Grey’s Anatomy – S09E17 – Transplant Wasteland


“Grey Sloam Memorial Hospital”- Episódio emocionante e surpreendendo pela simplicidade!

Depois de mais um hiatus, Grey’s retorna com um clima um pouco mais leve do que os episódios anteriores e reparem que eu disse “um pouco”. Ótimo episódio conseguiu conduzir muito bem a transição do hospital para o que era antes, claro, algumas coisas ainda tem de ser mudadas, mas tivemos um pouco no nosso velho e bom ritmo de volta, sem nenhuma câmera ou qualquer nanotecnologia espionando os métodos dos nossos médicos.

Bailey que o diga, que fez sua arte milenar de cirurgia em hérnias sem seguir o protocolo, tenho que dizer, foi um belo alívio ver as coisas voltando ao normal, eu já estava ficando louco igual aos enfermeiros que entraram em greve, sem saber como as coisas iriam terminar. Com o clima caótico ainda no ar, a demissão de Hunt foi o boom do episódio, pois todos sabem que quem manteve tudo no lugar, ou seja, o hospital em pé, foi ele. Ainda bem que deu tudo certo no final, o PS vai voltar e os investimentos em pesquisas na medicina vão ganhar incentivos, adorei essa liberdade criativa que a Fundação Harper Avery deu para nossos personagens.

Julguei mal a atitude de Catherine ao colocar Jackson na chefia do conselho, claro que uma pessoa mais experiente seria muito melhor, mas ele ao decorrer do episódio foi mostrando sua competência, autoridade e habilidade na hora de mandar e desmandar.

Adorei ver todos na mesa como conselheiros, mas não quero presenciar isso com frequência, pois é uma série médica, não burocrática, onde médicos discutem sobre quando e se assinam papeis, não estou criticando, apenas demonstrando minha opinião em relação ao que pode vir.

O caso do paciente de Kepner foi uma das coisas mais emocionantes deste episódio, o modo como Kepner conduziu tudo, até o resultado que foi a retirada para a doação de órgãos foi muito bonito, mostra como uma doação de órgão pode fazer diferença. Mas o que veio em primeiro lugar no quesito emoção foi ao fim do episódio com Avery sugerindo o novo nome para o hospital, “Grey Sloam Memorial Hospital’. Quer coisa mais emocionante do que ver esse nome aos últimos segundos do episódio?

Alex tem mesmo o dom para lidar com os pacientes da pediatria, mas ainda continua muito arrogante quando as coisas não saem como ele quer, como por exemplo, ele adorava passar o tempo com Wilson, mas ela agora tem um pretendente. Passar tempo com Cristina e Mer nem pensar, pois as duas estão encalacradas em burocracia e outras coisas devido a compra do hospital, então é obvio que ele fica chato a qualquer hora, esse é o problema do personagem, ele é muito carente e quando essa carência não é suprida, a ignorância toma conta.

Tenho pena de Owen, nunca gostei muito do personagem, mas também nunca desejei nada de ruim para ele, eu comecei a simpatizar quando percebi o quanto ele se arriscou e deu o sangue para manter o hospital, se tem um personagem que conseguiu mudar minha opinião foi Hunt, homem de fibra. Cristina sempre um gênio da medicina, nem preciso dizer o quanto amo ela né?

Agora tem um plot que estou muito curioso para saber onde vai parar, é a gravidez de Mer, não está nada errado, mas tenho medo que Titia Shonda possa atrapalhar o parto da nossa protagonista, não matando a criança, mas dando uma boa dor de cabeça a Derek.

Enfim, a série está em uma temporada impecável, assim como a anterior, mas tenho receio pela finale, pelo que pode vir por ai, tudo pode acontecer, é melhor nos prepararmos para qualquer coisa. Sem querer espalhar o medo, mas vamos pensar positivo que vai dar tudo certo. Até o próximo review!

OBS: Foi impressionante ver como Kepner evoluiu em relação a emoção e a relação com seus pacientes, muito madura ao lidar com aquela família.
Tecnologia do Blogger.