The Walking Dead: "Clear" 3x12


Uma pausa na guerra contra o governador para The Walking Dead fazer o seu dever de casa.

Morgan Jones, um dos primeiros personagens da série. O homem que salvou Rick. Seu personagem estava esquecido pela maioria devido ao rumo que a série tomou e pelos atuais momentos eletrizantes. Mas você, telespectador detalhista, esperava o momento em que eles iriam nos contar o paradeiro daquele herói, aquele que era chamado e não respondia, aquele personagem que merecia ter sua história contada.

Esse momento chegou: dedicaram o ótimo "Clear", 12º episódio da terceira temporada, a resolver o assunto Morgan, além de justificar a monição e o armamento que nossos heróis necessitariam para a iminente guerra contra o governador. Uma excelente sacada para unir o útil ao agradável. Amarrou as pontas soltas e justificou os próximos acontecimentos. Palmas.

A mitologia da série andava esquecida e o episódio trouxe isso de volta, mesmo sem mostrar muita coisa. O simples fato do reaparecimento de Morgam serviu para aguçar toda curiosidade imposta pela série em seus primórdios. Ninguém sabe e ninguém vai saber tão cedo como começou o domínio Walker, motivo, razões e circunstâncias. Ninguém tem ligado para isso ultimamente porque os eventos estão bem interessantes. Contudo, o fato de Walking Dead ter voltado e nos dado a resolução Morgan, mostra que eles estão atento às pontas soltas que ficaram para trás e pretendem amarrá-las.

O maior e melhor presente naquele mundo para alguns: a morte
Ainda espero saber o que diabos Dr. Edwin Jenner cochichou ao pé do ouvido de Rick no season finale da primeira temporada. A série não disse claramente (salvo engano) o assunto abordado entre eles em TS-19. Espero que um dia eles voltem com esse assunto. 

Paralelamente acompanhamos Carl, o menino que merece bons cascudos por sua imprudência (ele deve achar que tem peito de aço), se destacou no episódio por boas e más atitudes. Tudo bem que o moleque (leke leke) cresceu rapidamente e se tornou útil, mas peraí, vai com calma! Ok, foi perspicaz em derrubar Morgan, mas esteve vulnerável a frente de uma metralhadora. Desobedeceu a ordem de seu pai e por sorte não morreu. 

Nem reprovo sua atitude de buscar uma lembrança de sua mãe, mas porque fazer isso escondido? Outros cascudos merecedores. Ainda bem que, mesmo contra-vontade, Michonne esteve presente e o ajudou na empreitada, se não e óbvio, estaria morto. Se o garoto morrer, acabou a série. Iremos passar vários episódios acompanhando as lágrimas, o desespero e as assombrações de Rick. Morre não, moleque! Não por você, por nós!

Foi por uma boa causa. Tá bom. Mas merece uns cascudos
A atitude protetora de Michonne serviu também para uni-la definitivamente ao grupo e obter confiança de Carl e Rick. Michonne é imprescindível à guerra que está iminente e mesmo com "apenas" objetivos em comum, nossa Jiraya já ganhou a simpatia do público e de alguns dos sobreviventes. Claro que o embate entre ela e Merle deverá acontecer.

Contudo, Walking Dead mostrou um episódio maduro, ilustrando a atual mentalidade dos sobreviventes. Ficou claro que Rick não cairá nas mesmas armadilhas. Ficou claro que agora é olho por olho e dente por dente. Os únicos humanos que importam é o que estão com eles. O resto é inimigo. Eles não tem apenas que se preocupar com os walkers, mas principalmente com os humanos. 

Voltaram renovados, munidos e prontos para a guerra. Que venha o Governador!
Tecnologia do Blogger.