TOP 5: Vale a Pena Ver de Novo


Calma aí pessoal. Nós não vamos escrever reviews de novelas, longe disso. Bate na madeira. Vamos apenas usar o nome de um programa famoso da Rede Globo simplesmente porque seu nome tem tudo a ver com a nova coluna do Viciado em Série.

Está no ar a coluna "Vale a Pena Ver de Novo", nome escolhido simplesmente para listarmos as séries que valem a pena ver de novo, com motivos, razões e circunstâncias. Se você já viu alguma das séries abaixo, reveja-as porque vale a pena. Se ainda não, assista e re-assista. Vamos lá!


5 - Pushing Daisies - Por Lucas Vitor

Existem poucas séries hoje que podemos chamar de geniais. Séries com enredos originais e criativos, que surgem de tempos em tempos e trazem uma inovação ao modo de se fazer televisão. Uma delas é Pushing Daisies, uma verdadeira obra-prima da TV americana.

A genialidade começa na premissa simplesmente fantástica: Ned (Lee Pace) é um confeiteiro com um dom extraordinário: ele consegue trazer os mortos de volta à vida através do toque (sejam eles pessoas, animais, frutas, etc). Mas como já dizia o ilustre Tio Ben: "Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades", e no caso de Ned não seria diferente. Se ele tocar a pessoa que ele reviveu novamente, essa pessoa morre permanentemente e não pode ser ressuscitada. E se por acaso ele deixar essa pessoa viver por mais de 60 segundos, outra pessoa que está próxima morre em seu lugar. Tenso, não?Ned usa esse dom para ajudar o investigador particular Emerson Cod (Chi McBride) a solucionar casos de assassinato ressuscitando as vítimas temporariamente com o intuito de descobrir o assassino. 

Tudo ia muito bem até que a vítima mais inesperada aparece: Charlotte "Chuck" Charles (Anna Friel), o amor de infância de Ned, é assassinada em um cruzeiro. Quando o corpo é enviado de volta para casa, Ned a revive para tentar descobrir quem a matou, mas não consegue aceitar a ideia de perdê-la para sempre. Daí ele resolve mantê-la viva, sacrificando a vida do diretor da casa de funeral. Então Ned e Chuck aproveitam a segunda chance e se apaixonam mais uma vez, mas o grande porém: eles nunca poderão se tocar, senão ela morre de vez e não poderá ser revivida.

Com uma história como essa sem dúvida vocês imaginaram algo extremamente sombrio e tenebroso, mas é aí que entra a genialidade: Pushing Daisies tem um tom extremamente alegre e otimista, misturando vários gêneros de forma quase perfeita: drama, comédia, investigação, romance, até mesmo musical (sim, há cenas musicais, dignas de aplausos, melhores do que qualquer coisa vista em Glee). Os elementos cinematográficos também contribuem para isso. A fotografia é extremamente clara, maximizando as cores, em especial o vermelho e o laranja, cores mais vivas, e a direção de arte e figurino super retrô, remetendo às comédias da década de 60.

Infelizmente a série sofreu muito com a greve dos roteirstas, resultando em apenas 2 temporadas de poucos episódios (a 1a com 9 episódios e a 2a com 13), mas como diz o famoso ditado: "as melhores fragrâncias vêm nos menores frascos", e Pushing Daisies é assim, uam série pequena, mas que alcançou em poucos episódios uma qualidade superior à grande maioria das séries maiores. 


4 - Breaking Bad - Por Fábio Lins

A série ainda não acabou, mas está prestes. Breaking Bad exibe esse ano os últimos episódios da última temporada da série, fato que está deixando os fãs enlouquecidos. Contudo, mesmo faltando apenas oito episódios para o fim, a série merecer ser vista e re-vista.

