Girls - 02x07/08 - Video Games / It's Back


Girls - 2x07 - Video Games


Mais uma vez eu elevei minhas expectativas sobre o episódio, e quando fui assistir, vi que mais uma vez o episódio quebrou a continuidade dos acontecimentos que eu tanto esperava. Nesse caso, estou falando da trama do e-book de Hannah e o prazo curtíssimo para conclusão, fato que foi totalmente esquecido no episódio. Mas enfim, espero ao menos que esse "detalhe" seja retomado na próxima semana.

O desenvolvimento das tramas nessa temporada tem sido bastante lento, e apelando cada vez mais pro lado dramático. Nesse episódio focado nas origens de Jessa, tivemos ótimos momentos explicando algumas características de sua personalidade, mostrando sua relação com seu pai sempre ausente e as constantes decepções que ela sofre quando tenta se aproximar dele. Primeiro temos o atraso de Sr. Johansson, atitude que não surpreendeu Jessa e que me fez prever ainda mais drama nessa visita.

As atuações de Jemima Kirke (Jessa) e Ben Mendelsohn (Mr. Johanson) foram ótimas e transpareceram convincentemente essa relação entre a filha cada vez mais perdida e solitária, com o pai que esteve sempre ausente, e que agora não sabe como lidar com a filha. Depois de ter acumulado tantas desilusões(na visita, e durante toda a vida) dentro de si, Jessa e seu pai protagonizam a melhor cena do episódio, na qual a garota confronta o pai com todas as suas mágoas, num diálogo sincero e simples, e como eu disse antes, muito bem atuado. O pai pede mais uma chance, mas como era de se adivinhar, Jessa se decepciona mais uma vez.

Enquanto isso, Hannah interage com os outros membros da nova família do Mr. Johansson. Os diálogos entre ela e Petula (Rosanna Arquette) foram ótimos, principalmente pelas diferenças das duas, uma sendo totalmente urbana e a outra toda "natureba"(odeio essa palavra, mas não encontrei outra melhor). Já a interação entre Hannah e Frank foi um tanto exagerada, pois achei aquela obsessão bastante bizarra, mesmo se tratando de Hannah Horvath. Mesmo exagerada, essa relação trouxe bons momentos, principalmente a reação de Jessa quando a amiga diz ter achado que aquela situação era uma sexit (sexir,na tradução). Hilário!

Ao fim dessa visita, Jessa deixa um bilhete com "Até logo amiga, se vira aí e vai embora. Beijuxx!" para Hannah, e vimos o quanto ela está abalada com tudo que anda acontecendo na sua vida, recentemente e também o que ela acumulou durante a vida. Chegando à estação, Hannah percebe o quanto o apoio que os pais a deram foi essencial para sua formação, principalmente depois de passar uns tempos com os Johansson. Ao ligar para os pais para agradecer todo esse apoio, a Sra. Horvath acha que a filha está agradecendo com segundas intenções, o que é bem possível, se tratando da Hannah. E o fato da garota estar possuída pela dor da infecção de urina faz com que tudo fique ainda mais cômico.

Longe de ser ruim, o episódio nos explicou algumas nuances da personalidade de Jessa e nos rendeu algumas ótimas cenas, principalmente a final. Mas mesmo gostando do episódio, eu ainda preferiria que a continuidade de algumas tramas não tivessem sido cortadas. 

Observações:

  • O personagem Frank foi exageradamente esquisito, e o ápice dessa bizarrice foi ele acusando Hannah de ter se aproveitado dele, e depois ainda dizer que perdeu a virgindade com uma garota chamada "Rihanna". Foi tão exagerado, que não teve como não rir.
  •  
  • Outra ótima cena foi a que as garotas acharam as revistas pornô velhas porque, como Jessa mesma disse, as mulheres da revista deviam se orgulhar por fazer a coisa mais nobre que existe: ajudar os garotos a explorar a sua sexualidade. 

Girls - 2x08 - It's Back



Retomando a continuidade da temporada, o episódio veio nos preparar para os eventos finais da temporada. Mesmo que não tenha ficado claro o que aconteceu com Jessa depois dos acontecimentos em "Video Games", tudo o que aconteceu no episódio abriu um leque de possibilidades para o fim da temporada , que é daqui dois episódios. 

