LOST: Pilot II 1x02 [Review Retrô]


Os dois lados sendo expostos desde os primórdios da série.

Tal como a sua estrutura. Continuamos a acompanhar na segunda parte do Piloto de LOST, como a série seria tratada. Acompanhamos a princípio, a vida dos principais personagens dentro da ilha e dentro do voo 815 no momento da queda. O momento do da queda são momentos tensos e que trazia imensa expetativa ao telespectado. Todos já queriam saber a causa da queda, que bicho é esse que assombra a ilha, que diabos estava acontecendo lá. Porém LOST não demonstrava pressa. Ainda bem.

Além disso, LOST tem uma infinidade de excelentes personagens e por isso cativou o telespectador logo de início. Nesse episódio, dois personagens protagonizaram os momentos no avião. Kate e Charlie.

Charlie já desponta como personagem mais carismático do elenco (ao lado de Hurley, claro) e Kate, a enigmática. Ele ficou ali, fingindo querendo ajudar, mas queria mesmo consumir sua heroína, achada nos destroços do avião. Consegui. Conseguiu usufruir do pó maligno e fez proveito da substância, aquela que toma conta de seu interior.

Kate segue no dilema. A fugitiva. Enquanto torcia para que o policial Edward Mars não sobrevivesse. Aquela carinha de santa engana a princípio, mas a série logo mostra que Kate é a criminosa, é a pessoa que estava sendo aprisionada pelo policial, esclarecendo a nossa desconfiança inicial por Sawyer, muito bem (mal) levantada por Sayid.


Falando na dupla dinâmica, Sayid e Sawyer começaram seus desentendimentos, aguçados pelos preconceitos de Sawyer. Nada mais natural em 2004. Ainda estava fresco na memória da população mundial o terror vivido em 11 de Setembro de 2001.

Em um episódio de apenas 39 minutos, começamos a conhecer a índole de quase todos os personagens, comportamentos e objetivos. Bem comum em se tratar de um acidente internacional. Pessoas de nacionalidades diferentes e culturas diferentes. Jin e Sun tentando sobreviver à seus modos; Michael e Walt com problemas de "adaptação"; as primeiras brigas entre os irmãos Boone e Shannon; as primeiras boas ações do cara gente boa, Hurley.

Jack já garante a liderança sem pedir. O grupo já o elege líder contra a sua vontade, pois Jack já demostra ser um líder nato. Ele passa o episódio cuidando do policial Edward Mars.

Enquanto um carequinha observa friamente tudo que ocorre, na maior tranquilidade e no maior mistério. John Locke. O cara que àquela altura, era um simples desabrigado, um simples mortal.

Mas o objetivo de sair daquela ilha começa a florescer. Pouco a pouco a ilusão do resgate vai se perdendo e os sobreviventes seguem em busca de comunicação. Então o primeiro espanto acontece: um sinal perdido é recebido. Um pedido de socorro que está sendo enviado a 16 anos leva os sobreviventes ao espanto. Eles começaram a entender que dali não sairiam tão cedo e que teriam que se esforçar bem mais para tentar algo mais concreto.


Assim o episódio termina: LOST implantando vários mistérios instigantes que incentivaram o telespectador a continuar com a série. Ótimos personagens, ótimas histórias e excelentes mistérios que sabemos: foram respondidos. Vimos o famoso Urso Polar, abatido com perspicácia pelo galanteador Sawyer, enquanto em momentos reservados, abre uma carta misteriosa. Aquela carta.
Tecnologia do Blogger.