A série veio sem pretensão. Um professor de Química que descobre estar com os dias contados e que entra para o mundo do crime para deixar a sua família com a situação financeira resolvida e não passar dificuldades após sua morte. A sua primeira temporada não chega a ser inicialmente explosiva e viciante, levando alguns a desistência da série. Porém, logo após alguns episódios, nota-se que a série tem um potencial acima do normal e uma simples história, torna-se algo impactante, dramaticamente espetacular. Além, diga-se de passagem, contada por um elenco magnífico.

Em um certo momento você não consegue largá-la e vem a sensação de que o "problema" inicial da série não estava com ela e sim, com você. Ao revê-la, você pega detalhes que passara desapercebido e principalmente, nota passo a passo a evolução do protagonista, que tornou-se outra pessoa nos dias de hoje da série, uma pessoa que estava escondida dentro do simples professor. Eis Heisenberg.

Sendo assim, ao revê-la, você floresce sentimentos cada vez maiores pelos personagens. Todo tipo de sentimento, principalmente, o amor entrelaçado com o ódio.


3 - Fringe - Por Marco Freitas

Encerrada no inicio deste ano, Fringe é uma série que deixou um vazio no coração de muitos seriadores por ai. Com uma trama complexa e detalhista, a série que, por um lado, encantou por sua ousadia, executou movimentos que nem sempre eram bem recebidos pelos publico  ao longo de suas 5 temporadas e talvez por isso tenha derrapado tanto na audiência.

Mas agora que a produção teve sua trama encerrada, fica fácil compreender a razão de decisões que a principio pareciam não fazer muito sentindo, como as tramas passada no universo paralelo ou mesmo a inexistência de Peter. Mas este são só aspectos que ganham novos significados ao final da historia, o fato é que mesmo tendo obvias mudanças na narrativas, é evidente o cuidado e planejamento que os roteiristas da série tiveram durante boa parte da historia.

É possível que no percurso você encontre furos, como o fato de Olivia nunca precisar ter morrido ou nada de terrível ter acontecido a Setembro durante o expurgo, entretanto, nada ofusca o brilho de episódios como ‘6955 kHz’ ou a beleza de ‘The Recordist’, que a primeira vista foram subestimados, já que não deixam claros a que ponto queriam chegar.

Rever Fringe se revela como uma experiência extremamente recompensadora, porque apesar de saber exatamente para onde a historia se conduz descobrimos surpresas que facilmente nos escapam a primeira vista, coisa que pouca séries hoje são capazes de fazer.


2 - Veronica Mars - Por Camila Geraldi

Uma das séries quemais me faz sentir um aperto no coração desde seu final, semdúvidas, é Veronica Mars. Personagens apaixonantes e uma históriadivertida e cheia de mistérios. Ninguém éo que aparenta e segredos que deveriam estar bem escondidos, volta emeia, se tornam as maiores fofocas da cidade. “Estaé a minha escola. Se você estuda aqui, ou seus pais sãomilionários ou trabalham para milionários. Neptune, Califórnia.Uma cidade sem classe média.”

Veronica Mars tem avida perfeita. Um ótimo namorado, uma família feliz, amigos ricos,festas, uma boa escola... De repente tudo isso é tirado dela quandosua melhor amiga, Lilly Kane, é morta. Então começa uma buscadesenfreada pelo seu assassino e o pai de Veronica, Keith Mars, xerife da cidade na época, perdeu o emprego por começar a fazerperguntas indiscretas e desconfiar que alguém da própria família deLilly a tenha matado. Tudo isso parece ruim? Perder a amiga e o paiperder o emprego? Bem, Veronica também perdeu o namorado, que erairmão de Lilly, os amigos e a mãe. A família da loirinha nunca foirica como os colegas de escola e os únicos motivos pelos quais eraaceita no grupo eram Duncan (seu namorado) e o emprego de seu pai,que garantia um estatus na cidade. Quando Keith perde o emprego, suamãe não aguenta a pressão da cidade que se virou contra suafamília após as acusações que o marido fez sobre a família Kane,ela se entrega ao alcool e resolve fugir, abandonando a filha e omarido.