No relacionamento de Shoshanna e Ray as coisas estão cada vez mais abaladas. Depois de todos os problemas deles por estarem morando juntos mesmo que ela não soubesse, depois a falta de ambição de Ray que incomoda cada vez mais a garota, ainda tivemos nesse episódio a briga dos dois pois ele acha ridículo aparecer numa festa de universitários, destacando os problemas deles quanto a diferença de idades. Como consequência de Shosh aparecer sozinha na festa de Radhika, acontece a última coisa que eu poderia supor para Shosh, quando ela trai Ray com o porteiro do prédio da amiga. Pra mim foi muito surpreendente mesmo, e não consigo imaginar quando Ray souber das peripécias da namorada. Temendo pelo fim do melhor casal da série. 

Enquanto isso, Ray e Marnie protagonizam uma das melhores cenas do episódio quando Ray pressiona a garota a dizer o que ela quer pra vida dela, qual o sonho dela. Essa pergunta de Ray é consequência da reação da garota depois de ver que o ex-namorado está bem sucedido, enquanto ela está cada vez mais perdida. Mesmo que o sucesso seja absurdamente repentino, ver que Charlie seguiu em frente foi bastante difícil pra ela, ainda mais ela sendo a "musa inspiradora" do aplicativo criado por ele. Respondendo com sinceridade à pergunta de Ray, Marnie admite que seu sonho é ser cantora. Assim como Ray, achei que fosse brincadeira, mas depois de vê-la cantar, fiquei boquiaberto. Voltei a cena umas 5 vezes, e mal posso esperar pelo que vai acontecer com Marnie em busca desse sonho (espero que ela tente, pelo menos). E o que me fez isso tudo ficar ainda melhor foi Ray, que sabe muito bem o preço a se pagar quando você não corre atrás dos seus sonhos. Sério, como não amar essa cena?

Isolada das outras meninas e com toda a ansiedade de terminar o e-book no prazo muito curto, Hannah volta a apresentar comportamentos do TOC que ela não tinha desde os tempos de colégio. Mesmo gostando dos momentos trazidos por esse transtorno, achei bastante arriscado trazer esse tipo de drama pra vida da personagem. Achei o contexto propício para essa introdução, mas espero que o roteiro não se perca e acabe deixando muito espaço reservado para esse problema. Enfim, Hannah esteve ótima nesse episódio, como nas cenas iniciais de episódio, e depois também quando ela esbarra "oito" vezes no cara. Mas o melhor disso tudo foi  conversa com o psicólogo, em que Hannah explica com sinceridade o motivo de seu estado emocional abalado, citando também o que ela sente sobre Adam. A explicação dela foi breve, mas a relação dela não poderia ser explicada tão perfeitamente.

Quase tão perfeita quanto a de Hannah foi a explicação de Adam na reunião dos AA sobre a relação dos dois. Depois de um monólogo super sincero, uma mulher esbarra com ele para que ele saia com a filha dela. Tudo isso foi bastante inesperado, mas não chegou a incomodar. Meio receoso, Adam liga para Natalia (Shiri Appleby) e fiquei curioso para conhecer a garota que aceitaria sair com ele, ainda mais depois das coisas que ele falou no telefonema (ele a reconheceria pois ela tem bons dentes). Gostei muito da interação entre os dois, mas espero que ele resolva logo a situação dele com Hannah. Estou muito ansioso pra ver como Hannah e Adam vão encerrar a temporada, e espero que ao menos conversem sobre o assunto.

Enfim, um ótimo episódio que nos deu uma ideia do que prever para os dois últimos episódios da temporada. Ansioso para ver como todas essas trama serão resolvidas, ou se ao menos serão resolvidas. Até o próximo texto!


Observações:

  • A cena mais hilária foi quando o pai de Hannah não entendeu a ironia da filha quando ela disse que tinha anorexia: "Você não é anorexica, isso é ridículo. Vi você de maiô!". 
Tecnologia do Blogger.