Doctor Who: "Cold War" 7x08


E aí viciados? Tudo na paz? Confesso que achei que essa review iria demorar mais pois essa semana eu fui acometido pela tal da dengue (é horrível, não queiram ter nunca) mas eu melhorei bem rápido thank God, e já estou pronto pra comentar sobre o tão esperado retorno dos Ice Warriors. Vamos falar um pouco sobre esses caras.


Os Ice Warriors (Guerreiros do Gelo) são nada menos do que marcianos. Sim, eles são a raça alienígena que habita o Planeta Vermelho no universo Who, só que eles são um tanto diferentes dos marcianos aos quais estamos acostumados. Eles são criaturas reptilianas gigantes com corpos musculosos cobertos de uma casca dura. Quando Marte esfriou eles tiveram que se adaptar ao clima, construindo armaduras para viver no frio congelante, se tornando ciborgues biomecânicos, daí o nome guerreiro do gelo, pois eles foram criados para viver no gelo. Sua principal arma é o Disruptor Sônico, uma arma que libera uma onda sônica e mata tudo que encontra no caminho. Sua maior fraqueza é o calor, pois suas armaduras foram feitas para o frio.

Bem criativos, não? Melhor do que os baixinhos verdes e cabeçudos que geralmente são os marcianos mais comuns. Ponto para a criatividade dos roteiristas da série clássica, que sempre criaram raças aliens super legais e fora do padrão comum de aliens (vide os Daleks, os saleiros mais perigosos do universo). A primeira aparição deles na série foi em 1967, no arco "The Ice Warriors", com o segundo Doctor, Jamie McCrimmom e Victoria Waterfield, que se envolvem nos assuntos da Base Brittanicus, cuja equipe encontra Varga, capitão de uma nave espacial marciana, congelado no século L (50).

Os Ice Warriors originais e os atuais. Emagreceram bastante, hein?

Agora que já estão mais familiarizados com os marcianos gelados, vamos começar a falar do episódio em si, que foi um tanto diferente do que estamos acostumados em Doctor Who.

O Doctor e Clara estão a caminho de Las Vegas, mas acabam aterrissando em um cenário totalmente diferente: um submarino soviético no Polo Norte em 1983, auge da Guerra Fria, em que a relação Estados Unidos/ URSS não poderia estar mais tensa. A bordo do submarino, o professor Grisenko está levando a Moscou o que ele acredita ser um mamute congelado a 5000 anos. Mas aí o gelo derrete e uma criatura estranha e altamente destrutiva está à solta. O Doctor fica chocado ao descobrir que aquele é na verdade Skaldak, Grão-Marechal do exército dos Ice Warriors e um dos maiores heróis da raça marciana. Com o submarino munido de armas nucleares e um marciano abandonado e sem nada a a perder, não apenas a tripulação está em jogo, mas toda a humanidade.

Não sei quanto a vocês, mas eu estava MUITO ansioso por esse episódio. Eu queria muito ver os novos Ice Warriors, como eles seriam retratados na nova série, também sou fã de submarinos afundando, acho um ótimo contexto para histórias, mas o motivo por eu estar mais ansioso por esse episódio foi pela época em que se passa: 1983. Eu sou louco pelos anos 80, um verdadeiro 80's Freak. Sou fã dos filmes da época, das músicas, até mesmo das roupas extravagantes e exageradas. Como o próprio Doctor disse: "São os anos 80, tudo é maior". E desde o retorno da série nenhum episódio havia se passado nessa década tão marcante, estava fazendo falta. Mark Gatiss, o roteirista do episódio, fã declarado dos Ice Warriors, fez um ótimo trabalho de contextualização nesse episódio, com um clima super oitentista (me lembrou muito os filmes da franquia Alien, com a tripulação perseguida por uma criatura mortal à espreita). Além do clima de urgência gerado pela Guerra Fria, que deixou as pessoas paranoicas pelo risco de um apocalipse nuclear. E o Skaldak também está aprovadíssimo. Ainda não conheci os Ice Warriors da série original, mas como Gatiss disse que eles tentaram ser o mais fiel possível aos originais, eles já entraram pra lista dos melhores aliens da série, no patamar dos Daleks, Cybermen e cia.


Os atores convidados também estavam muito bons. David Warner estava ótimo como um professor excêntrico e fã de música pop da época (vi muito de mim nele). Mas a surpresa foi Liam Cunningham, que interpreta Zhukov, capitão do submarino. Os mais novos devem reconhecer ele pelo elenco de Game of Thrones no papel de Davos Seaworth, mas os mais velhos com certeza devem se lembrar dele como o Capitão Crewe, pai de Sarah no filme A Princesinha, clássico da Sessão da Tarde e da infância de muita gente (como da minha).  É muito bom vê-lo de volta à ativa, pois é um excelente ator. Tomara que ele não fique só nas séries e também retorne ao cinema que trouxe sua fama.


Agora a sessão easter-eggs: Quando Skaldak, que se descobre sozinho na Terra e abandonado por sua raça, resolve lançar os mísseis do submarino para iniciar a Guerra, o Doctor ameaça explodir a todos no submarino com o ajuste vermelho da chave de fenda sônica. Quem tiver boa memória se lembra de quem foi a primeira a mencionar esse ajuste vermelho: River Song em seu primeiro episódio "Silence In The Library". Ela diz ao Doctor que um dia a chave terá um ajuste vermelho, junto com outras revelações sobre o futuro dele, como seu próprio nome. Ao que tudo indica ela só retornará à série na season finale, e infelizmente pode ser a última aparição dela, pois um dos possíveis nomes do episódio é "The Funeral of River Song". Claro que sabemos que ela está a salvo na memória da Biblioteca, mas mesmo assim, vai ser desconcertante vê-la partir da série.


Agora o mais importante de todos: a música Hungry Like The Wolf, do Duran Duran. O professor Grisenko a menciona durante o episódio quando ele e Clara estão procurando por Skaldak que saiu de sua armadura e está matando a tripulação aos poucos, e pergunta a Clara se ela a conhece e pede para ela cantar. Já é a terceira referência Clara/Rose, agora a relacionando a The Bad Wolf, versão bad-ass da Rose quando absorveu a energia da TARDIS. Agora que esse mistério da Clara está ficando ainda mais instigante! Qual a ligação entre Clara e Rose? Serão elas parentes ou algo do gênero? Ou será Clara criação de Rose? Enfim, as teorias são inúmeras, mas Steven Moffat é imprevisível, e sem dúvida a resposta para esse mistério será algo totalmente inesperado. Quem quiser conferir a música, deem uma olhada para ver as semelhanças com Rose e The Bad Wolf, e se curtirem músicas
dos anos 80, também confiram pois a música é ótima (aliás, Duran Duran é muito foda!)



No geral foi um episódio muito bom, muito bem caracterizado. Esperava-se que fosse mais épico, mas cumpriu suas expectativas e ainda reintroduziu um ótimo vilão pra série atual.  Agora é ficar torcendo para que eles retornem logo  com suas vozes reptilianas e armas sônicas.

O próximo episódio, "Hide", parece que será um excelente episódio de terror, que estão fazendo muita falta, pois desde a 6a temporada que não temos um bom episódio de terror. Fiquem com a promo fantasmagórica e até a próxima review. GERONIMOOO!!!



Tecnologia do Blogger.