Os dois sobreviveram ecriaram uma ligação pai e filha de dar inveja em qualquer família.Keith abre uma agência de investigação “Mars Investigation”para resolver os casos que a polícia local não consegue. LáVeronica trabalha como recepcionista, fotógrafa e detetive em casospequenos, assim descobre uma ótima fonte de renda: fazer pequenasinvestigações para os colegas de escola. Mas sua verdadeira ambiçãoé descobrir quem assassinou a amiga, já que a polícia nãoconsegue encontrar o culpado. Entre investigações e estudos elafaz grandes amigos, entre eles Wallace, que ela ajuda no primeirodia de aula após encontrar o garoto preso em um poste, eles setornam melhores amigos e Wallace se torna o “Washington” deVeronica; Weevil, o lider de uma gangue de motociclistas, que ajudaVeronica e é ajudado por ela incontáveis vezes e, finalmente,“Mac”, uma hacker que sempre ajuda Veronica quandonecessário.

Claro que como toda boasérie com jovens, temos O casal. Após abandonar todas as esperançasde voltar com Duncan ela começa um romance com uma das pessoas maisinesperadas: Logan. Ex namorado de Lilly e um dos personagens maisinsuportáveis do começo da série. Não há quem não suspire aover Logan e Veronica (LoVe, para os shippers) e torcer para um finalfeliz. Longe de ser uma série adolescente bobinha, Veronica Marsalcançou fãs de todas as idades. Prometo que você não searrependerá de conhecer a sarcástica loirnha que é o terror dosmagnatas de Neptune. Alias, esse é um bom momento para conhece-la.Acaba de ser anunciado que Veronica Mars finalmente irá para astelonas. Desejo de Kristen Bell (atriz que intepreta Veronica) hámuito tempo, ela finalmente se juntou ao produtor da série e aosoutros atores e entraram no kickstarter, projeto de doação onlineonde todos podem contribuir para que o filme seja feito. A meta era 2milhões de dólares em um mês, mas até agora, menos de três,eles já arrecadaram mais de 3 milhões! O filme está prometido para o primeiro semestre de 2014. Alguém dúvida que os fãsestão doidos para poder ver Veronica no cinema? Afinal de contas,ela é um Marshmallow...


1 - LOST - Por Fábio Lins

Está aí uma das séries mais polêmicas dos últimos anos. Se não, a mais polêmica. Uma pergunta pra quem odiou a série: você já re-assistiu a série? Talvez você diga: "Eu não vou assistir essa porcaria de novo. Perdi seis da da minha vida com ela".

Primeiramente, se você só fez isso da sua vida em seis anos, pelo amor. Mas digo a vocês uma coisa: independente. Independente mesmo da sua opinião pela série, ao revê-la, irá mudar. Se você odiou, vai odiar um pouco menos. Se você amou, vai amá-la ainda mais.

Lost foi uma série que não contou os fatos em ordem cronológica, aguçando composições de inúmeras teorias. Ao revê-la de forma cronológica, sem ficar bolando teorias mirabolantes, você aceita os fatos naturalmente, pois Lost não passa de uma série de TV. Não é religião. Ali, acompanhamos a história de personagens que caíram em uma ilha (especial) e que buscaram a redenção. Cada um por um motivo. Cada um levou o fim que mereceu.

Você revive os personagens com mais carinho. Lost tem uma infinidade de ótimos personagens, algo que faz falta nas séries atualmente. Lost tem dezenas deles. Mesmo os vilões, aliás, principalmente os vilões. A série não é perfeita como nenhuma outra é, contudo, vale a pena ser re-vista, mas de coração aberto. Por simples (ou não) entretenimento.
— // —

Pra fechar o especial, uma dica: vale muito mais a pena você re-assistir uma boa série do que perder tempo com algumas novas séries que começam bem, mas que caem num abismo terrível, culminando em seu cancelamento. Isso sim é realmente uma perda de tempo.
Tecnologia do Blogger.