo de alguma forma. E nós aqui (eu, principalmente) falando que era um caso de má construção de personagem. Moffat está longe desse tipo de vacilo, o cara é um motherfucking gênio, um dos roteiristas mais criativos da atualidade. Não duvido nada de que ele está preparando tudo isso desde quando começou a escrever para a série em 2005, inclusive podemos perceber algumas provas disso, como no episódio "Blink" da 3a temporada em que o Doctor fala sobre seu casamento (que viria a acontecer na 6a ), e claro, toda a história dos Pond, que teve início na 4a temporada para atingir seu clímax e desfecho apenas na 7a. Agora entendemos o que ele quis dizer numa entrevista quando assumiu o cargo de showrunner da série e afirmou: "essa é uma fan-fiction que deu certo". Deu muito certo, e vai melhorar ainda mais!

Era pra ser uma mini-review de um mini-episódio, mas foi impossível falar pouco de um episódio tão fantástico. Para os que não viram ainda, deixo aqui o episódio legendado pelo pessoal super cool do Universo Who (o melhor site sobre Doctor Who no Brasil) e abaixo o trailer da season finale que irá mudar tudo. Até a próxima review. GERONIMOOO!!



Tecnologia do Blogger.